Mamíferos que põem ovos

· outubro 10, 2018
Denominadas cientificamente como monotremadas, estas poucas espécies com reprodução ovípara, de acordo com os estudos realizados, não completaram a evolução de anfíbios para mamíferos.

Como se fosse uma música decorada, sabemos bem que os mamíferos são aqueles animais cujos embriões se desenvolvem dentro do útero materno. No entanto, os monotremados são a exceção à regra. Há mamíferos que põem ovos!

Existem mamíferos que põem ovos?

Pode parecer um pouco estranho para nós, mas na natureza há muitas curiosidades. A gestação de uma nova vida chama a nossa atenção, porque, em muitos casos, pode ser completamente diferente da que conhecemos.

No que se refere aos mamíferos que põem ovos, ou monotremados, por seu nome científico, compartilham características com a classe Mammalia, mas também com os répteis: se reproduzem de maneira ovípara, e apresentam uma “cloaca”, um orifício onde confluem o trato urinário, digestivo e reprodutor.

Segundo pesquisas, são as formas mais primitivas de mamíferos que existem atualmente. Ou seja, eles são os únicos que permaneceram no ‘meio’ entre ser um réptil e se tornar um mamífero.

Mas quais são as outras características dessa classe? Com os mammalia compartilham os pelos que cobrem a pele, a produção de leite para alimentar os filhotes, os três ossos do ouvido médio, o diafragma, o coração dividido em quatro câmaras e uma faixa de temperatura corporal entre 28 e 32°C.

ornitorrinco na água

Então, eles têm alguns ‘defeitos’, por assim dizer, que não permitem que sejam 100% mamíferos. Além da oviparidade, seus dentes são atrofiados ou ausentes, não contam com lacrimais, o focinho termina em forma de bico, o rosto está coberto por uma pele como couro e os machos têm um esporão nas patas traseiras.

Mamíferos que põem ovos: os equidnas

É uma família de quatro espécies muito semelhantes aos ouriços – como o da foto que abre o artigo- e eles vivem na Oceania, especificamente na Austrália, Tasmânia, Nova Guiné e Salawati. Eles devem seu nome à ninfa mitológica da Grécia Antiga que era coberta de espinhos.

Os echidnas são compactos, com cerca de 45 centímetros de comprimento e uma cauda de 10 centímetros, e podem pesar sete quilos. Os machos são maiores que as fêmeas. Sua dieta consiste em vermes e insetos, portanto eles têm uma boca tubular e uma língua longa e pegajosa (semelhante à dos tamanduás) com até 20 centímetros de comprimento.

A reprodução dos equidnas é muito curiosa: após o acasalamento, a fêmea põe um único ovo e o incuba por 10 dias. Após esse tempo, o bebê suga o leite dos poros, já que a mãe não tem mamilos. Então ele permanece em uma espécie de bolsa por quase dois meses, enquanto desenvolve os espinhos que servirão como proteção.

Durante sete meses, o filhote fica em uma toca, onde a mãe vai a cada cinco dias para amamentá-lo.

Mamíferos que põem ovos: o ornitorrinco

Este animal semiaquático é um dos mais estranhos que existem, pois parece uma ‘combinação’ entre várias espécies: bico de pato, cauda de castor e pernas de lontra. Além disso, é venenoso, põe ovos e só vive no leste da Austrália.

ornitorrinco na água

Seu corpo é marrom e coberto de pelos; ambas as pernas e o bico são negros e os machos podem ser duas vezes maiores que as fêmeas.

Para se reproduzir, a parceira do ornitorrinco realiza um cortejo em água, e após a cópula se dirige a uma toca perto da costa (com cerca de 20 metros de comprimento). Lá irá depositar os ovos, que estão em desenvolvimento no útero, em aproximadamente um mês.

Após esse tempo, ela põe os ovos em um ninho de folhas úmidas e os incuba por 10 dias. Ao nascer, os filhotes são muito vulneráveis, não têm pelos e são cegos. Portanto, dependem totalmente da mãe. Ela os alimenta com leite, embora ela não tenha mamilos: os filhotes precisam lamber seu abdômen.