Mare Nostrum: por que cuidar dos oceanos é mais importante do que nunca

maio 17, 2019
Atualmente, os oceanos recebem cerca de 12 milhões de toneladas de plástico por ano, o que prejudica gravemente o ecossistema marinho.

Nossos oceanos abrigam mais de 700 mil espécies diferentes. Apesar disso, o Green Peace estima que menos de 3% delas estão protegidas. A normativa internacional tem sua parcela de responsabilidade, embora cada um de nós tenha que cuidar dos oceanos da melhor forma possível.

O lamentável estado atual dos ecossistemas marinhos

Segundo o Green Peace, 97% do habitat habitável de nosso planeta está sob as águas dos nossos oceanos. Eles não apenas são o lar de mais de 700 mil espécies diferentes de seres vivos, mas também desempenham um papel essencial para a existência da vida humana na Terra.

Atualmente, estima-se que 12 milhões de toneladas de plástico cheguem aos oceanos anualmente. Este número assustador enche os mares de sacolas plásticas, garrafas e micropartículas que prejudicam cada vez mais a qualidade de vida das espécies marinhas, e colocam em perigo a sobrevivência em um entorno que deveria ser natural e seguro.

Poluição nos oceanos

As correntes oceânicas espalham o plástico por todos os cantos do planeta, fazendo com que uma sacola plástica procedente da Europa possa acabar no Oceano Pacífico. Cada um dos níveis da cadeia alimentar marinha estão sendo gradativamente afetados pelo plástico, sem que ninguém pareça fazer nada para evitar esta situação.

A luta para cuidar dos oceanos e defender a vida marinha

A Global Ocean Commission, uma iniciativa internacional que buscava aumentar a conscientização da população e promover planos de ação para melhorar a saúde dos oceanos, emitiu um comunicado em 2015 no qual estimou que o plástico que chega a nossas águas alcançaria a marca de 500 milhões de toneladas em 2020.

Diante destes dados, devemos focar a conservação e utilização sustentável dos oceanos, mares e recursos obtidos deles. Para o Green Peace, a forma mais eficaz de preservar os ecossistemas mais vulneráveis é a criação de uma rede de santuários marinhos.

Barco do Green Peace

Os santuários marinhos permitem a criação de um espaço de proteção das espécies, possibilitando sua reprodução e desenvolvimento afastados da exploração industrial, da poluição e dos efeitos do aquecimento global.

Embora ainda não existam tratados internacionais cuja meta seja exclusivamente cuidar dos oceanos, o Green Peace está trabalhando para que a conscientização dos cidadãos chegue às instituições.

O que podemos fazer para cuidar dos oceanos?

Embora a longo prazo seja necessário um acordo institucional que leve a proteção do meio ambiente ao próximo nível, há pequenas coisas que todos podemos fazer para ajudar a aliviar a carga de resíduos que produzimos.

Mulher varrendo praia

  • Se você consome peixe, tente comprar as variedades da estação que provenham de criadouros sustentáveis ou do comércio local.
  • Use sacolas de tecido ou mochilas em vez das tradicionais sacolas plásticas.
  • Quando estiver fora de casa, use seus próprios talheres, e não os de plástico oferecidos por muitos estabelecimentos.
  • Existem alguns cosméticos que utilizam microesferas de plástico em sua composição, que normalmente são de polietileno, polipropileno e nylon. Elas costumam ser encontradas em produtos esfoliantes. Você pode substituí-los por versões caseiras com mel, açúcar e aloe vera, que são mais baratas e menos prejudiciais para o meio ambiente.