Você conhece a joaninha-dos-7-pontos?

Embora possa não parecer, a coloração atraente e brilhante da joaninha-dos-7-pontos é na verdade uma estratégia aposemática. Isso significa que com essas cores ele avisa seus predadores que seu sabor é bastante desagradável.
Você conhece a joaninha-dos-7-pontos?
Cesar Paul Gonzalez Gonzalez

Escrito e verificado por o biólogo Cesar Paul Gonzalez Gonzalez.

Última atualização: 03 fevereiro, 2023

A joaninha-dos-7-pontos é a espécie mais comum e popular de joaninha na Europa e em algumas áreas das Américas. No entanto, graças à sua utilidade como controladora de pragas, foi introduzida em outros lugares, como Oriente Médio e África.

O nome científico desta espécie é Coccinella septempunctata. Pertence à família Coccinelliddae, onde se agrupam besouros chamados coloquialmente como joaninhas. Continue lendo e descubra mais sobre a joaninha-dos-7-pontos.

Habitat e distribuição

Esta espécie é nativa da Europa e da Ásia, mas agora pode ser encontrada em outros lugares, como América do Norte, Índia, África e Oriente Médio. Normalmente, restringe-se a viver em áreas com muita vegetação, como arbustos, gramíneas, árvores e até pântanos.

Como seus habitats são muito inespecíficos, é normal encontrar a joaninha-dos-7-pontos em campos de cultivo, jardins e parques urbanos. Esta é uma das razões pelas quais a população reconhece bem esta espécie em particular.

Um dos tipos de joaninhas.
Coccinella septempunctata.

Características físicas da joaninha-dos-7-pontos

Como outros coleópteros, a joaninha-dos-7-pontos é pequena e de formato oval. Mede em média entre 7 e 12 milímetros de comprimento, por isso pode ser bastante difícil de ver a olho nu. Possui dois pares de asas, algumas flexíveis e dobráveis que lhe permitem voar, e outras endurecidas que servem de proteção aos primeiros (élitros).

O corpo desse coleóptero é dividido em 3 regiões bem diferenciadas (tagmas): cabeça, tórax e abdômen. A cabeça contém os olhos, antenas e boca, enquanto o tórax inclui os membros e os dois pares de asas. Por sua vez, o abdômen costuma manter os órgãos do espécime, por isso costuma ser mais largo e oval que o resto do corpo.

Em relação à sua coloração, o corpo dessa joaninha é preto, com algumas manchas brancas espalhadas em diferentes regiões do corpo. No entanto, as asas endurecidas (élitros) exibem uma cor vermelha brilhante com 7 manchas pretas em sua superfície. Por ser essa região a parte mais marcante e típica da espécie, optou-se por batizá-la de “joaninha-dos-7-pontos”, embora possa apresentar até 9 pintas no total.

Esses invertebrados passam por vários estágios ao longo de suas vidas: larva, pupa e adulto. As larvas têm forma de verme com cores que variam com a temperatura, mas são principalmente escuras ou opacas. Quanto à pupa, trata-se de um estágio intermediário em que a larva endurece seu exoesqueleto e ocorre a metamorfose, que lhe permite tornar-se adulta.

Comportamento

A joaninha-dos-7-pontos é um animal diurno que fica ativo durante a maior parte do dia. Normalmente, usa seu tempo para procurar comida sozinha, embora também possa formar grupos para sobreviver durante o inverno.

Alimentação da joaninha-dos-7-pontos

Embora seja verdade que a joaninha-dos-7-pontos é conhecida por ser uma predadora de afídeos (pulgões), a realidade é que ela consome uma grande variedade de recursos. Em geral, esses invertebrados são capazes de se alimentar de pequenos insetos, pólen ou até mesmo cometer canibalismo. Tudo depende da disponibilidade de recursos e da presença de presas.

A joaninha como controladora de pragas

Apesar de seu tamanho, a joaninha-dos-7-pontos é um invertebrado voraz capaz de matar pulgões e larvas de mosca-branca em pouco tempo. Graças a isso, tem sido considerada uma espécie viável para ser utilizada como controlador biológico. De fato, alguns estudos mencionam que cada indivíduo poderia consumir pouco mais de 500 pulgões ou larvas durante sua vida (1 ou 2 anos).

Graças ao seu apetite voraz, uma população de joaninha-dos-7-pontos pode reduzir ou eliminar completamente pragas de vários insetos em menos de 30 dias. Claro que esse cenário vai depender muito da extensão da lavoura, do número de espécimes e da severidade da infestação.

Reprodução

A joaninha-dos-7-pontos é uma espécie polígama que se reproduz com vários parceiros a cada estação de acasalamento. Este processo é realizado no verão e na primavera, embora algumas populações possam estendê-lo até o outono.

O acasalamento é simples, os machos se aproximam das fêmeas e as “cortejam” esfregando suavemente suas antenas. Se tudo correr bem e a fêmea aceitar a insinuação, o macho a monta e a fertiliza. Em média, cada indivíduo repete esse mesmo processo 4 ou 6 vezes ao dia com espécimes diferentes. Isso garante a fertilização dos ovos e aumenta a taxa de reprodução da espécie.

Normalmente, a fêmea põe cerca de 15 ovos por estação e entre 200 e 500 em toda a sua vida. De fato, para evitar uma luta por recursos, a maioria das fêmeas tende a selecionar áreas onde não há ovos postos por seus pares. Assim, elas maximizam a taxa de sobrevivência e reduzem a probabilidade de canibalismo.

Uma joaninha em uma folha.
Coccinella septempunctata.

Como você pôde ver, a joaninha-dos-7-pontos é uma espécie bastante interessante que tem estado na mira dos cientistas e da população em geral. Isso porque além de ser um invertebrado muito bonito, também pode ser usado como agente de controle biológico de pulgões que afetam as lavouras. Apesar de pequena, é bastante valiosa para as pessoas e para o ecossistema.


Todas as fontes citadas foram minuciosamente revisadas por nossa equipe para garantir sua qualidade, confiabilidade, atualidade e validade. A bibliografia deste artigo foi considerada confiável e precisa academicamente ou cientificamente.


  • Angalet, G. W., Tropp, J. M., & Eggert, A. N. (1979). Coccinella septempunctata in the United States: recolonizations and notes on its ecology. Environmental Entomology, 8(5), 896-901.
  • Marples, N. M., van Veelen, W., & Brakefield, P. M. (1994). The relative importance of colour, taste and smell in the protection of an aposematic insect Coccinella septempunctata. Animal Behaviour, 48(4), 967-974.
  • TRILTSCH, H. (1999). Food remains in the guts of Coccinella septempunctata (Coleoptera: Coccinellidae) adults and larvae. European Journal of Entomology, 96(4), 355-364.
  • Hodek, I., & Michaud, J. P. (2013). Why is Coccinella septempunctata so successful?(A point-of-view). EJE, 105(1), 1-12.
  • SRIVASTAVA, S. (2013). The reproductive behaviour of an aphidophagous ladybeetle, Coccinella septempunctata (Coleoptera: Coccinellidae). EJE, 99(4), 465-470.
  • Bauer, T. (2013). “Coccinella septempunctata” (On-line), Animal Diversity Web. Recuperado el 30 de noviembre de 2022, disponible en: https://animaldiversity.org/accounts/Coccinella_septempunctata/

Este texto é fornecido apenas para fins informativos e não substitui a consulta com um profissional. Em caso de dúvida, consulte o seu especialista.