Foca: saiba tudo sobre esse ‘cão da água’

· dezembro 8, 2018
Por causa de sua pelagem escassa, este mamífero se protege do frio graças à espessa camada de gordura sob sua pele. Eles também são capazes de mergulhar fundo e nadar longas distâncias.

Ela passa muitas horas deitada ao sol na praia, tem um corpo robusto e é uma nadadora ágil. A foca nos lembra um cão que ama a água, e neste artigo vamos contar tudo sobre ela.

Características da foca

Seu corpo é alongado e uniforme, já que se adaptou ao ambiente marinho em que vive: assim pode nadar sem problemas e pegar a comida.

Seus membros são curtos e planos, pois os utiliza como barbatanas que permitem a propulsão e o deslocamento na água.

A foca não “anda” muito bem em terra. Praticamente desliza nas pedras ou na areia com a ajuda da barriga.

As duas características das focas que as diferenciam de outros mamíferos marinhos pinípedes (como a morsa ou o leão marinho) são a falta de um pavilhão auditivo e o fato de seus membros posteriores serem voltados para trás.

Quanto à pelagem, a da foca é densa e curta na idade adulta, e não oferece proteção térmica suficiente contra o frio.

Mas ela tem uma camada muito grossa de gordura subcutânea… que pode representar um quarto do seu peso corporal!

Comportamento da foca

Ao contrário dos leões marinhos, as focas não formam colônias muito grandes. Algumas ficam apenas com seu parceiro (elas são monogâmicas) ou em um grupo de três ou quatro adultos.

Elas têm a capacidade de nadar longas distâncias e mergulhar fundo (até 600 metros) para capturar suas presas. Não são migratórias e preferem as costas das baías, tanto as com rochas como as com areia.

Como acontece em toda a classe dos mamíferos, seu leite materno apresenta uma grande quantidade de calorias e gordura.

Dessa maneira, o filhote pode suportar as longas ausências da mãe, que sai em busca de comida (peixe, crustáceos e cefalópodes) e pode levar horas para retornar.

No polo norte, os bebês que são deixados sozinhos são capturados pelos ursos polares, cujo principal alimento é a foca.

Espécies de foca

Atualmente existem 19 espécies de focas, das quais destacamos as seguintes por serem as mais “famosas” ou por viverem em locais característicos:

  1. Foca cinza

A foca cinza (foto que abre este artigo) vive nas águas do Atlântico Norte e a colônia com mais espécimes está localizada na ilha Sable, no Canadá.

É grande: os machos, que têm pelos escuros, podem pesar até 300 quilos e medir três metros. As fêmeas são muito menores e têm um corpo mais leve.

  1. Foca Baikal

Também chamada de nerpa, é a única espécie de foca que vive em água doce, mais precisamente no lago Baikal, na Sibéria, assim como a mais longeva: podem chegar a 55 anos de vida.

A pele é branca ou preta com manchas cinzentas. Passa muito tempo entre as rochas cercadas por água e pode ficar 70 minutos sem respirar na superfície.

Foca Baikal

  1. Foca de Weddell

Vive na Antártica, não migra, mas se move de acordo com as condições do gelo. As fêmeas são maiores que os machos.

Graças à concentração de mioglobina no sangue, podem submergir até 600 metros e passar uma hora debaixo d’água sem precisar respirar.

Foca de Weddell

  1. Foca monge do Mediterrâneo

É uma das espécies de focas mais raras e está em sério risco de extinção. As colônias de poucos exemplares estão localizadas nas costas da Turquia, Grécia, Mauritânia e na ilha da Madeira.

Elas são de cor escura e apresentam manchas em todo o corpo, únicas para cada indivíduo. Assim, os cientistas podem identificá-las de acordo com essas manchas.

Foca monge do Mediterrâneo

  1. Foca comum ou foca de porto

Habita toda a linha costeira de mares temperados e frios no Hemisfério Norte e é a espécie de foca mais comum ao redor do planeta.

Marrom, cinza ou canela, tem narinas curvas e vive como a família em áreas rochosas. Algumas horas após o nascimento, os filhotes de focas comuns já podem nadar sem problemas.