O escorpião Androctonus bicolor: habitat e características

O escorpião preto de cauda gorda é um dos mais mortíferos da Terra. Vive em áreas áridas e prefere solos com muito pouca umidade e altas temperaturas.
O escorpião Androctonus bicolor: habitat e características

Última atualização: 21 Abril, 2021

O escorpião Androctonus bicolor é um quelicerado da família Buthidae. Esses animais vivem no norte e oeste da África e no Oriente Médio, mas suportam uma gama relativamente ampla de habitats, desde que as temperaturas não fiquem muito baixas. Esses artrópodes são típicos de áreas áridas e semiáridas.

Existem mais de 1500 espécies de escorpiões no mundo, das quais apenas cerca de 25 são consideradas realmente perigosas para os humanos. O Androctonus bicolor ocupa um pódio duvidoso, pois é um dos escorpiões mais venenosos da Terra. Se você quiser saber tudo sobre esse invertebrado letal, continue lendo.

Características do Androctonus bicolor

Como já dissemos, esse escorpião pertence à família Buthidae. Esse agrupamento inclui 96 gêneros e 1230 espécies de escorpiões, o que o torna o maior táxon dentro desse grupo de artrópodes. Esses animais estão presentes nas zonas quentes de toda a Terra, com exceção da Antártica e da Nova Zelândia.

São conhecidas cerca de 20 espécies de escorpiões que são letais para os humanos e, curiosamente, apenas uma delas está fora da família Buthidae. Esses escorpiões vivem em regiões áridas onde a comida é escassa, então eles não podem permitir que suas presas escapem sob nenhuma circunstância. Por esse motivo, seu veneno tem propriedades mortais.

A espécie Androctonus bicolor é um escorpião totalmente preto que chega a medir 9 centímetros de comprimento. Sua constituição física é mais robusta – mais do que a da maioria dos escorpiões – e ele pode ser diferenciado de outras espécies pela espessura atípica de sua cauda e seu ferrão. Suas garras (pedipalpos) são finas e terminam em tons acastanhados.

Pessoas conhecedoras desse animal têm um ditado muito curioso: quanto menores as garras de um escorpião, certamente pior será seu veneno.

Um par de espécimes adultos em cortejo.

Habitat e comportamento

Esse escorpião habita áreas áridas e semiáridas da África e do Oriente Médio. São invertebrados que podem ser localizados em ambientes com temperaturas que variam de 30° C a 35° C durante o dia, pois é a faixa térmica em que eles crescem e se desenvolvem de forma mais eficaz. Lembramos que são animais ectotérmicos e, portanto, não podem gerar calor.

No que diz respeito à demanda de água, esses artrópodes não toleram bem uma umidade relativa superior a 50%. Os escorpiões dessa espécie vivem nas periferias de áreas desérticas e em locais com solo arenoso, onde podem se enterrar e a exposição à água é muito limitada. Portanto, eles obtêm todo o líquido de que precisam de suas presas.

Esses escorpiões se alimentam de vários tipos de insetos, pequenos vertebrados e até mesmo outros escorpiões. Como muitos outros aracnídeos, eles podem passar vários meses sem comer, pois sua taxa metabólica é extremamente baixa e eles saem apenas o suficiente de suas tocas.

Com seu veneno, esses invertebrados paralisam as presas e as matam rapidamente. Como só podem digerir líquidos, eles rompem os segmentos sólidos do animal com suas quelíceras e se alimentam de seus líquidos internos. Como já dissemos, seu veneno é um dos mais poderosos da Terra, pelo menos dentro da ordem Scorpiones.

O veneno do Androctonus bicolor: um dos mais letais

A. bicolor é um dos escorpiões mais venenosos do planeta, mas curiosamente até agora se conhecia muito pouco sobre a composição de suas toxinas. Estudos publicados no Journal of proteomics tentam elucidar o que torna o veneno desse animal tão especial. Entre suas descobertas, destacamos o seguinte:

  • 103 novos peptídeos venenosos foram descobertos nessa espécie. Eles são formados por pequenas sequências de aminoácidos, como as proteínas. Alguns deles são semelhantes a NaTx, KTx e CaTx.
  • Apenas 3 dos peptídeos identificados nesse escorpião também estão presentes no veneno analisado de outros escorpiões.
  • Esses peptídeos são neurotóxicos, ou seja, atuam no Sistema Nervoso Central (SNC) do vertebrado que recebe a picada. Isso causa uma paralisia nervosa letal, já que em última instância a respiração adequada é impedida e o paciente morre de insuficiência respiratória.

Além disso, esse veneno tem propriedades para desequilibrar a homeostase orgânica. A picada causa hipomagnesemia – falta de magnésio – no corpo, que por sua vez resulta em uma concentração excessivamente alta de potássio no sangue. Isso causa náuseas, respiração irregular, fraqueza muscular e dormência, entre outros sintomas.

Em alguns casos, as picadas se mostram fatais entre 5 e 15 horas.

Um escorpião Androctonus bicolor

Como você viu, estamos falando de um escorpião do qual é melhor manter distância. O Androctonus bicolor é um caçador fascinante e de cores intensas, mas melhor apreciado a alguns metros de segurança.

Pode interessar a você...
Venenos como medicamentos: poder peçonhento
Meus AnimaisLeia em Meus Animais
Venenos como medicamentos: poder peçonhento

Os venenos apresentam uma variedade incrivelmente complexa de compostos desenvolvidos ao longo de vários milênios de evolução.



  • Androctonus bicolor, recogido a 8 de abril en https://sites.google.com/site/newyorkinverts/androctonusbicolor
  • Abd El, F. E. Z. A., El Shehaby, D. M., Elghazally, S. A., & Hetta, H. F. (2019). Toxicological and epidemiological studies of scorpion sting cases and morphological characterization of scorpions (Leiurusquin questriatus and Androctonus crassicauda) in Luxor, Egypt. Toxicology reports, 6, 329-335.
  • Zhang, L., Shi, W., Zeng, X. C., Ge, F., Yang, M., Nie, Y., … & Guoji, E. (2015). Unique diversity of the venom peptides from the scorpion Androctonus bicolor revealed by transcriptomic and proteomic analysis. Journal of proteomics, 128, 231-250.