Conheça a girafa de pescoço curto

Os indígenas africanos conheciam muito bem o ocapi, pois fazia parte de sua alimentação. No entanto, para o resto do mundo não havia indicação de sua existência, até o ano de 1900.
Conheça a girafa de pescoço curto
Georgelin Espinoza Medina

Revisado e aprovado por a bióloga Georgelin Espinoza Medina.

Última atualização: 21 dezembro, 2022

Nas profundezas da África existem animais incríveis, alguns deles parecem saídos de um filme pelas características que apresentam. Nesse sentido, temos a girafa de pescoço curto, também conhecida pelo nome de ocapi. É um mamífero que a princípio se pensava ser próximo ao grupo dos cavalos. Você já ouviu falar dela?

Seu nome científico é Okapia johnstoni e pertence à família Giraffidae, embora seu pescoço seja mais curto em comparação com o de seus parentes. Neste artigo, detalharemos todas as características desta espécie, sua descrição, seu habitat, seu comportamento e seu estado de conservação. Então não perca nenhum detalhe da girafa mais estranha que existe.

Onde vivem as girafas de pescoço curto?

Ocapi: reprodução

O ocapi vive na África, limitado à República Democrática do Congo, na região central, norte e leste. Habita as florestas frondosas, desde as florestas Maiko até as de Ituri. Sua faixa de distribuição vai de 487 a quase 1000 metros acima do nível do mar.

Características da girafa de pescoço curto

Uma das curiosidades mais surpreendentes desta espécie é a sua aparência, já que se assemelha a uma zebra. A pelagem tem uma textura oleosa e é marrom avermelhada, exceto na face e nas patas. O rosto é esbranquiçado, enquanto suas patas e nádegas têm um desenho com listras brancas que justifica a comparação.

Os ocapis são animais de grande porte, devido ao fato de medirem em torno de 2 metros de comprimento, 40 centímetros na cauda e entre 1 a 2 metros de altura (na cernelha). Pesam de 200 a 350 quilos.

Outro aspecto notável é sua língua, que é muito longa e preta, semelhante à de seus parentes vivos mais próximos, as girafas. Os machos são equipados com pequenos chifres na cabeça, chamados ossicones e cobertos de pele. Por sua vez, as fêmeas não os têm, elas só têm pelos em forma de espiral nesse local.

Como foi sua descoberta?

Esta girafa é solitária e, apesar de seu grande tamanho, a humanidade não soube de sua existência até o ano de 1900, com as primeiras evidências científicas: uma amostra de pele de seus quartos traseiros. Sir Harry Johnston obteve as provas em uma expedição pelo Congo e as enviou à Sociedade Zoológica de Londres para análise do caso.

As listras presentes na pele dos quartos traseiros pareciam sugerir que se tratava de uma espécie de zebra, já que não havia mais evidências disponíveis para descrever o animal. Assim, o nome Equus johnstoni lhe foi atribuído, incluindo-o no táxon do cavalo.

Mais tarde, o militar Eriksson obteve uma pele completa e dois crânios dessa misteriosa criatura, que também foram analisados em Londres. Desta forma, descobriu-se que o ocapi era uma girafa de pescoço curto e não um cavalo ou zebra como se acreditava originalmente.

Comportamento da girafa de pescoço curto

Como já dissemos, esses mamíferos são solitários, embora se reúnam para acasalar. Em certas ocasiões, eles tendem a se alimentar em pequenos grupos. São diurnos, terrestres e de vida muito longa, pois vivem entre 15 e 30 anos. Em cativeiro, observou-se comportamento de higiene social para o pescoço e lóbulos das orelhas.

Além disso, são animais muito móveis, que podem percorrer grandes quilômetros para obter comida e um companheiro ou também para dar à luz seus filhotes. Ao que parece, quando os indivíduos interagem, há uma certa hierarquia, os de mais alto escalão mantêm a cabeça levantada e o pescoço erguido, ao contrário dos submissos que os mantêm para baixo.

Essas girafas são muito comunicativas, por diferentes métodos: acústico, tátil e químico. Os jovens são muito vocais com suas mães. Os sons incluem bufos, balidos e gemidos. Estes últimos também são usados durante o acasalamento. As marcas olfativas servem para delimitar o território.

O que o ocapi come?

As girafas de pescoço curto são animais herbívoros, pois se alimentam de plantas. Seu cardápio inclui uma grande variedade de espécies, mais de 100 inclusive. Em geral, consomem folhas, brotos, caules e galhos. Entre os vegetais ingeridos, estão alguns espécimes venenosos para humanos.

Sabe-se que comem argila como um suplemento mineral à sua dieta. Elas também foram observadas lambendo excrementos de morcegos. Para beber água, elas precisam abrir as pernas e dobrar os joelhos.

A reprodução do ocapi

O acasalamento dessas girafas foi observado em cativeiro. O comportamento de busca de companheiro e cortejo envolve diferentes rotinas, marcação de território, percursos e comportamentos de esfregar o pescoço. Os machos urinam em plantas pequenas, enquanto as fêmeas defecam.

As fêmeas no cio percorrem grandes distâncias em busca do sexo oposto. Após o encontro, eles lambem e cheiram os órgãos genitais. Também inspecionam a urina uns dos outros, usando o reflexo de Flehmen.

O período de gestação dura cerca de 440 dias, após os quais nasce um filhote. Apenas as mães são responsáveis pelos cuidados parentais e defendem intensamente as áreas de nidificação. O desmame ocorre entre 6 e 12 meses de idade. As fêmeas também podem cuidar de bebês que não são seus. Por sua vez, a maturidade sexual é alcançada entre 2 e 3 anos.

Estado de conservação da girafa de pescoço curto

Ocapi: habitat

Esta espécie está em perigo de extinção, segundo a lista vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza. Sua principal ameaça envolve o ser humano, pois destrói seu habitat para diversas atividades. Não se sabe exatamente quantos ocapis restam no mundo, mas estima-se que o número esteja ficando cada vez menor.

O ocapi é uma espécie de difícil investigação porque seu comportamento na natureza (solitário, disperso e esquivo) consolida poucos encontros. Os estudos estatísticos realizados incluem a análise das densidades das fezes encontradas em sua área de distribuição.

Dessa forma, a girafa de pescoço curto ou ocapi é um animal muito fascinante da República Democrática do Congo na África, uma região pouco estudada que ainda esconde grandes mistérios. No entanto, é uma das espécies que está ameaçada de extinção, mas nem tudo está perdido, existem planos atuais para ajudar a sua sobrevivência.


Todas as fontes citadas foram minuciosamente revisadas por nossa equipe para garantir sua qualidade, confiabilidade, atualidade e validade. A bibliografia deste artigo foi considerada confiável e precisa academicamente ou cientificamente.


  • Animal Diversity Web (ADW). Okapia johnstoni. Recuperado el 17 de junio de 2022, disponible en: https://animaldiversity.org/accounts/Okapia_johnstoni/
  • Arita, H. (1996). El extraño caso de la jirafa de cuello corto. Ciencias, 43, 28-30.
  • Mallon, D., Kümpel, N., Quinn, A., Shurter, S., Lukas, J., Hart, J.A., Mapilanga, J., Beyers, R. & Maisels, F. (2015). Okapia johnstoni. The IUCN Red List of Threatened Species 2015: e.T15188A51140517.

Este texto é fornecido apenas para fins informativos e não substitui a consulta com um profissional. Em caso de dúvida, consulte o seu especialista.