Quais são os diferentes tipos de bico das aves?

maio 1, 2020
Os diferentes tipos de bico das aves são uma das principais diferenças entre as espécies. Eles mudam de acordo com a alimentação do animal.

Sem muito esforço, podemos nomear diferentes tipos de bico das aves. Existem bicos mais curvos ou retos, mais longos ou mais curtos, mais ‘achatados’ ou com maior relevo. Você sabe o que causa essas diferenças? A alimentação de cada espécie! Descubra tudo neste artigo.

Os tipos de bico das aves

Certamente você já leu ou ouviu a frase “a natureza é sábia”, o que não poderia ser mais verdadeiro. A cada dia, ficamos mais convencidos de que cada espécie tem o que precisa e tira o máximo de proveito.

Cada animal é dotado de atributos físicos que lhe permitem interagir com o ambiente. As aves não são uma exceção e, por isso, podemos encontrar diferentes tipos de bico.

A razão pela qual um falcão não tem o mesmo bico que um beija-flor tem a ver com a alimentação de cada espécie: carniça e néctar, respectivamente. Se todos tivessem o mesmo bico, as suas dietas seriam idênticas. E isso não é possível, já que eles não vivem nos mesmos ecossistemas.

Quais são os tipos de bico das aves?

Podemos falar de uma grande variedade de tipos de bico das aves (deixando de fora os outros animais que também os possuem):

1. Em forma de gancho

São encontrados em aves necrófagas ou de rapina, pois elas precisam rasgar e puxar a carne dos animais que caçam ou encontram. O bico é fortemente preso ao crânio e é uma das suas características distintivas, pois também costuma ser de uma cor marcante em relação ao restante do corpo. Por exemplo, a águia americana tem um grande bico amarelo.

Os diferentes tipos de bico das aves: gancho

2. Triangular e pequeno

As aves granívoras se alimentam principalmente de pequenas sementes e isso se reflete nos seus bicos, que têm um tamanho pequeno, mas que se encaixam perfeitamente com o restante do corpo.Os diferentes tipos de bico das aves: triangular

Canários, pardais e pintassilgos são alguns exemplos dos menores tipos de bico existentes. No entanto, são robustos e conseguem quebrar as sementes sem problemas.

3. Curvo

Podem ser comparados aos bicos das aves de rapina, mas são menos fortes e terminam em uma ponta mais afiada. O motivo é simples: são usados para abrir frutas e extrair a polpa ou a semente de dentro delas.Bicos curvos: araras

Araras, papagaios, periquitos e cacatuas têm um bico curvo que também serve para que elas se pendurem de cabeça para baixo nos galhos.

4. Alongado

Nesse caso, estamos nos referindo ao bico que as aves insetívoras possuem. Essas espécies – entre elas, o pica-pau, a andorinha e o andorinhão-preto – geralmente caçam sua comida durante o voo ou introduzem os bicos em buracos profundos – por exemplo, em um galho de árvore – para obter alimento.

Pica-pau: bico alongado

5. Em forma de ‘espátula’

As aves limícolas são aquáticas e têm bicos de diferentes formas e tamanhos, mas que atendem a duas condições: ser flexível e longo. Dessa forma, elas podem procurar a comida no fundo da água sem precisar mergulhar a cabeça.

os diferentes tipos de bico das aves

6. Em forma de agulha

Dentro da família dos nectarívoros, destacamos o beija-flor, cujo bico alongado e um pouco curvado lembra uma agulha de costura. Com ele, essa pequena ave pode se alimentar do néctar das flores ‘tubo’.

Os diferentes tipos de bico das aves: alongado

Outros tipos de bicos

Também podemos encontrar outros tipos mais específicos de bico, como, por exemplo, o dos pelicanos: eles têm uma espécie de ‘bolsa’ flexível na parte inferior que permite armazenar os peixes depois de pegá-los com uma grande abocanhada.

E não podemos nos esquecer das aves filtradoras e seus bicos longos e curvos, como os dos flamingosEles servem para eliminar a água e os sais e separá-los dos alimentos.

Sem dúvida, quando se trata de aves, uma frase que se encaixa perfeitamente é: “Diga-me que tipo de bico você tem e eu direi como você se alimenta”.

  • Gil Cano, F. (2011). Anatomía específica de aves: Aspectos funcionales y clínicos. Universidad Docente de Anatomía y Embriología. https://doi.org/10.1017/CBO9781107415324.004