A lesma ninja de Bornéu

outubro 1, 2019
A lesma ninja de Bornéu deve parte do seu nome ao fato de que a fêmea lança uma espécie de dardo para o macho para aumentar a fertilidade e botar mais ovos, já que as lesmas são hermafroditas.

Ao saber que há uma lesma ninja de Bornéu, já ficamos curiosos. Este é um nome bem estranho! Neste artigo, vamos contar tudo sobre ela.

Características da lesma ninja de Bornéu

Seu nome científico é Ibycus rachelae e esta é uma espécie de molusco da classe gastrópode, com uma cor verde e amarela muito peculiar.

Foi descoberta nas florestas montanhosas da Malásia, mais especificamente na selva de Gunung Kinabalu, a quase 2.000 metros acima do nível do mar. Esta área é conhecida como Bornéu e, portanto, esta é a origem de uma das partes do seu nome.

Vale ressaltar que esta ilha, a terceira maior do mundo, é um dos lugares com a maior biodiversidade do planeta: milhões de animais endêmicos habitam os seus 220.000 km2. Portanto, não é nenhuma surpresa que ela abrigue a ‘lesma ninja’ e também outras espécies curiosas e exóticas.

Lesma de Bornéu

Na verdade, ela é ‘meio’ lesma, porque tem uma concha como a dos caracóis (pertencentes à mesma família), onde se esconde quando está em perigo, se sente ameaçada ou é hora de descansar.

Além disso, a Ibycus rachelae tem uma cauda três vezes mais longa do que a cabeça, que pode ser usada para ‘envolver’ o seu corpo, de apenas quatro centímetros.

Por que ela recebeu este nome?

Agora vamos falar sobre a reprodução da lesma ninja de Bornéu e assim vamos entender a razão para esse nome. Alguns também a conhecem como ‘lesma cupido’ e, sem dúvida, esse apelido está bastante relacionado à sua forma de agir.

Tudo acontece durante a época de acasalamento: o espécime que ‘age’ como fêmea (cabe lembrar que as lesmas são hermafroditas e podem escolher qual sexo querem ter de acordo com a ocasião) lança uma espécie de dardo venenoso para o exemplar que vai atuar como parceiro masculino.

Lesma ninja de Bornéu

Os ‘dardos do amor’ são pequenas estruturas em forma de arpão, feitas de cálcio carbonatado, que têm a capacidade de perfurar a pele do receptor.

Dessa maneira, são injetados os hormônios necessários para potencializar a fertilidade e aumentar a quantidade de óvulos – que são amarelo-esbranquiçados, semitransparentes – e, portanto, a população de lesmas.

Em poucas horas, uma lesma ninja de Bornéu pode depositar até 500 ovos (em grupos contendo entre 10 e 50), em um buraco cavado embaixo da terra ou em algum tipo de abrigo construído pela fêmea. O tempo que os ovos levam para eclodir depende da temperatura ambiente e da umidade do solo.

No caso de Bornéu, onde faz calor durante quase o ano inteiro, as lesmas ‘bebê’ nascem em apenas três semanas, mas elas ainda não são parecidas com os pais: elas são bem transparentes e a sua concha ainda não está completamente formada.

De Bruyn, M., Stelbrink, B., Morley, R. J., Hall, R., Carvalho, G. R., Cannon, C. H., … Von Rintelen, T. (2014). Borneo and Indochina are major evolutionary hotspots for Southeast Asian biodiversity. Systematic Biology. https://doi.org/10.1093/sysbio/syu047