Cleptoparasitismo, exemplos e curiosidades

abril 5, 2019
O cleptoparasitismo é um comportamento animal conhecido como o roubo de alimento entre espécies diferentes.

O cleptoparasitismo é definido como “o roubo de uma presa ou outro alimento previamente capturado por um indivíduo por parte de outro indivíduo”. É também conhecido como “parasitismo alimentar”.

O conceito foi introduzido para definir um roubo de alimento que ocorreu entre indivíduos de diferentes espécies, por isso foi chamado de cleptoparasitismo interespecífico.

No entanto, atualmente também é usado para definir a ação de indivíduos da mesma espécie e é definido como cleptoparasitismo intraespecífico.

O cleptoparasita é aquele que rouba, enquanto o hospedeiro ou anfitrião é aquele que é roubado.

O conceito foi introduzido nos anos 50 por Rothschild e Clay, especificamente em 1952. Atualmente, é reconhecido como uma estratégia alimentar que permite obter recursos limitantes. Em 1979, Brockmann e Barnard diferenciaram os indivíduos entre dois grupos:

  • Eles possuem uma série de adaptações morfológicas, como a possibilidade de aumentar a velocidade do voo e a habilidade de manobra. Além disso, a maioria dos alimentos que obtêm é através dessa prática. É o cleptoparasitismo interespecífico.
  • Aqueles que só roubam comida em certos momentos, como quando é visível no bico do hospedeiro. Esses animais realizam essa prática de maneira intraespecífica e interespecífica.

Existem diferentes estudos que coletam informações sobre essa prática curiosa entre as espécies. Esse conceito não se refere apenas ao roubo de alimentos, mas também se refere ao roubo de materiais para a construção de ninhos, etc.

A bibliografia focou no estudo dessa interação ecológica entre aves, especificamente aves marinhas. No entanto, também há casos registrados de cleptoparasitismo em diferentes grupos de animais, tanto vertebrados quanto invertebrados.

Fatores que influenciam o cleptoparasitismo

Entre os fatores que podem afetar essa estratégia, estão os seguintes:

  • Condições ambientais
  • A quantidade de potenciais hospedeiros em relação à quantidade de cleptoparasitas
  • O tamanho do cleptoparasita em relação ao hospedeiro
  • O número de cleptoparasitas envolvidos em uma perseguição
  • Tática usada pelo cleptoparasita
  • Qualidade nutricional das presas disputadas

Exemplos

Cobra viperina ou de água (Natrix maura)

O habitat da cobra viperina se localiza no Mediterrâneo Ocidental, incluindo a Península Ibérica, onde se encontra amplamente distribuída. Sua dieta é principalmente focada em peixes e anfíbios.

Cobra viperina com peixe

Embora, recentemente, tenha sido observada a prática do cleptoparasitismo intraespecífico. Isso consiste no roubo de uma presa de um indivíduo de uma espécie por um indivíduo da mesma espécie.

O engraçado é que o cleptoparasitismo só havia sido estudado em algumas espécies de répteis e nunca no réptil Natrix maura.

Aparentemente, essa técnica é usual em regiões de alta densidade, onde as presas não podem ser facilmente ingeridas.

A águia de asa redonda (Buteo buteo)

A águia de asa redonda é um pássaro que pertence à espécie Buteo buteo. Essas aves se encontram em ambos os papéis do cleptoparasitismo.

Por um lado, são forçadas a dar sua comida a aves de rapina maiores. Mas, por outro lado, também privam as aves menores de seus alimentos.

Aves brigando por alimento

Recentemente, essa prática foi observada por um grupo de cientistas na ilha de Tenerife (Siverio et al., 2017). Nos buteos, o cleptoparasitismo tem um caráter oportunista: diante do encontro com outra espécie de ave, aproveitam-se dela e retiram sua presa.

Hienas

As hienas pertencem à família Hyaenidae e podem ser consideradas o mamífero cleptoparasita mais representativo.

Eles são principalmente conhecidos como mamíferos sequestradores, mas também praticam o cleptoparasitismo quando têm a oportunidade.

Grupo de hienas

Essa família está presente apenas no continente africano devido a uma série de eventos, como a mudança climática e a ação humana.

Curiosidades do cleptoparasitismo

Essa prática foi observada em invertebrados, tendo os artrópodes como um dos grupos. Dentro dos artrópodes, temos como exemplo as aranhas, como o estudo da espécie Argyrodes elevatus

Aparentemente, essa aranha praticava o cleptoparasitismo com o objetivo de cortejar outra aranha. Quer dizer, é um presente nupcial. O macho roubou uma presa de dentro da rede comunitária de seu hospedeiro, Metepeira incrassat.

Entregou a presa a uma aranha fêmea e, enquanto a fêmea se alimentava, o macho copulava com ela. É o primeiro caso registrado de cleptoparasitismo em Argyrodes elevatus com o propósito de dar um “presente nupcial”.

O cleptoparasitismo é uma estratégia pouco conhecida, mas muito interessante. Os animais adotam comportamentos que lhes permitem sobreviver e evoluir, mesmo às custas de outros indivíduos. Os animais têm outra série de comportamentos curiosos, como a coprofagia.

  • Escrivà-Colomar, I., & Rodríguez-Rodríguez, E. J. (2016). Un caso de cleptoparasitismo intraespecífico en Natrix maura. Boletín de La Asociación Herpetológica Española, 27(1), 2015–2017.
  • Scientific, N. (2017). Cleptoparasitismo en aves como una estrategia trófica oportunista: costos y beneficios para parásitos y hospedadores., (December 2010). https://doi.org/10.13140/RG.2.2.16748.26246
  • Siverio, F., Rodríguez, B., Rodríguez, A., & Siverio, M. (2017). Cleptoparasitismo en busardos ratoneros canarios. Quercus, 381(November), 12–14.
  • Carbone, C., Frame, L., Frame, G., Malcolm, J., Fanshawe, J., FitzGibbon, C., . . . Du Toit, J. (2005). Feeding success of African wild dogs (Lycaon pictus) in the Serengeti: The effects of group size and kleptoparasitism. Journal of Zoology, 266(2), 153-161. doi:10.1017/S0952836905006710