O pardal-doméstico na Espanha: em perigo de extinção?

junho 30, 2020
O pardal-doméstico, apesar de nativo da Eurásia e do norte da África, atualmente vive em áreas urbanas temperadas em quase todo o mundo.

O pardal-doméstico (Passer domesticusé uma das aves urbanas mais conhecidas. Podemos vê-lo em parques, terraços, calçadas e em qualquer lugar onde uma migalha de pão caia no chão.

A confiança dessa ave permite que ela se aproxime de lugares movimentados sem medo, até mesmo pousando nas mãos de alguém que esteja oferecendo um pouco de comida. Claro, uma vez que consegue o que quer, o pardal-doméstico voa para manter uma distância segura.

Como reconhecer o pardal-doméstico?

O pardal-doméstico é um pássaro que mede aproximadamente de 14 a 16 centímetros e, em geral, é uma ave robusta. Tanto os machos quanto as fêmeas têm patas rosadas, no entanto, existem outras características que permitem distingui-los com facilidade.

O macho:

  • O macho tem uma coroa cinza com manchas marrons que revestem a coroa e se estendem até a bochecha e o pescoço cinza pálido. Entre o bico e os olhos, tem uma faixa preta, que lembra uma máscara.
  • O bico grosso é preto acinzentado e as patas são marrom-claro.
  • Na época de acasalamento, seu bico fica completamente preto e recupera sua cor marrom durante o outono.

A fêmea:

  • A fêmea tem uma plumagem cinza irregular, com um tom marrom nas asas, no pelo e na cauda.
  • Além disso, possui uma leve franja entre uma listra marrom e uma coroa marrom. Seu bico é sempre acinzentado na ponta e amarelado na base.
Como reconhecer o pardal-doméstico?
Esquerda: pardal macho | Direita: pardal fêmea

O pardal-doméstico é uma praga?

O pardal-doméstico, devido ao seu caráter oportunista, aproveita os resíduos produzidos pelos seres humanos e, em algumas áreas, alimenta-se quase exclusivamente deles. Assim, dada sua dependência da atividade humana, esse pássaro é escasso em locais desabitados.

Basicamente, sua dieta consiste em sementes, selvagens ou cultivadas. Nas áreas rurais, tende a roubar alimentos dos animais de criação, por isso não é muito apreciado.

Quando a estação quente chega, esse pássaro se alimenta de insetos, principalmente dos gafanhotos. Com esses insetos, ele engorda seus filhotes.

O pardal desempenha um importante papel ecológico e de uma maneira muito simples: variando sua alimentação. Enquanto no inverno ele come frutas, bagas secas e sementes, durante o verão caça invertebrados: besouros, cigarras, gafanhotos, grilos, pulgões, aranhas, moscas e mariposas.

Especialistas em adaptação na cidade

Os pardais-domésticos se acasalam e ficam juntos por toda a vida, sendo companheiros e pais dedicados. Eles se adaptaram para viver e se aninhar em todos os cantos imagináveis ​​da cidade.

Seja em um poste de iluminação na esquina da rua, sobre os aparelhos de ar-condicionado, rachaduras na parte externa dos edifícios, nas estacas dos cais e nas grades das janelas. Nesses locais inesperados, eles constroem seus ninhos com ervas secas, penas e cordas.

Os pardais-domésticos têm o comportamento incomum de se banhar em solos empoeirados, geralmente em grandes grupos. Cada pássaro cria um pequeno buraco e joga poeira em suas penas para matar os parasitas, algo que lembra um pouco o banho de poeira dos elefantes.

Especialistas em adaptação na cidade

Os pardais, originários da África, desenvolveram essa adaptação do banho de poeira, sem recorrer à água.

Modelo de ave para estudos científicos

O pardal-doméstico se tornou uma espécie de “ave modelo” para estudos comportamentais e ecológicos na segunda metade do século XX. Isso ocorre devido à sua abundância e por causa de sua reprodução facilitada em ninhos improvisados.

Outras espécies estudadas em conjunto com o pardal-doméstico são o mandarim, o pombo-comum e o pássaro-preto-da-asa-vermelha.

Hoje, a espécie ainda é comum o suficiente para ser o foco de vários programas de pesquisa, tanto na América do Norte quanto na Europa, tendo sido objeto de inúmeros artigos científicos.

A população de pardal-doméstico está diminuindo?

Na Espanha, o pardal-doméstico é descrito como uma espécie abundante em ambientes urbanos em escala nacional, preferencialmente em altitudes entre 0 e 1.000 metros.

Em geral, seu pico de emergência está associado com a temperatura média da primavera, uma altitude mínima e uma porcentagem de solo agropecuário. Por outro lado, o declínio abrupto das populações de pardal-doméstico no Reino Unido foi bastante documentado.

Até agora, acredita-se que as causas sejam complexas e envolvam mudanças nas práticas agrícolas, que reduzem a disponibilidade dos alimentos. Também tem a ver com a competição com outras aves, a perda de locais de nidificação nas cidades e os problemas habituais com pesticidas.

  • Anderson TR (2006) Biology of the Ubiquitous House Sparrow: from genes to populations. Oxford University Press, Oxford.
  • Alberti, J. A. G. D., Pardo, R., & Abad, J. B. (1979). Avifauna del naranjal valenciano. II: el gorrión común (Passer domesticus L.). Mediterránea: Serie de estudios sobre biología terrestre mediterránea, (3), 69-99.
  • Murgui, E. (2016). Gorrión común–Passer domesticus (Linnaeus, 1758). En: Enciclopedia Virtual de los Vertebrados Españoles. Salvador, A., Morales, M. B. (Eds.). Museo Nacional de Ciencias Naturales, Madrid. https://digital.csic.es/bitstream/10261/111676/1/pasdom_v1.pdf