Lagos e pântanos são habitats similares?

· fevereiro 24, 2019

Embora sejam ecossistemas diferentes, os lagos e pântanos têm uma grande biodiversidade em comum.

Os lagos e pântanos são habitats diferentes, cujos ecossistemas apresentam uma biodiversidade muito rica.

Anfíbios, peixes e vários tipos de plantas são exemplos das formas de vida que existem nas regiões de água doce.

Segundo os dados, estima-se que cerca de 40% das espécies de peixes do mundo vive em cursos de água doce, como rios, lagos, lagoas e pântanos.

Enquanto ambos são ecossistemas de água doce, lagos e pântanos mostram particularidades em sua dinâmica e modos de vida que abrigam.

Para explicar melhor a diferença entre os dois, contamos suas origens e também apresentamos brevemente sua fauna e flora.

Lagos e pântanos: os diferentes tipos de ecossistema de água doce

Não é segredo que nosso planeta Terra é composto principalmente de água. Embora a maior concentração seja de massas salgadas, os corpos de água doce desempenham um papel crucial para a sobrevivência de todas as espécies.

Estes ecossistemas são classificados em três categorias principais, de acordo com o movimento de suas águas, como podemos ver abaixo:

  • Ecossistemas Lóticos: são cursos de água doce que passam por um movimento importante, como rios, córregos e nascentes.
  • Ecossistemas Lênticos: são corpos que têm um fluxo escasso ou estático de água, como reservatórios, lagoas, lagos e pântanos.
  • Ecossistemas de zonas úmidas: são regiões que experimentam períodos de inundação ou saturação de água doce.
lagos e pântanos: são o mesmo hábitat?

O que são lagos?

Em geral, a formação de lagos naturais ocorre quando uma depressão ou bacia de um determinado terreno é preenchida com água doce. No entanto, a definição precisa de “lagos” pode ser um pouco complexa.

Quando sofrem um longo período de seca, os lagos podem ser reduzidos a pântanos ou zonas úmidas. Por outro lado, um lago de grandes dimensões pode ser considerado como um “mar”.

Além disso, os “lagos efêmeros” geralmente desaparecem durante a seca e enchem-se novamente de água em épocas chuvosas.

Os lagos são geralmente divididos, teoricamente, em três regiões. Ao longo das margens, há vegetação abundante e animais que se alimentam na superfície da água.

Na área limnética, encontramos uma boa variedade de peixes e anfíbios. A zona profunda carece de espécies maiores e os heterotróficos tendem a predominar.

Esses cursos d’água também são classificados de acordo com a disponibilidade de nutrientes e a possibilidade de abrigar vida em suas águas.

  • Os lagos eutróficos têm nutrientes abundantes e abrigam uma grande biodiversidade de espécies animais e vegetais.
  • Os lagos oligotróficos têm poucos nutrientes e demonstram pouca variedade de espécies.

E os pântanos?

O conceito de ‘pântano’ inclui terrenos baixos que estão saturados de água parada e cobertos por vegetação aquática.

Também podemos observar neles árvores que nem sempre podem ser classificadas como plantas aquáticas. Essas formações estão presentes em todos os continentes; exceto, é claro, da Antártida.

lagos e pântanos

Os pântanos se formam nas proximidades de rios, lagos ou mares, de onde recebem a água que cobre toda a sua extensão.

Encontramos esses corpos geralmente em áreas com um solo mineral, sem drenagem natural. Portanto, a água não consegue seguir seu curso e permanece estagnada, o que dá origem ao ecossistema característico dos pântanos.

Existem dois tipos básicos de pântanos: os de água doce e salgada. Pântanos de água doce são formados por lagos ou riachos doces.

A baixa salinidade de suas águas permite o crescimento de abundante vegetação de superfície e uma notável biodiversidade aquática.

Os pântanos salgados são especialmente comuns nas regiões tropicais, onde estão associados aos mares.

Em geral, seu leito é formado por areia e a vegetação superficial é mais escassa. A presença de lama também é observada em tempos de maré alta e seu ecossistema compreende apenas formas de vida adaptadas à alta salinidade de suas águas.

Por que os lagos e pântanos são habitats diferentes?

As espécies que vivem em lagos e pântanos são diferentes, pois devem ser adaptadas às condições específicas de cada local.

Mas é verdade que existem algumas ‘coincidências’, já que certas espécies podem se beneficiar de ambos os ecossistemas.

Nos lagos, podemos encontrar animais aquáticos e semi-aquáticos, como mamíferos (castores e lontras), pássaros (patos e gansos), crustáceos (caranguejos), répteis (tartarugas) e anfíbios (sapos e salamandras).

Nesses espaços, há inúmeras espécies de peixes de água doce, como a truta, o esturjão e o poleiro. Sua vegetação inclui algas, bengalas, samambaias, arbustos, musgos, lírios, aguapés, etc.

Nos pântanos, as formas de vida variam de acordo com a salinidade da água. Os pântanos de água doce abrigam uma grande biodiversidade de peixes, anfíbios, aves e uma importante vegetação arborizada e aquática.

Encontramos também répteis, como jacarés e cobras, além de camarões e outras espécies similares. A vegetação é composta por musgos, carvalhos, ciprestes, etc.