Esquilos: conheça os tipos e suas características

· julho 13, 2018
Esses roedores destacam-se por sua aparência cativante e por sua notável agilidade e destreza ao subirem em árvores e passarem de um galho para outro. O porte físico pequeno e leve permite que eles ganhem velocidade rapidamente. Além disso, a cauda chamativa não é um mero ornamento, mas serve para estabilizar seus movimentos.

Os esquilos são tão adoráveis que conseguiram conquistar até mesmo as telonas do cinema. Poucas pessoas sabem, mas usamos o termo “esquilo” para chamar popularmente várias espécies desses lindos roedores. Agora, veremos os diferentes tipos de esquilos, suas principais características e habitat natural.

Esquilo: taxonomia e características físicas

O esquilo é um pequeno mamífero roedor pertencente à família Sciuridae, que inclui cerca de 500 espécies. Eles estão presentes em todos os continentes, com exceção da Austrália e da Antártida. São animais fortes e resistentes cujo corpo está preparado para sobreviver a mudanças e adversidades climáticas.

Esses roedores têm um tamanho mediano, com uma altura média de 30 centímetros e uma pelagem abundante em tons de marrom ou vermelho. Seu corpo é pequeno e fino para permitir que ganhe velocidade sem perder a destreza. Além disso, suas pernas são muito fortes para poderem arranhar o chão e, assim, coletar frutas e sementes.

Uma de suas características físicas mais marcantes é a longa cauda chamativa e coberta por um pelagem volumosa. Essa característica é que lhe dá uma aparência “fofa”. De fato, a cauda de um esquilo adulto mede quase o mesmo que seu corpo. Ou seja, ela pode facilmente passar dos 25 centímetros de comprimento.

Por fim, vale ressaltar que a cauda desempenha um papel fundamental no dia a dia dos esquilos. Sua principal função é permitir que esses roedores se estabilizem tanto em movimento quanto em repouso. Além disso, ela também ajuda a melhorar a mobilidade e velocidade, bem como otimizar os saltos entre as árvores.

Tipos de esquilos: as quatro espécies mais populares

Como mencionamos, cerca de 500 espécies diferentes de esquilos são conhecidas e estão distribuídas por todo o planeta. Aqui vamos conhecer as espécies mais importantes:

Esquilo-vermelho (Sciurus vulgaris)

O esquilo-vermelho, também conhecido como esquilo-vermelho-eurasiático, vive principalmente nas florestas da Europa. Eles possuem o corpo alongado e leve, medindo entre 20 e 30 centímetros; seu peso corporal fica entre 18 e 36 gramas. Sua cauda é muito longa, com a pelagem fofa característica. Em toda a sua pelagem há uma bela cor avermelhada, o que explica o seu nome mais popular.

Esquilo vermelho

Essa espécie também se destaca por seu excelente sentido de visão. Esse animal é capaz até mesmo de mergulhar debaixo de água fria. Mantém uma dieta onívora composta principalmente de sementes, brotos, pinhões e frutas vermelhas. Quando a comida é escassa, os esquilos também podem consumir pequenos animais invertebrados.

O esquilo vermelho não hiberna, mas mantém o hábito de armazenar alimentos antes da chegada do inverno. Dessa forma, garante a sua nutrição e pode economizar energia para manter a temperatura do corpo.

Atualmente, o esquilo vermelho é uma das espécies classificadas como “de preocupação menor”. Originalmente, havia mais de 40 subespécies de esquilos vermelhos em toda a Europa. Atualmente, podemos encontrar apenas 23 dessas 40 subespécies nessas florestas.

Tâmia 

Algumas das espécies mais populares são os esquilos listrados. Podemos reconhecê-los em muitas histórias e filmes infantis. Eles habitam principalmente as florestas da América do Norte, onde são conhecidos como tâmias.

Eles são menores e mais robustos que os esquilos vermelhos e medem entre 14 e 19 centímetros, com peso médio de 100 gramas. Seu corpo exibe listras pretas e creme intercaladas umas com as outras. Eles têm um crânio afilado, com pequenas orelhas arredondadas.

Esquilo tâmia

É um dos tipos de esquilos que hibernam por muito tempo: “dormem” de outubro a abril. Mantêm hábitos diurnos e vivem principalmente no solo, embora geralmente escalem árvores para procurar comida. Fazem suas pequenas cavernas na terra, cavando buracos rasos dedicados em parte à reserva de alimentos.

Esquilo-da-Sibéria

Também conhecida como esquilo-da-Sibéria, esta espécie é nativa da China, Japão, Coreia e Rússia central. No entanto, espalhou-se pela maior parte da Europa depois que alguns espécimes escaparam do cativeiro.

O esquilo-da-Sibéria tem listras brancas e escuras (preto ou marrom) em suas costas e seu corpo mede 18 a 25 centímetros. Pesam entre 50 e 150 gramas.

Esquilo coreano

Também mantém hábitos diurnos e passa longas horas no solo, mas acaba subindo nas árvores para se alimentar. São animais solitários que costumam acasalar apenas com a chegada do inverno. Sua dieta é baseada no consumo de frutas, bagas, sementes, arbustos e pequenos animais.

Esquilo de Ridchardson

Esses esquilos se destacam por sua alta sociabilidade e vivem quase sempre em grupos ou casais. Por essa razão, eles foram adotados como animais de estimação em muitos países, embora precisem de muito cuidado para preservarem sua boa saúde.

Esquilo de Richardson

São esquilos robustos que medem entre 25 e 30 centímetros e têm um peso corporal de 450 g a 1 kg. Eles exibem diferentes tons de marrom em sua abundante pelagem e uma longa cauda.  Uma de suas características mais famosas é o hábito de guardar alimentos em suas bochechas.