10 curiosidades sobre os corvos

Os corvos são animais com uma reputação nada lisonjeira, mas essa percepção não é bem fundamentada. Sua inteligência e personalidade vão surpreender você.
10 curiosidades sobre os corvos

Última atualização: 07 Setembro, 2021

As curiosidades sobre os corvos vão muito além de sua suposta associação com eventos de mau agouro e sua relação com entidades malignas, como bruxas, demônios ou a própria morte. Sua plumagem, seu bico e seus olhos negros geraram, em igual medida, lendas e temores na cultura humana, mas hoje essas aves se destacam por algo muito mais louvável: sua inteligência.

Nos últimos anos, foi demonstrado que os corvos têm um aprendizado complexo, que cooperam uns com os outros para alcançar objetivos comuns e que até são capazes de distinguir entre competidores experientes e novatos. Mergulhe conosco na inteligência dessas belas e misteriosas aves, enquanto apresentamos 10 curiosidades sobre os corvos nas linhas a seguir.

1. Todos os corvos pertencem a um mesmo grupo

Antes de falar sobre a inteligência dessas aves, é necessário enquadrá-las do ponto de vista genético. Quando dizemos a palavra “corvo” não estamos realmente nos referindo a uma espécie específica, mas estamos englobando 45 representantes do gênero Corvus, por sua vez localizado na família Corvidae.

Todos esses animais intimidadores também pertencem à ordem dos Passeriformes, por isso eles partilham o grupo com canários, pardais, pintassilgos e todos os pássaros canoros. O corvo mais comum na cultura geral é o Corvus corax, pois está homogeneamente distribuído por todo o hemisfério norte.

Existem até 8 subespécies de Corvus corax. Suas distinções físicas são mínimas, mas o segredo para a diferenciação está nos genes.

2. Eles têm formas corporais semelhantes

Os corvos são considerados pássaros de tamanho médio. Contudo, há diferenças notáveis entre seus representantes: a espécie mexicana Corvus imparatus registra cerca de 34 centímetros de comprimento máximo, enquanto o Corvus crassirostris, endêmico do chifre da África, atinge facilmente 70 centímetros e 1,5 quilo de peso.

No que diz respeito à aparência, todas as espécies são esbeltas e robustas, com uma cabeça pequena que tem um bico cônico muito grande e chamativo. A plumagem é preto-metálico com flashes iridescentes, mas há espécies que fogem a essa regra. Por exemplo, o Corvus cornix apresenta quase todo o dorso e o ventre em tons de creme, com manchas pretas na cabeça, no pescoço, nas asas e na cauda.

 

Você quer conhecer 10 curiosidades sobre os corvos?

3. Espécies de distribuição cosmopolita

Os corvos habitam todas as regiões temperadas do mundo, com exceção da América do Sul e algumas ilhas remotas. Como já dissemos nas linhas anteriores, o Corvus corax é a espécie mais famosa de todas, uma vez que pode ser encontrado praticamente em toda a Ásia, América do Norte e grande parte da Europa, conforme indicam os mapas de distribuição.

A maioria das espécies de corvos prefere ambientes abertos. De qualquer modo, eles podem ser encontrados em praticamente todos os ecossistemas, exceto florestas tropicais.

4. Os corvos são capazes de usar ferramentas

Uma vez introduzidos como gênero, agora é hora de falar sobre a incomum inteligência dessas aves. Até recentemente, o uso de ferramentas para benefício próprio era considerado exclusivo dos hominídeos, mas os corvos e outras aves evolutivamente complexas mostraram que essa concepção  está incorreta.

Segundo estudos, a espécie Corvus moneduloides é a que mais se destaca nessa área. Foi demonstrado que esse corvo pode fabricar 2 tipos de ferramentas básicas a partir dos ramos (arrancando as folhas e deixando apenas a ponta curva), a fim de obter um “gancho” para recolher larvas e invertebrados das rachaduras das árvores e dos solos.

Curiosamente, os corvos usam suas ferramentas de maneira diferente na casca de árvore e no substrato.

5. São capazes de distinguir as capacidades de seus concorrentes

Pesquisas recentes mostraram que a inteligência dos corvos vai além de sua habilidade de fazer ferramentas, pois eles se comportam de forma diferente dependendo das habilidades de seus concorrentes. Nesse cenário, eles são capazes de defender sua alimentação de uma forma ou de outra com base nos comportamentos observados em seus antagonistas.

Nesse experimento citado, observa-se como os corvos storers (que armazenam seus alimentos) se comportam diante dos pilfers (que tentam roubar os alimentos). Surpreendentemente, aqueles que guardam seus nutrientes se lembram daqueles que os roubaram no passado e agem com mais suspeita e cautela contra ladrões que sabem que são mais experientes.

6. Alguns corvos podem pescar!

Uma das curiosidades mais inesperadas sobre os corvos é que algumas espécies (como o Corvus cornix) são capazes de “pescar”. Embora não utilizem ferramentas para isso, eles associaram a presença de alimentos à chegada de peixes à superfície. Por isso, os na água dos lagos pedaços de pão que encontram em terra e, quando chega um peixe faminto, aproveitam para caçá-lo.

7. Uma dieta variada

Os corvos são principalmente necrófagos. Eles comem um grande número de alimentos de origem animal, incluindo artrópodes, anfíbios, pequenos mamíferos, aves, répteis e carniça. Também são famosos por se alimentarem de recém-nascidos de muitas espécies e dos próprios vermes e invertebrados que crescem na carne morta.

Além da carne de origem animal, eles também complementam sua dieta com grãos, sementes e outros compostos vegetais. Uma curiosidade sobre os corvos australianos é que eles aprenderam a caçar sapos tóxicos que invadem a região (Rhinella marina), virando-os ao avesso e acessando suas entranhas sem entrar em contato com as glândulas venenosas que possuem.

8. Têm uma excelente memória

Outra curiosidade sobre os corvos é que eles se lembram de eventos passados, pelo menos a médio prazo. Eles armazenam seus alimentos em áreas escondidas e, com o passar do tempo, são capazes de se lembrar do esconderijo e retornar a ele com precisão. Além disso, também foi demonstrado que eles são capazes de reconhecer rostos humanos e relacioná-los a comportamentos específicos.

Além disso, essas aves são capazes de transmitir seus conhecimentos aos seus filhotes.

9. Os corvos são animais muito vocais

Conforme indicado pelo site Animal Diversity, os corvos usam seus tons de voz para transmitir uma grande variedade de mensagens. A espécie Corvus corax é o melhor exemplo disso, pois foi registrado o uso de 15 a 33 tipos diferentes de gritos dependendo da situação. Essas aves emitem vocalizações de chamado, alerta, segurança e delimitação territorial.

Além da voz, os corvos também usam sua plumagem e forma física para transmitir mensagens, principalmente quando outro espécime usurpa seu território. Eles se relacionam com o ambiente por meio de sons, mas também fazem uso de sinais visuais, químicos e táteis.

10. São espécies que gozam de uma boa saúde geral

A maioria dos corvos está listada na categoria “Pouco Preocupante (LC)” na Lista Vermelha da UICN. Como são animais extremamente inteligentes e generalistas, eles se adaptaram bem ao ambiente humano e às modificações antrópicas. No entanto, isso não significa que não precisem de proteção global e regional.

Por exemplo, a espécie Corvus hawaiiensis foi recentemente declarada extinta na natureza. O desmatamento e a transformação da terra foram vitais para o seu declínio populacional, embora agentes infecciosos (como a malária aviária) também expliquem seu desaparecimento. Os corvos são espertos, mas não invencíveis.

 

Conheça 10 curiosidades sobre os corvos

Como você deve ter visto nessas linhas, as curiosidades sobre os corvos são múltiplas. Eles se destacam por sua inteligência incomum, mas também é interessante conhecer seus hábitos alimentares e suas habilidades de comunicação, entre muitas outras coisas. Não deixe de procurar documentários sobre eles, pois são um dos tipos de aves mais estudados no campo cognitivo.

Pode interessar a você...
Os corvos e a sua capacidade cognitiva
Meus AnimaisLeia em Meus Animais
Os corvos e a sua capacidade cognitiva

Os corvos mostram uma capacidade cognitiva comparável à de várias espécies de primatas. Vamos apresentar dados que comprovam essa afirmação.



  • Loretto, M. C., Fraser, O. N., & Bugnyar, T. (2012). Ontogeny of social relations and coalition formation in common ravens (Corvus corax). International journal of comparative psychology/ISCP; sponsored by the International Society for Comparative Psychology and the University of Calabria, 25(3), 180.
  • Seed, A. M., Clayton, N. S., & Emery, N. J. (2008). Cooperative problem solving in rooks (Corvus frugilegus). Proceedings of the Royal Society B: Biological Sciences, 275(1641), 1421-1429.
  • Fritz, J., & Kotrschal, K. (1999). Social learning in common ravens, Corvus corax. Animal Behaviour, 57(4), 785-793.
  • Bugnyar, T., & Heinrich, B. (2005). Ravens, Corvus corax, differentiate between knowledgeable and ignorant competitors. Proceedings of the Royal Society B: Biological Sciences, 272(1573), 1641-1646.