Conheça a fauna dos Alpes

janeiro 9, 2019
Composta por mamíferos, aves, répteis e anfíbios, estas espécies conseguiram adaptar-se a um clima severo e a grandes altitudes.

No sistema montanhoso mais extenso da Europa – que abrange oito países – existem várias espécies de animais. A fauna dos Alpes foi capaz de se adaptar a condições climáticas e alturas adversas de uma maneira incrível. Saiba mais sobre ela neste artigo.

Como é a fauna dos Alpes?

Com 1,2 mil km de extensão, essa cordilheira está dividida em três setores (ocidental, central e oriental) e abriga mamíferos, aves, répteis e anfíbios. A fauna dos Alpes é representada pelas seguintes espécies:

  1. Salamandra

Este anfíbio vive nas montanhas e bosques da Europa dos Alpes, mede cerca de 15 centímetros e é completamente de cor preta brilhante, embora em algumas subespécies possam apresentar manchas ou áreas amarelas.

A salamandra alpina (foto que abre este artigo) tem hábitos noturnos e sai em busca de comida após dias chuvosos.

Consome principalmente larvas, insetos, vermes e moluscos. Quando está muito frio, hiberna entre as rochas ou nos troncos dos bosques.

A fêmea tem uma das gestações mais longas da natureza: dura entre dois ou três anos.

  1. Cabra selvagem

É o animal que primeiro relacionamos com a montanha alpina.

O íbex ou cabra selvagem é endêmico desta cordilheira e tem a capacidade de subir entre as rochas graças às suas fortes patas. 

Com hábitos diurnos, eles se alimentam de pastagens e ervas pela manhã, pois aproveitam o orvalho da vegetação para beber.

cabra selvagem dos alpes

Os machos são maiores que as fêmeas e, embora ambos os sexos tenham chifres, os dos machos são mais longos. Com eles, lutam com outros congêneres durante a época de acasalamento.

O pelo da cabra muda de cor de acordo com a época do ano: no verão é mais claro e mais leve.

  1. Ferreirinha-comum

Esta ave passeriforme é outra representante típica da fauna dos Alpes: vive em encostas rochosas e prados nas altas montanhas.

Durante o inverno, “desce” para altitudes mais baixas, onde interage e é bastante confiante em relação aos seres humanos.

Ferreirinha-comum

A ferreirinha-comum é pequena, com um corpo robusto, um pequeno bico amarelado, asas escuras com tons de marrom, cinza e preto, e um peito de um ou dois tons.

Constrói o ninho com ervas entre as rochas e, a cada temporada, põe até cinco ovos e se alimenta de insetos, sementes, aracnídeos e bagas ao bicar no chão.

  1. Cabra-montesa

Também conhecida como camurça, é um bovídeo característico de várias cadeias de montanhas da Europa.

Além de poder ser encontrada nos Alpes, também vive nos Cárpatos, Pirineus, Cáucaso, Cordilheira Cantábrica e em algumas áreas montanhosas da Eslováquia, Bálcãs e Turquia.

Cabra montesa

Este mamífero mede cerca de 1,3 metro e pesa cerca de 30 quilos. Os machos são maiores que as fêmeas e, também, seus chifres são maiores e mais curvados para trás. 

A pelagem varia de acordo com a estação do ano: marrom avermelhado no verão e marrom escuro no inverno.

Se reproduz entre outubro e novembro, a gestação dura cerca de 20 semanas e em cada nascimento nasce um único filhote.

A camurça tem uma expectativa de vida de 20 anos na natureza e seus principais predadores são o urso, o lobo, o lince e o ser humano.

  1. Víbora-áspide

Esta víbora venenosa, cuja picada é muito dolorosa e às vezes pode ser fatal – atinge pelo menos 60 centímetros de comprimento e, ao contrário de outras cobras, o macho é maior do que as fêmeas.

Possuem uma cauda curta, uma cabeça triangular, escamas amarelas, douradas ou cinzentas e manchas verdes ou pretas em um padrão em ziguezague.

Víbora-áspide

Geralmente escolhe áreas montanhosas ou colinas, onde recebe boa quantidade de sol todos os dias, especialmente no inverno. 

Além disso, também pode ser encontrada entre pântanos, prados ou florestas, onde se esconde entre a vegetação. Existem cinco subespécies, das quais três são alpinas.