A inteligência dos ratos

setembro 4, 2019
Os ratos são animais que têm uma má reputação há anos, mas os roedores podem ser animais de estimação ideais com o treinamento adequado. Descubra por que os ratos são animais extremamente inteligentes.

Embora os roedores possam assustar algumas pessoas e ter uma má reputação, os ratos são animais extremamente inteligentes. Este roedor, por exemplo, é um excelente animal de estimação se você cuidar dele adequadamente. Conheça mais sobre a inteligência dos ratos neste artigo.

Os ratos são curiosos por natureza, têm uma excelente memória e são excelentes aprendizes. Os roedores entendem conceitos complexos e, uma vez que aprendem a fazer alguma coisa, é improvável que a esqueçam.

Depois de entender como um rato é inteligente, você apreciará um pouco mais esses pequenos animais pelo que eles realmente são. Se você se comprometer a manter essas criaturas inteligentes seguras e proporcionar um estímulo mental adequado, você será recompensado.

A inteligência dos ratos: o cérebro

Primeiro de tudo, você deve saber que, como seres vivos, os ratos e os seres humanos têm mais semelhanças do que diferenças. De fato, muitas vezes sofremos com as mesmas doenças. Isso acontece porque nós temos uma fisiologia parecida.

Quanto aos cérebros, os neurocientistas estão descobrindo que os cérebros dos ratos são muito semelhantes aos nossos. Em particular, o córtex motor dos humanos e dos ratos compartilha inúmeras semelhanças.

É possível dizer que, nesta comparação, os ratos ganham. Enquanto o cérebro humano se baseia em informações visuais, o rato também lida com informações somatossensoriais valiosas dos seus bigodes.

Os melhores alunos

Os ratos domesticados são criaturas muito interessantes e brincalhonas. Como um cachorro, um rato pode aprender muitos truques e até responder ao seu próprio nome.

Não se surpreenda: seu rato de estimação pode aprender a sentar e pular em um aro. Ele também aprende a vir quando é chamado e até mesmo a andar em uma corda bamba.

A inteligência dos ratos

Os ratos podem ser ensinados a resolver quebra-cabeças, percorrer labirintos e realizar inúmeros truques. Treinar um rato é relativamente simples, pois ele responde bem a uma recompensa baseada em alimentos. Há até uma variedade de vídeos online que demonstram como treinar um rato.

Compreendendo as capacidades de aprendizagem dos ratos

Na natureza, a sobrevivência dos ratos depende da sua capacidade de aprender. Eles têm que enfrentar todas as eventualidades que a natureza lhes apresenta: eles aprendem a procurar comida e a não ficarem presos.

Em vários estudos de laboratório, ratos foram treinados por cientistas para apertar um botão de comida. Ao receberem alimento cada vez que apertarem quatro vezes o botão, eles pressionarão rapidamente quatro vezes para obtê-lo.

Mesmo em laboratórios, ficou provado que eles podem aprender a acender e apagar uma luz sem recompensa. Eles simplesmente farão isso porque gostam de mudanças. Os cientistas acreditam que a recompensa que eles recebem por fazerem isso é a de ter poder sobre essas coisas.

A inteligência dos ratos: pequenos heróis

O desejo de agradar seu amigo humano e seus aguçados sentidos de olfato e audição tornam possível treinar os ratos para detectar minas terrestres e bombas.

Eles também podem aprender a evitar certos tipos de veneno de rato. Estes roedores ainda conseguem aprender a fazer as ratoeiras se abrirem para se libertarem, ou ajudar a livrar outro rato desse perigo.

Ratos são animais sociais

Os ratos são criaturas incrivelmente sociaisEles têm relacionamentos muito complexos com outros ratos, sentem apego e reconhecem os membros de sua própria família. Além disso, esses roedores podem cuidar de outros ratos feridos ou doentes.

Ratos são animais sociais

Os roedores podem rir. Eles mostram isso apertando e rangendo os dentes. Eles também podem reconhecer quando outro rato lhes faz um favor, que eles retribuirão. Esse tipo de comportamento, chamado de reciprocidade direta, é o primeiro descrito no reino animal.

Os roedores têm habilidades de comunicação muito complexas e usam sons de alta frequência para se comunicar uns com os outros: são sons que os humanos não conseguem ouvir.

Além disso, os roedores podem desenvolver apego pelos seres humanos e são populares como animais de estimação domesticados.

Sucumbir à pressão do grupo

Curiosamente, os ratos também sucumbem à pressão dos colegas, assim como nós. Se eles estiverem na companhia de outros ratos que comem alimentos que têm um gosto ruim, eles se conformam e comem também.

Atualmente, os cientistas estão manipulando genes para tornar os ratos mais inteligentes, na esperança de encontrar melhores tratamentos para a demência em humanos. Por enquanto, a supremacia da inteligência dos ratos parece indiscutível.

O sucesso da sua sobrevivência diante das condições que a natureza lhes impôs desperta todo o nosso respeito.

  • Davis, H. (1996). Underestimating the rat’s intelligence. Cognitive brain research, 3(3-4), 291-298. https://doi.org/10.1016/0926-6410(96)00014-6
  • Whishaw, I. Q., & Wallace, D. G. (2003). On the origins of autobiographical memory. Behavioural Brain Research, 138(2), 113-119.
  • Perry, C., & Felsen, G. (2012). Rats can make relative perceptual judgments about sequential stimuli. Animal cognition, 15(4), 473-481.
  • Card, N. Reverse Engineering the Brain Beginning with the Motor Cortex. http://pitt.edu/~nsc15/Writing_Assignment_3_nsc15_R05.docx