O sexto sentido dos animais

Não podemos explicar com palavras, mas muitos acreditam no sexto sentido dos animais, que podem intuir ou prever alguns eventos ou situações. Antes dos humanos, eles têm a possibilidade de detectar doenças, catástrofes naturais ou até presenças paranormais. Vamos falar mais deles neste artigo.

Percepção e sexto sentido dos animais

As faculdades perceptivas de nossos animais de estimação, assim como também de outros animais, são assombrosas para os seres humanos. Em diferentes situações, eles têm a capacidade de detectar desde furacões até doenças. Isso porque seus sentidos são muito desenvolvidos.

Isso é um dos traços que talvez mais os tornem diferentes de nós e de nosso modo de vida “civilizado”, onde não precisamos dos sentidos desenvolvidos como os animais.

Por exemplo, os cães têm 40 vezes mais células olfativas que um ser humano, e essas lhes ajudam a identificar objetos ou pessoas a cerca de 300 metros de distância. Mas isso não é tudo, já que além dos ouvidos eles têm um alcance superior na audição, captando sons muito distantes ou baixos. Por esse motivo, os fogos de artifício, tempestades e barulhos fortes podem assustá-los.

 Cachorro com medo

Fonte: Canon_Shooter

No caso dos gatos, eles também têm sentidos muito desenvolvidos e podem reagir a vibrações e sons imperceptíveis para os humanos. Sua visão é excepcional, mesmo no escuro, e seu olfato é muito sensível. Tanto que podem perceber fenômenos barométricos e elétricos que outras espécies seriam incapazes de perceber.

O sexto sentido dos animais e a morte

Existem diferentes comportamentos incompreensíveis por parte dos animais em relação à “capacidade” de se adiantarem a certas questões, como por exemplo a morte de alguém.

Um caso que talvez você conheça é o do animal de estimação de Winston Churchill, primeiro ministro britânico no início do século 20, que, quando adoeceu gravemente estava acompanhado por seu fiel gato, Jock.

O felino não abandonava a cama de seu dono sob nenhuma circunstância, até que um dia os médicos indicaram que o homem estava melhor. O gato saiu do quarto, e isso alertou os profissionais que, quando chegaram no quarto, se deram conta de que Churchill estava morto.

O sexto sentido dos animais e as catástrofes naturais

São muitos os exemplos que podemos dar para demonstrar que o sexto sentido dos animais lhes permite adiantar-se aos fatos, buscar refúgio ou escapar de algo terrível, como um desastre natural.

Um deles aconteceu no Sri Lanka, momentos antes de um tsunami atingir a costa da ilha. Os cães, gatos, orangotangos, lebres e até elefantes começaram a correr desesperadamente para se afastar da orla do mar, dirigindo-se para a parte mais alta do país.

Ninguém pôde entender o que estava acontecendo até que, minutos depois, as ondas aumentaram e começaram a golpear a costa do força. O efeito foi devastador.

Mas existem muito mais exemplos pela floresta para notarmos esse “poder” dos animais. Na Itália, em uma lagoa de L’Aquila, uma grande quantidade de sapos realizou um êxodo desesperado logo antes de um terremoto.

A explicação científica é que os terremotos liberam íons positivos e pulsos eletromagnéticos, que podem ser detectados por animais. Esse é um dom que os seres humanos não possuem, algo que perdemos com nossa evolução.

orangotango fêmea com filhote

Talvez eles não entendam do que se trata, se é um tsunami, um terremoto ou um vulcão em erupção. Simplesmente, relacionam com algo estranho e perigoso. Como se fosse o barulho de uma espécie maior, por exemplo.

Doenças, emoções e sexto sentido

Por últimos, precisamos falar dos casos nos quais um animal, principalmente de estimação, pode detectar uma doença ou a depressão em seus donos.

Como seu cão ou gato sabe que você está triste ou doente e vai consolá-lo na cama ou sofá? Por que alguns animais se desesperam quando escutam seu dono chorando, como acontece com os bebês? E aqueles que alertam seus donos sobre uma doença, como câncer ou diabetes?

Não podemos dar uma resposta firme sobre o sexto sentido dos animais, pois não é só uma questão científica, mas também de crenças pessoais. No entanto, ninguém pode negar que eles têm um dom especial, que nós humanos não possuímos.

Recomendados para você