Dugongos: comportamento e reprodução

· abril 6, 2019
O dugongo foi catalogado como uma espécie em via de extinção; os cientistas determinaram que, em cerca de 40 anos, terá desaparecido da face da Terra. São caçados por sua carne e gordura, muito apreciada nos mercados do Oceano Índico.

Os Dugongos pertencem à família Dugongidae, que também engloba o peixe-boi e a extinta vaca-marinha-de-steller.

É possível localizá-lo no litoral dos oceanos Índico e Pacífico, nas Ilhas Salomão, nas ilhas Hainan, na China, nas ilhas Ryukyu do Japão e na costa da África Oriental.

Também conhecidos como dugongos, concentram-se principalmente em golfos baixos, abrigados por grandes ilhas interiores e em extensos canais de mangues, lugares que coincidem com formidáveis ​​leitos de ervas marinhas.

A caça ilegal e implacável desta espécie marinha, somada ao número de acidentes produzidos pelas hélices dos barcos e pelos Dugongos que ficam presos nas redes de arrasto, prejudica a conservação deste animal.

Somente na Austrália, controles governamentais foram estabelecidos para protegê-los.

Como os Dugongos se comportam?

Este sirênio passa a maior parte de sua vida em áreas marinhas com temperaturas acima de 20°C. Eles preferem águas rasas e onde a vegetação é abundante.

Alimentam-se principalmente de gramíneas e algas marinhas, que procuram durante a noite, nas costas onde vivem.

Ao contrário dos peixes-boi, eles não gostam de água doce. Normalmente vivem em casal ou em pequenos grupos; embora existam relatos de grupos de 100 dugongos comendo no mesmo lugar.

Eles são ótimos nadadores, capazes de submergir por 15 minutos, mas geralmente não ultrapassam 10 metros de profundidade.

Também são bastante silenciosos e, possivelmente, até mesmo um pouco lentos. Ocasionalmente, se comunicam por meio de um apito curto.

dugongo no mar

Sua morfologia e comportamento fizeram do Dugongo uma inspiração de personagens lendáriosNão por acaso, o termo “Dugongo” vem da palavra malaia que significa sereia.

Segundo os marinheiros, as histórias sobre sereias nasceram de momentos em que os dugongos emergiram da água exibindo suas cabeças e ombros para alimentarem seus filhotes.

Hábitos de reprodução dos dugongos

Dugongo tem uma expectativa de vida de cerca de 50 anos e atinge a maturidade sexual entre 9 e 15 anos de idade.

Eles acasalam em qualquer época do ano, embora a maioria dos nascimentos ocorra entre julho e setembro.

As primeiras ninhadas tendem a ocorrer aos 10 anos de idade e os nascimentos seguintes ocorrem em intervalos de três a cinco anos. O período de gestação é superior a 12 meses e as fêmeas amamentam por cerca de um ano e meio.

A amamentação ocorre de um modo semelhante a dos humanos; já que as fêmeas possuem dois mamilos entre as barbatanas, de onde filhotes sugam o alimento. Isso acontece fora da água, quando eles mostram o tronco enquanto seguram o bebê.

As brigas entre os machos da espécie são frequentes na estação de calor. Estes apresentam um certo dimorfismo sexual, ao exibir presas em seu estágio adulto semelhantes às dos elefantes.

dugongo no leito do mar

Características físicas

O dugongo é menor que o peixe-boi e, além disso, difere do mesmo quanto ao formato de sua nadadeira, que é semelhante à dos cetáceos.

Tem uma excelente estrutura óssea, com ausência de extremidades inferiores, e tem uma cauda semelhante à dos golfinhos e baleias.

A pele é bastante espessa, de cor acinzentada, e, em alguns indivíduos, pode ter um tom marrom. Há exemplares que atingem cerca de quatro metros de comprimento e alcançam cerca de 200 quilos ou mais.

A ausência de dentes molares deu-lhes a capacidade de usar os lábios para esmagar as ervas marinhas que eles usam como alimento.

Seus olhos são bem pequenos em relação ao seu corpo e os ouvidos não possuem protuberâncias externas.

Além disso, os pulmões estão localizados na posição dorsal e funcionam como uma espécie de flutuador. Destaca-se, entre suas características, o fato de não possuírem nem medula e nem costelas.

Espécie em ameaça

A alta taxa de mortalidade não natural desses mamíferos é amplamente produzida pela intervenção humana.

Tanto a carne como a gordura deste animal é muito valorizada na região, o que motiva os nativos a intervir em seu habitat e caçá-los indiscriminadamente.

Além disso, os tubarões e as baleias assassinas são seus predadores naturais e, também, há a baixa taxa de natalidade da espécie.

Por essa razão, os especialistas insistem em dizer que os dugongos serão extintos nos próximos 40 anos.

Organizações de proteção animal incluem o Dugongo em seus protestos anuais e pronunciamentos. No entanto, parece que esses esforços isolados são ofuscados pela ganância dos humanos.

https://www.nationalgeographic.com/animals/mammals/d/dugong/?user.testname=photogallery:2

https://en.wikipedia.org/wiki/Dugong