Indícios do impacto do ser humano na natureza

· janeiro 26, 2019

O fato mais devastador é que, num período de 50 anos, metade dos animais da Terra desapareceu. A seguir, mostraremos alguns indícios do impacto do ser humano na natureza.

Indícios do impacto do ser humano na natureza

O impacto do ser humano na natureza tem aumentado consideravelmente em nosso planeta. Isso se dá tanto pela explosão demográfica quanto pelo uso de plásticos e pelo consumismo.

Atualmente, no planeta Terra, há 7.722.727.000 pessoas, que representam apenas 0,01% dos seres vivos. Mesmo assim, conseguimos causar um tremendo impacto.

Chegamos ao ponto de termos causado a extinção de 83% dos mamíferos e metade das plantas.

Indícios dos seres vivos na Terra

Recentemente, foi publicado um estudo que calcula os percentuais de biomassa que diferentes seres vivos ocupam na Terra. O estudo mostrou resultados surpreendentes sobre o impacto do ser humano no planeta.

Oceano

Um dos números que mais surpreendeu foi o das plantas. Embora não pareça, elas representam 82% dos seres vivos do nosso planeta, 13% são bactérias e o resto dos seres viventes representa 5% da biomassa.

Embora os mares sejam imensos, a densidade de vida neles é muito menor do que nas zonas terrestres. Dessa forma, apenas 1% da biomassa terrestre vive nos mares.

Bem-vindo ao Antropoceno

O antropoceno é o novo estágio geológico em que, segundo muitos cientistas, estamos. Um estágio definido pelas enormes mudanças que o ser humano causou na Terra.

Algumas características desse antropoceno são mudanças no esqueleto de galinhas e outros animais domésticos. Em poucas décadas, a maioria das espécies selvagens desses animais desapareceram, enquanto suas versões selecionadas para produzir carne dominaram a Terra.

Um exemplo dessas tremendas mudanças é o número de animais domésticos destinados à produção de carne. 30% das aves do planeta são selvagens, enquanto que 70% são domésticas. Frangos, gansos e perus são agora os principais representantes dos pássaros.

Em outros grupos de animais a coisa não melhora. 60% de todos os mamíferos são vacas, porcos e outros animais domésticos, enquanto que 36% são humanos. Apenas 4% dos mamíferos são animais selvagens.

Vacas comendo feno

A sexta extinção

De fato, a pecuária é considerada uma das principais causas da extinção de espécies animais, juntamente com grande parte da agricultura voltada para alimentar esses animais.

Devemos lembrar que a enorme quantidade de gado criado para consumo humano também precisa de muito pasto e ração para viver e se desenvolver.

Isso tem causado, junto com outros problemas, como poluição ou caça, o que se considera ser a sexta extinção em massa de espécies no planeta. Nos últimos 50 anos, metade dos animais do planeta desapareceu.

Surpreendentemente, apenas um sexto dos mamíferos terrestres e um quinto dos mamíferos marinhos permanecem.

Desde o aumento desproporcional da civilização humana, até as plantas perderam metade de sua biomassa.

Não somos nada

Apesar do tremendo impacto do ser humano sobre a natureza, esses novos estudos também nos lembram que não somos nada.

Um exemplo são os cogumelos: eles pesam 200 vezes mais do que todas as pessoas do planeta juntas. Os números tornam-se mais impressionantes se formos comparar o peso de bactérias ou plantas.

Esses indícios nos convidam a refletir sobre o tremendo impacto dos seres humanos na natureza. Como é possível que uma só espécie tenha um impacto tão grande sobre todo um planeta?