Os papagaios entendem o que dizem?

· fevereiro 25, 2019
Sabemos que os papagaios podem repetir palavras ou frases que ouvem, mas eles realmente sabem o que estão dizendo?

Todos nós sabemos que os papagaios têm a admirável capacidade de reproduzir vários sons e articular algumas palavras da linguagem humana. Mas os papagaios entendem o que dizem?

No entanto, há uma questão que ainda gera muitas preocupações: os papagaios entendem o que dizem ou apenas repetem o que ouvem? Vamos tentar responder isso a seguir.

Por que os papagaios imitam sons e palavras que ouvem?

Alguns pássaros, como papagaios, araras e caturritas, demonstram uma facilidade natural para imitar os sons que ouvem em seu ambiente.

Essa incrível capacidade se deve ao manejo muito especial que essas aves dão à sua siringe, um órgão que compõe seu sistema vocal.

A siringe é uma caixa de ossos cuja estrutura é composta de anéis fundidos e largos. No seu interior, encontramos as membranas vibratórias e a bifurcação da traqueia, que permite a formação dos brônquios.

A complexidade do canto de cada ave está diretamente relacionada à estrutura de sua siringe. O tamanho e formato deste órgão varia consideravelmente de espécie para espécie. O mesmo vale para as membranas vibratórias e os músculos que regulam suas vibrações.

Em geral, quanto mais complexa for a estrutura da siringe, mais sofisticado e variado será seu potencial vocálico

Os pássaros, como canários, podem lidar com uma ampla variedade de sons e melodias, porque sua siringe é muito bem-dotada.

papagaios coloridos

E como é a siringe dos papagaios?

Em relação à complexidade de sua siringe, os papagaios estão em uma escala intermediária. Embora seu órgão vocal seja bastante modesto, esses pássaros sabem como explorá-lo com grande habilidade.

Sua inteligência, sua expressividade e sua predisposição para aprender “compensa” a simplicidade de sua siringe.

Além disso, cabe destacar que existem várias espécies de papagaios, e é por isso que falamos sobre diferentes complexidades de siringes. Entre todos eles, o papagaio-cinzento se destaca como a espécie mais falante e inteligente.

Assim, será um papagaio-cinzento chamado Alex que nos ajudará a entender se os papagaios entendem o que dizem.

Alguns estudos realizados pela psicóloga Irene Pepperberg mostraram que esta ave entende o significado das palavras.

Os papagaios entendem o que dizem?

Para responder a essa pergunta, vamos dedicar um tempo para conhecer melhor a história de Irene e Alex. Na década de 1970, Irene adotou Alex em uma loja de animais quando o pássaro tinha apenas um ano de idade.

Por 30 anos, Irene dedicou-se a treiná-lo, incentivando-o a aprender com testes variados e com o apoio do reforço positivo.

O resultado surpreendente é que Alex aprendeu a identificar mais de 50 objetos pelo nome e memorizar mais de 100 palavras.

De fato, Alex passou a demonstrar inteligência comparável à de uma criança de cinco anos de idade. 

Em um teste muito impressionante, o pássaro foi capaz de comunicar a forma e a cor de um objeto depois de tocá-lo.

Além disso, Alex conseguiu distinguir números de 1 a 6, bem como formas e cores variadas.

A capacidade de comunicar com precisão suas percepções sensoriais deve exigir que o indivíduo entenda o que ele está dizendo.

Isto é, tenha consciência dos significados das palavras e que possa se articular para expressar algo consistente com a realidade.

Dessa forma, os desafios concluídos com êxito por Alex seriam prova de que os papagaios entendem o que dizem, e não apenas repetem aleatoriamente o que ouvem em troca de um prêmio.

papagaio verde

Como verificar se os papagaios entendem o que dizem?

Provavelmente, essa foi a pergunta que Irene se fez sobre a recusa da comunidade científica. Depois, a psicóloga decidiu que seria necessário apelar às estatísticas que mostram que a capacidade de Alex não foi um caso isolado ou ‘sorte‘.

Como Irene não teve acesso a uma amostra de papagaios-cinzentos para realizar seus experimentos, ela decidiu fazer testes com Alex várias vezes.

O problema é que, depois de executar o mesmo teste entre 10 e 20 vezes, o papagaio ficou sobrecarregado e até estressado.

Infelizmente, pouco depois, Alex morreu muito jovem, com apenas 31 anos; lembre-se de que os papagaios-cinzentos podem viver até 50 anos em cativeiro. Por essa razão, Irene perdeu seu grande amigo e, também, o centro de suas investigações.

É inegável que Alex foi uma referência importante para a investigação sobre a inteligência dos papagaios.

Graças à sua incrível capacidade, estamos cada vez mais perto de poder afirmar que os papagaios entendem o que dizem.

Seftel, J., Seftel, J., & Sweet, J. (2011). Profile: Irene Pepperberg & Alex. NOVA Science Video Podcast.