O estranho escaravelho

· março 18, 2019
O carregamento deste besouro é muito curioso. Você quer saber por quê?

O animal que nos preocupa hoje é bem conhecido em todo o mundo: o escaravelho. Além de seu nome e seu surpreendente ‘carregamento’, há muitos fatos sobre o animal que vamos descrever neste artigo. Não pare de ler se quiser saber todos os seus segredos.

O que é um escaravelho?

O termo “escaravelho” refere-se a um grupo muito particular de insetos. Eles estão incluídos na ordem Coleoptera, que reúne cerca de 375 mil espécies diferentes.

Os coleópteros mais conhecidos com este nome pertencem ao gênero Scarabeus (entre outros), e o S. viettei e S. laticollis são seus dois principais representantes.

Morfologicamente, estamos falando de insetos que têm um tamanho médio e patas fortes. O escaravelho usa suas patas tanto para se locomover quanto parar cavar e moldar a bola de estrume.

Normalmente, seu corpo é de uma intensa cor preta metálica, embora também possa adquirir tons de azul, verde e até amarelo.

É evidente que a característica mais marcante desse coleóptero é o seu comportamento coprofágico: isso quer dizer que eles se alimentam de excrementos. Mas este não é o único uso que fazem dos excrementos.

Para que eles usam os excrementos de outros animais?

Quando detectam a presença de excremento, esses animais vêm voando até eles, formando grandes enxames.

Ao se unirem em grande quantidade, eles podem reduzir o grande monte produzido por um animal grande – como um elefante – a um tapete de material fibroso não digerido.

Escaravelhos com bola de estrume

Nesse momento, o besouro rola uma parte do material e começa a moldá-lo em uma bola com as patas da frente. Então, ele a transporta para a galeria que cavara anteriormente.

A forma de transportar a bola atrai muita atenção, pois ele apoia as patas dianteiras no chão e com as traseiras rola a bola moldada para a galeria. Às vezes, um segundo indivíduo colabora nesse transporte.

Em outros momentos, eles cavam a galeria logo abaixo do esterco, para que não tenham que carregar a bola. É por isso que, em algumas partes do Brasil e do mundo, é conhecido como “rola-bosta”.

Uma vez que tenham uma ou várias bolas armazenadas, eles extraem o líquido rico em nutrientes e micro-organismos e se alimentam dele. Mas a bola tem ainda importante papel na gestação das larvas.

Quando eles acumulam uma quantidade suficiente de estrume, os escaravelhos dividem essa bola em pequenos fragmentos. A fêmea introduz o seu ovipositor lá e deposita um ovo.

Essas pequenas estruturas são polidas e a fermentação do estrume fornece às larvas o ambiente ideal para o seu desenvolvimento.

Quando terminam o processo de desenvolvimento e metamorfose, emergem para a superfície em sua forma adulta.

Dois escaravelhos com bola de esterco

O escaravelho é orientado pela Via Láctea

Parece surpreendente, mas uma pesquisa recente da Universidade de Lund, na Suécia, confirmou isso. Para chegar até a galeria de armazenamento, esses animais sobem para o topo da bola e começam a girar o corpo em todas as direções.

Usando seus pequenos olhos, eles tiram como se fossem “fotos instantâneas” da posição dos corpos celestes e das estrelas e armazenam as informações no cérebro. Isso permite que eles se orientem de maneira confiável até chegarem ao seu destino.

Embora um comportamento semelhante a este já seja reconhecido em outros insetos, é a primeira vez que se demonstra a existência desses dados de memória como “fotos instantâneas”.

Até agora, o único inseto capaz de realizar tal feito é o escaravelho. Um achado excepcional, sem dúvida.

  • El Jundi, B., Foster, J. J., Khaldy, L., Byrne, M. J., Dacke, M., & Baird, E. (2016). A snapshot-based mechanism for celestial orientation. Current biology26(11), 1456-1462.