Ciclo de vida das moscas

O ciclo de vida das moscas é holometábolo, pois passam por uma metamorfose completa. Aqui você pode conhecer o processo em detalhes.
Ciclo de vida das moscas

Última atualização: 26 Setembro, 2021

O ciclo de vida das moscas compreende 4 fases antes de completar sua metamorfose e atingir sua forma adulta: ovo, larva, pupa e adulto. O estudo desse processo é de vital importância quando se trata de espécies transmissoras de doenças, pois fatores como a gravidade da infecção ou a capacidade de transmissão podem variar nas diferentes fases.

As moscas são um grupo de espécies da ordem Diptera presentes em todo o mundo, exceto na Antártica. Elas preferem climas quentes e úmidos, pois são os mais favoráveis para sua reprodução. Neste artigo, contamos tudo o que você precisa saber sobre o ciclo de vida desses insetos.

Reprodução de moscas

Em primeiro lugar, é necessário enfatizar que a ordem das moscas (Diptera) está incluída na classe Insecta. Por essa razão, elas compartilham uma série de características com outros hexápodes relacionados: 3 pares de patas, um corpo dividido em cabeça, tórax e abdômen e a presença de asas. Cerca de 150 mil espécies de dípteros foram descritas, embora se estime que muitas mais existam.

Antes da fase do ovo, na qual o ciclo de vida das moscas começa, os adultos copulam para se reproduzir. O macho da mosca corteja a fêmea por meio de “cantos” emitidos ao vibrar seus halteres, estruturas que usa para controlar a postura durante o voo e que produzem seu zumbido característico.

Se a fêmea for convencida por esse canto e pelos feromônios do macho, ela ficará parada para que ele se posicione em cima dela e eles possam copular. Do contrário, ele continuará se movendo e irá embora. A expectativa de vida de um adulto é de cerca de 15 a 30 dias. Portanto, qualquer rejeição diminui drasticamente as chances de reprodução do macho.

 

Onde as moscas nidificam?

Como e onde as moscas nidificam depende de cada espécie. Elas geralmente não constroem ninhos, mas escolhem estrategicamente o local para colocar seus ovos. A ideia é favorecer as larvas assim que nasçam, garantindo sua sobrevivência e a possível finalização do ciclo de vida das moscas. Damos alguns exemplos:

  • Episyrphus balteatus: as fêmeas adultas põem ovos apenas ao lado de colônias de pulgões, pois as larvas se alimentam deles.
  • Mosca-do-mediterrâneo (Ceratitis capitata): a conhecida larva encontrada em maçãs e outras frutas pertence a essa espécie, pois os adultos depositam seus ovos na superfície das frutas para que a prole possa escavar enquanto se alimenta. Dessa forma, a descendência tem comida e abrigo ao longo de todo esse estágio.
  • Scathophaga stercoraria: as larvas dessa mosca comem fezes e é nesse tipo de matéria que as fêmeas adultas colocam seus ovos.
  • Pseudolynchia canariensis: curiosamente, as larvas deste díptero nascem dentro da mãe e tornam-se pupas logo após o nascimento.

Como as moscas nascem?

Em espécies ovíparas, como a mosca-das-frutas (Drosophila melanogaster), as larvas eclodem do ovo poucos dias após sua deposição no ambiente. Nesse ponto, os filhotes em forma de verme começarão a se alimentar para crescer e atingir o estágio de pupa.

Outras espécies, como a já mencionada Pseudolynchia canariensis, são ovovivíparas. Embora as larvas eclodam de um ovo, a mãe as expulsa de seu corpo após a eclosão e não antes. Isso limita muito o número de filhos que uma fêmea pode ter, já que as larvas se desenvolvem parcialmente dentro dela.

Uma fêmea adulta pode depositar de 100 a 500 ovos por ninhada, dependendo da espécie.

Metamorfose das moscas

Quando atingem o tamanho apropriado, as larvas da mosca começam a se tornar pupas. Para fazer isso, elas formam uma cápsula rígida ao seu redor, permanecem imóveis e não se alimentam. Dentro dessa pupa ocorre a metamorfose, o processo biológico que transforma o corpo da larva em adulto.

Nesse período, o corpo é segmentado em 3 partes: cabeça, tórax e abdômen. Então as patas e asas crescem e finalmente a mosca adulta emerge totalmente formada da pupa. A duração da metamorfose vai depender da temperatura ambiente, pois no inverno pode demorar mais ou atrasar até a chegada da primavera.

Quanto tempo uma mosca vive?

O número exato de dias de vida de uma mosca depende de cada espécie, mas geralmente não ultrapassa um mês. Sua expectativa de vida média na fase adulta é de 15 a 30 dias, como já dissemos anteriormente. Nesse período, porém, as moscas podem colocar milhares de ovos, pois se reproduzem mais de uma vez antes de morrer.

Em condições ideais para sua sobrevivência, a expectativa de vida de uma mosca pode ser estendida até 2 meses.

Curiosidades sobre as moscas

O ciclo de vida das moscas não é a única coisa interessante sobre os dípteros. Embora sejam claramente irritantes quando zumbem no nosso ouvido, sua vida tem um valor inestimável para os ecossistemas. Se você quiser conhecer alguns fatos incríveis sobre as moscas, aqui estão alguns exemplos:

  • Elas podem sentir o gosto pelas patas: as moscas têm receptores de sabor em suas falanges, então elas podem dizer se algo é comestível (e apetitoso) apenas pousando nela.
  • Algumas usam o mimetismo para sobreviver: com certeza você já viu uma mosca que se parece com uma vespa, é amarela e preta e tem um modo de voar semelhante. Isso confunde seus predadores, que a evitam caso seja perigosa.
  • Seu valor para o meio ambiente é variado e importante: algumas moscas são polinizadoras, como a família Calliphoridae. Outras são predadoras, como a família Syrphidae, que ajuda a controlar pragas de pulgões e outros pequenos insetos. Claro, muitas espécies são decompositoras e se alimentam de resíduos e fezes, limpando o ambiente e mantendo-o estável.
  • A passagem do tempo é mais lenta para elas: simplesmente, as moscas registram tantos momentos temporais com seus olhos que a sucessão de eventos é mais longa para elas. Os humanos processam 60 imagens por segundo, enquanto uma mosca pode processar até 250. É por isso que é tão difícil surpreendê-las.
  • Seu campo de visão é de quase 360 graus: as moscas enxergam o ambiente perfeitamente, algo essencial para poder voar sem colisões.

 

Moscas: um curto ciclo de vida

Invertebrados vitais para a sociedade

O ciclo de vida das moscas é relevante em muitos níveis, até para explicar a transmissão de doenças a outros animais. É o caso da mosca tsé-tsé, em que o protozoário (Trypanosoma brucei) transmite a doença do sono utilizando-a como veículo voador. Também é de interesse no âmbito da criminologia forense, já que o estado das larvas em um cadáver ajuda muito a elucidar a hora de sua morte.

As moscas são fascinantes do ponto de vista biológico, mas também trazem muitos benefícios para os ecossistemas e para a sociedade. Antes de usar um mata-moscas, pense no que você leu e abra uma janela.

Pode interessar a você...
Por que há mais moscas no verão?
Meus Animais
Leia em Meus Animais
Por que há mais moscas no verão?

Além da antipatia natural por sua presença, surge a pergunta: por que há mais moscas no verão do que no inverno? Entenda e saiba como eliminá-las.



  • Bussell, J et al. (2014): Abdominal-B Neurons Control Drosophila Virgin Female Receptivity. Current Biology, 24 (14), pp. 1584-1595.
  • Drosophila melanogaster. (s. f.). Animal Diversity Web. Recuperado 25 de agosto de 2021, de https://animaldiversity.org/accounts/Drosophila_melanogaster/
  • Cumming, J. M. (1994). Sexual selection and the evolution of dance fly mating systems (Diptera: Empididae; Empidinae). The Canadian Entomologist126(3), 907-920.
  • Peacock, L., Cook, S., Ferris, V., Bailey, M., & Gibson, W. (2012). The life cycle of Trypanosoma (Nannomonas) congolense in the tsetse fly. Parasites & vectors5(1), 1-13.