7 curiosidades sobre as abelhas

setembro 30, 2019
Se não fosse pela polinização, 90% dos cultivos de alimentos que consumimos simplesmente não existiriam.

Existem algumas curiosidades sobre as abelhas que poucos conhecem. Para começar, acredita-se que este seja o ser vivo mais importante para o ser humano: 90% dos cultivos que abastecem a humanidade são polinizados por este inseto voador.

Elas podem reconhecer seu rosto e o de outras abelhas

Desde 2010, sabe-se que as abelhas podem reconhecer características faciais. Alguns testes levaram os cientistas a descobrir que elas podiam reconhecer outras abelhas da sua colmeia. Elas têm essa peculiaridade apesar de terem um cérebro com menos de um milhão de células cerebrais.

O surpreendente é que essa função também lhes permite reconhecer rostos humanos. Aparentemente, seu cérebro funciona de maneira semelhante ao nosso nesse aspecto. Elas enxergam e são capazes de agrupar características faciais para saber quem é quem.

A abelha também é um animal individualista

A subdivisão do trabalho dentro da colmeia sempre foi um exemplo de obediência e cooperativismo. O ser humano usou essa organização para justificar todos os tipos de ideias políticas. No entanto, ficou provado que as abelhas também são individualistas.

Sua inteligência e vontade de tomar suas próprias decisões garantem isso. Dentro da colmeia, todos têm seu trabalho, mas fora, mostram comportamentos diferentes, de acordo com os cientistas.

Seu valor e a maneira de enfrentar as dificuldades são um pouco diferentes entre cada exemplar, como se tivessem a sua própria personalidade.

Abelha em flor

Uma das curiosidades sobre as abelhas é que elas sabem contar

Esta talvez seja uma das curiosidades mais particulares sobre as abelhas. De acordo com alguns testes, se uma abelha vê quatro marcas, pode contá-las, lembrar delas e ir para onde houver comida. Isso mostra que elas têm consciência das quantidades.

Esses insetos não sabem apenas como organizar quantidades numéricas. De fato, existem cientistas que acreditam que elas entendem o valor ‘zero’ ou a ausência de uma quantidade. O que elas costumam contar? Basicamente, animais concorrentes e alimentos.

A abelha-rainha vive mais do que o resto

As abelhas-rainhas têm a qualidade da fertilidade, acima das demais trabalhadoras. Sua composição e cuidado as levam a ter uma possibilidade de vida que se estende até seis anos. Obviamente, sua média de vida habitual é de três anos.

Por outro lado, o restante das abelhas geralmente vive no máximo três meses. Elas são as que se expõem e saem da colmeia, voam e obtêm o pólen. É óbvio que existem diferenças sociais marcantes na sua sociedade.

Curiosidades sobre as abelhas: o veneno desses animais cura

Quando as abelhas ferroam, elas liberam um veneno que causa inchaço na pele. Apesar de doloroso, este veneno é usado para tratar pelo menos 500 doenças humanas. Esta substância é conhecida como apitoxina.

Abelha picando ser humano

Os remédios de quase todas as doenças respiratórias e ósseas têm essa substância como componente. Doenças tão complicadas quanto a doença de Alzheimer são tratadas com a ajuda dessa substância.

Acredita-se que a base para a possível cura da AIDS esteja nos ferrões desses insetos.

Curiosidades sobre as abelhas: elas se automedicam

Quando uma colmeia é atacada por fungos, as abelhas trabalhadoras carregam grandes quantidades de própolis. Esta é uma substância que elas criam a partir das resinas de árvores e plantas e é um antibiótico natural.

Quando os fungos aparecem, as abelhas em uma colmeia geralmente carregam até 45% a mais dessa substância. Outra medida que elas tomam é remover as larvas que foram contaminadas. Dessa forma, elas parecem saber como agir contra as epidemias em sua sociedade.

A abelha-rainha tem vários amantes

É verdade que o zangão escolhido deve ter boas qualidades reprodutivas para ser considerado para a procriação. No entanto, uma abelha-rainha não escolhe apenas um; na verdade, ela procria com vários.

Existem espécies de abelhas que têm até 63 pares reprodutivos. Além disso, acredita-se que a promiscuidade desse animal esteja associada à diversidade genética e resistência a doenças. Quanto maior a diversidade sexual, mais a colmeia estará protegida.

Ainda há muitas curiosidades e perguntas a serem feitas sobre esses insetos maravilhosos. Cuidar deles parece ser uma prioridade para garantir a vida da espécie humana. Enquanto isso, eles continuam produzindo mel e exibindo a sua inteligência e organização social.

  • Apolo.entomologica.es. La abeja doméstica. Extraído de: http://apolo.entomologica.es/cont/materiales/Triptico_Apis_mellifera_nivel2.pdf
  • RAFAEL VALDERRAMA HERNÁNDEZ. 2003 Aspectos toxinológicos y biomédicos del veneno de las abejas Apis mellifera. Extraído de: http://www.scielo.org.co/pdf/iat/v16n3/v16n3a3.pdf