Lebre do ártico: características, comportamento e habitat

abril 16, 2019
Você quer conhecer uma das maiores lebres que existem? A lebre do ártico irá surpreendê-lo com suas características e comportamento.

A lebre do ártico (Lepus ártico) é uma espécie de roedor que pertence à família Leporidae. Atualmente, é reconhecida como uma das maiores lebres que habitam o nosso planeta.

O corpo desta lebre está adaptado para viver nas temperaturas muito baixas do frio polar. Portanto, é um animal muito resistente e de notável beleza.

Características físicas da lebre do ártico

A lebre do ártico, também chamada de lebre polar, é um grande roedor que geralmente mede entre 20 e 22 cm de comprimento e pesa de 10 a 12 kg.

É um dos poucos animais que podem sobreviver ao frio extremo da região polar. Isso ocorre porque seu corpo desenvolveu uma série de recursos e características especiais para suportar essas condições adversas.

A pele deste animal é muito espessa, para evitar a perda de calor. Sua pelagem abundante também ajuda a conservar o calor e protege-a do clima.

Lebre encontrada no ártico

Da mesma forma, as orelhas das lebres do ártico são projetadas para conservar o calor. Portanto, embora estejam posicionadas mais altas que as de outras lebres, são menores para reduzir a superfície que entra em contato com o frio.

Patas fortes com unhas poderosas permitem cavar buracos para se proteger e procurar comida embaixo da terra. Além disso, seus pés são visivelmente maiores do que suas patas, para oferecer a possibilidade de correr na neve sem afundar ou ficar “presa”.

Essas características somam-se a uma musculatura bem desenvolvida e grande flexibilidade, que permite que essas lebres escapem de seus predadores com muita agilidade.

Também podemos observar que as lebres polares têm uma notável capacidade de se camuflarem. Seu pelo é praticamente branco durante o inverno, mas ganham tons marrons ou acinzentados no verão.

Essas peculiaridades permitem que as lebres do ártico camuflem-se com facilidade, apesar das mudanças experimentadas pelo ambiente nas diferentes estações do ano.

Habitat natural e alimentação

A lebre do ártico, como o próprio nome sugere, é nativa das regiões próximas ao Ártico. No momento, sua população está distribuída em parte do território do Canadá, da Groenlândia e do Alasca.

Como há poucos animais que podem se adaptar aos climas polares, a lebre do ártico tem poucos predadores. No entanto, elas também têm uma baixa disponibilidade de presas para caçar e comer.

Portanto, sua capacidade de se camuflar e de se esconder no subsolo é essencial para sua sobrevivência.

Em relação à dieta, as lebres polares são animais onívoros. Como em seu habitat natural elas encontram uma disponibilidade limitada de alimentos, sua dieta pode incorporar quase todos os vegetais disponíveis em seu ambiente, como frutas silvestres, folhas, ervas e plantas lenhosas, bem como pequenos insetos.

Comportamento e reprodução da lebre polar

Lebre do ártico

Em geral, as lebres polares vivem sozinhas e se reúnem apenas para acasalar na época de reprodução. Elas também podem ser vistas em grupos em determinados momentos, provavelmente devido à necessidade de conservar o calor no frio extremo.

A época de acasalamento da lebre polar ocorre entre abril e maio, isto é, durante a primavera. Neste período, as lebres árticas passam mais tempo fora de suas tocas e são mais sociáveis.

Em suas vidas diárias, essas lebres peculiares fazem caminhadas mais longas, aventurando-se a expandir seu território para áreas que evitam durante o inverno, por exemplo.

Ao formar um casal, esses roedores não retornam às suas tocas originais, mas criam um “refúgio” especial para acasalar com segurança. Se houver várias fêmeas em seu território, os machos podem formar diferentes casais durante a época de reprodução.

Após uma breve gestação, as fêmeas geralmente dão à luz no início do verão. Para cada estação de reprodução, as lebres polares costumam dar à luz a cinco ou seis filhotes.

Os pais serão responsáveis ​​por proteger e ensinar seus filhotes somente durante as primeiras semanas de vida. Depois, as jovens lebres estarão prontas para sobreviver sozinhas.

Como amadurecem muito rapidamente, sua expectativa de vida é menor do que a de outras lebresUma lebre do ártico geralmente vive entre três e cinco anos, embora alguns exemplares possam ter uma vida mais longa.