Felinos selvagens pouco conhecidos

janeiro 4, 2019
Nem todos os felinos são tão grandes e conhecidos como os leões, tigres e leopardos. Há também uma grande variedade de pequenos felinos com cores não tão vistosas, desconhecidos por muitos.

Quando pensamos em felinos selvagens, leões, tigres-de-bengala ou leopardos vêm à mente. A verdade é que, das 38 espécies de felinos selvagens que existem, 31 são consideradas pequenos felinos, alguns tão pequenos quanto os gatos domésticos.

Os felinos são criaturas extraordinárias, mas também ameaçadas. Quase todos enfrentam algum grau de perigo na natureza e seu número está diminuindo. Tudo isso devido à caça furtiva e destruição de seus ecossistemas.

A seguir, mencionaremos alguns dos felinos selvagens menos conhecidos do planeta:

Gato ferrugem

É o menor felino selvagem da Terra, com um comprimento de 35 a 48 centímetros e um peso entre 900 g e 1,5 kg.

O pelo do gato ferrugem (imagem que abre este artigo) é curto e cinzento na maior parte do corpo, com manchas de cor ferrugem nas costas e nos flancos.

Outra de suas características distintivas é que ele tem uma barriga branca com grandes manchas escuras, e sua cauda é de cor mais escura, chegando até mais ou menos o meio de seu corpo.

Tem seis faixas escuras de cada lado da cabeça, que se estendem sobre as bochechas e a testa.

Eles habitam as florestas tropicais do Sri Lanka e do sul da Índia. Encontra-se em perigo de extinção devido à perda de seu habitat, que está sendo gradualmente substituído por terras agrícolas.

Gato do deserto

O gato do deserto atinge 50 centímetros de comprimento entre a cabeça e o corpo e 30 centímetros de cauda. Os maiores machos não atingem 3,5 quilos de peso.

Gato do deserto

O pelo é de cor areia com escassas listras mais escuras, mais desenvolvidas nas subespécies africanas, e só facilmente visíveis na parte alta das patas dianteiras. A ponta da cauda também é de cor escura.

Este é o felino melhor adaptado aos desertos arenosos. Sua cabeça é notavelmente larga e suas orelhas são amplas, o que melhora sua audição e facilita a perda de calor.

Vive nos desertos do Saara, Egito, Arábia, Paquistão, Afeganistão, Irã, Jordânia, Síria, Iraque e algumas regiões da Ásia.

Ele é encontrado até mesmo no deserto de Karakum, onde a temperatura pode chegar a 80°C e cair para até -25°C. Este felino está na lista de espécies ameaçadas, cuja caça está proibida em muitos países.

Gato de Pallas

Tem um tamanho semelhante ao de um gato doméstico, entre 46 e 65 centímetros de comprimento, com uma cauda que mede entre 21 e 31 centímetros de comprimento. Seu peso varia de 2,5 a 4,5 quilos.

Gato de Pallas

Sua abundante pelagem protege-o do frio e do vento excessivos e é ocre com listras verticais escuras no tronco e nas patas dianteiras.

Durante o inverno, sua pelagem é mais cinza e tem menos listras do que no verão. Tem anéis pretos na cauda e manchas escuras na testa. As bochechas são brancas, com listras pretas estreitas.

Esses felinos se refugiam em cavernas, entre rachaduras nas rochas ou nas tocas das marmotas. Eles só saem à tarde para caçar pequenos mamíferos.

Habita as estepes da Mongólia, Sibéria e Tibete, em altitudes que atingem os 5.000 metros. Esta espécie encontra-se ameaçada pela destruição do seu habitat, a diminuição de suas presas e pela caça.

O gato andino

Também conhecido como gato lince, o gato andino é a espécie mais ameaçada nas Américas. São gatos pequenos, robustos, de cor cinza ou marrom, com listras verticais na parte superior das costas, manchas nas laterais e círculos ao redor da cauda e das pernas.

Mede entre 60 e 80 centímetros, mais a cauda, de cerca de 35 centímetros, e pesa entre quatro e sete quilos.

Gato andino

O gato andino é nativo da América do Sul. Sua distribuição se limita às regiões dos Andes, Peru e norte da Bolívia, Chile e Argentina.

Ele vive em áreas de vegetação não muito alta ou densa, bem como nas estepes e áreas rochosas. Encontra-se de 3.000 a 5.000 metros acima do nível do mar, acima da linha das árvores.

Embora viva apenas em áreas de alta montanha, os vales habitados por seres humanos atuam como barreiras, o que fragmenta consideravelmente sua população.

Eles geralmente são caçados no Chile e na Bolívia por razões supersticiosas.

Leopardo nebuloso

O leopardo nebuloso é um felino de tamanho médio com uma estrutura robusta (comprimento de 60 cm a 1,1 metro e peso de 11 a 65 kg), com pernas curtas e cauda bastante longa.

Sua cauda serve para manter o equilíbrio e suas pernas são perfeitas para subir nas árvores; as patas traseiras são mais longas que as dianteiras.

Leopardo nebuloso

Estes felinos estão ameaçados pela perda de seu habitat, causada pelo desmatamento e pela caça ilegal. Suspeita-se que existam hoje menos de 10.000 espécimes adultos.

O pelo possui grandes manchas irregulares de borda preta e interior marrom, o que o ajuda a camuflar-se na vegetação.

Seu nome vem precisamente desses pontos escuros e elípticos, que lhes confere uma ligeira semelhança com as nuvens.

Vive a leste da Índia, sul da China e Indochina. Eles podem ser encontrados em ecossistemas variados, tanto em áreas montanhosas, que excedem 2.000 metros de altura, como em áreas pantanosas e manguezais costeiros.

Leopardo das neves

O leopardo das neves é ​​encontrado em áreas montanhosas da Sibéria, Rússia, Paquistão, Mongólia, Tibete, Índia, Nepal ou Uzbequistão.

Esses leopardos vivem em montanhas remotas, em altitudes de até 6.000 metros acima do nível do mar.

Leopardo das neves

Embora seja menor que outros grandes predadores, pode chegar a 75 quilos. Apresenta um corpo robusto e curto, com uma cauda longa em relação às outras espécies de felinos.

Este felino está perfeitamente adaptado a viver no frio, com um corpo compacto coberto por uma espessa camada de pelos.

Além disso, tem orelhas pequenas e peludas e garras largas que agem como raquetes de neve, semelhantes às do urso polar.

A sua pelagem é espessa e de diferentes tons de cinza, com pontos negros e peito branco, assim como com gradação de cor amarela ou castanha em algumas partes do corpo.

Os últimos leopardos-da-neve estão em perigo de extinção, devido à caça furtiva e à mudança climática. Atualmente, estima-se que existam apenas entre 4.000 e 9.000 exemplares dessa espécie de leopardo.

A grande variedade de felinos selvagens

Como evidenciado por esta pequena amostra, os felinos são mamíferos que possuem uma grande variedade morfológica.

Há felinos selvagens do tamanho de um cão São Bernardo e outros tão pequenos como um gato doméstico. Sua coloração também é extremamente variada, apresentando desde cores escuras a muito claras.

Esta variedade é o produto da adaptação destes fantásticos animais aos diversos ecossistemas do mundo.

Os felinos selvagens são animais que merecem toda a nossa atenção para serem preservados.

Isso porque muitos deles estão em perigo de extinção devido à destruição de seu habitat e à caça ilegal.

Wilson, E. (2005): Mammal Species of the World: A Taxonomic and Geographic Reference. Maryland: Johns Hopkins University Press.