Peixe betta halfmoon: cuidados em cativeiro

Embora os bettas sejam bastante agressivos com diferentes peixes, diante dos humanos eles se mostram tímidos e muitas vezes fogem. É por isso que é importante que o aquário tenha lugares escuros e cavernas onde eles possam se sentir seguros.
Peixe betta halfmoon: cuidados em cativeiro

Última atualização: 23 abril, 2022

O peixe betta halfmoon é uma variante maravilhosa do peixe-de-briga-siamês. Caracteriza-se por exibir uma bela cauda em forma de leque que circunda suas costas quase 180 graus. Além disso, possui cores vivas e diversas que chamam a atenção de qualquer pessoa.

Embora os peixes betta sejam conhecidos por serem fáceis de cuidar, eles precisam de certos requisitos para se manterem saudáveis. É verdade que são organismos bastante resistentes, mas não se deve cometer o erro de lhes oferecer um ambiente pobre com pouca atenção. Continue lendo e aprenda a cuidar bem do seu peixe betta halfmoon.

A origem dos betas

Os peixes betta (Betta splendens) são nativos da Ásia, onde geralmente eram encontrados nas águas paradas dos campos de arroz. Esses ambientes são caracterizados por baixo oxigênio, grande quantidade de vegetação e muita matéria orgânica. Como viveram nessas áreas por muito tempo, eles se adaptaram e se tornaram as espécies resistentes que são hoje.

Segundo o New York Times, a domesticação desses peixes ocorreu há 1 mil anos. No entanto, o primeiro objetivo de sua criação não era o uso como ornamento, e sim para a exibição de lutas. Essa é a razão pela qual os bettas são tão agressivos e não é possível tê-los com outros espécimes no mesmo aquário.

Características da espécie

Os peixes betta halfmoon têm um tamanho médio de 6 centímetros de comprimento. Eles têm duas longas barbatanas peitorais em forma de véu, uma barbatana dorsal que começa no meio do corpo e uma barbatana anal que cobre quase toda a barriga. Além disso, possui uma nadadeira caudal característica que tem aparência de leque e se desdobra com cores vivas.

Esse betta pode apresentar uma incrível variedade de cores vivas e coloridas. Embora os monocromáticos (uma única cor) sejam geralmente os mais comuns, as cores do arco-íris ou misturadas são mais populares. Claro, eles são um pouco mais difíceis de encontrar devido à complexidade envolvida na obtenção de determinada tonalidade.

Os espécimes masculinos geralmente têm cores mais vibrantes do que as fêmeas. No entanto, durante a seu desenvolvimento, a intensidade dos tons no corpo pode mudar, pois varia de acordo com a época do ano ou devido a condições de estresse. Este último fator permite que a aparência do indivíduo seja usada para identificar uma possível patologia.

Um dos peixes que ofega muito e muito rapidamente.

Comportamento

Como mencionado acima, os peixes betta são muito conhecidos por seu comportamento agressivo. Ambos os sexos são igualmente problemáticos no aquário, mas os machos tendem a ser um pouco mais conflitivos. Por esse motivo, muitas vezes é recomendável manter esses espécimes separados e, de preferência, apenas um indivíduo por tanque. Caso contrário, podem ferir gravemente seus companheiros de equipe.

Preparação do tanque

O peixe betta precisa de um tanque mínimo de 25 litros para ter uma boa qualidade de vida. Essa medida se aplica a um único indivíduo, pois manter mais exemplares significa contar com o risco de conflitos com resultados fatais. Além disso, o interior do aquário deve conter rochas, plantas, cavernas e várias decorações. Isso permite a criação de locais escuros que fazem os peixes se sentirem seguros, reduzindo o estresse.

Lembre-se de que manter uma boa qualidade da água é essencial para a vida dos peixes, pois qualquer alteração no líquido pode causar sua morte. Por isso, é importante ter um termômetro, um filtro e uma bomba d’água para auxiliar no monitoramento desses parâmetros.

Parâmetros da água

As condições da água ideais para o peixe betta podem ser facilmente alcançadas. Na verdade, esses peixes têm uma resistência incrível a diferentes parâmetros do líquido, mas não é recomendado exceder os seguintes limites:

  • Temperatura: ideal 24-28 graus Celsius (resiste entre 14 e 34 graus Celsius).
  • pH: ótimo 7 (resiste entre 6 e 8).
  • Dureza: máximo de 300 partes por milhão (pouco menos de 20 graus dH- Deutsche Härte).

Ciclagem do aquário

A ciclagem do aquário, também chamada de maturação do tanque, é o processo pelo qual são estabelecidas as bactérias que reciclam os resíduos dos peixes. Esse mecanismo é essencial na manutenção de um aquário, pois estabiliza os parâmetros da água e evita que os espécimes prejudiquem sua saúde.

Esse processo é feito quando o tanque é instalado pela primeira vez ou está fora de uso há muito tempo. Para ciclar o aquário, você deve deixá-lo trabalhar com todos os seus acessórios, além de acrescentar um pouco de comida de peixe. Com isso, as bactérias que beneficiam o habitat começarão a se formar.

A única maneira certa de saber se um aquário está pronto para receber peixes é através de testes comerciais que medem a concentração de nitratos e nitritos, os quais funcionam como indicadores da presença de bactérias. A ciclagem está completa quando as medições de nitrito são 0 e os nitratos são superiores a 0.

Aclimatação dos peixes

Um dos peixes para iniciantes.

Os novos peixes devem passar por um processo de aclimatação para se ajustarem ao novo lar. Para isso, há duas fases: a regulação da temperatura e a combinação da água. Durante a primeira fase, é usado o recipiente no qual a amostra é entregue, que deve flutuar dentro do tanque por pelo menos 15 minutos. Isso permitirá que a temperatura de ambos se iguale, evitando um possível choque térmico.

Na segunda fase, você precisa ter paciência e cuidado, pois deverá misturar a água em que o peixe está com a água do tanque. Para fazer isso, adicione pequenas quantidades de líquido do aquário ao recipiente a cada 5 minutos. Antes de encher o recipiente deve-se retirar o excesso e repetir o processo anterior. Com isso, os parâmetros de ambos os líquidos são equalizados e o peixe começará a se adaptar.

O processo deve levar cerca de 45 minutos no total. Ao final desse período, o peixe estará pronto para ser solto em seu novo habitat. Aclimatar os espécimes reduz o estresse que eles sofrem ao mudar de casa. Dessa forma, a saúde deles é cuidada e eles ficam menos propensos a contrair qualquer doença durante os primeiros dias com você.

Alimentação

Os bettas são carnívoros que se alimentam de uma grande variedade de artrópodes. Portanto, uma das melhores recomendações para sua dieta é oferecer alimentos vivos juntamente com alimentos desidratados. A combinação de ambos fornece todos os nutrientes necessários e também estimula a atividade. No entanto, tenha em mente que uma porção por dia é mais que suficiente para o seu desenvolvimento.

Limpeza do tanque

Apesar de ter o filtro instalado no aquário do peixe betta, também é necessário realizar um pouco de manutenção. Para isso, basta aspirar o fundo do tanque pelo menos uma vez por semana e realizar a troca de água. Para trocá-la, você deve remover 25% do líquido e substituí-lo no mesmo momento.

Lembre-se de que a água da torneira geralmente contém cloro, que é prejudicial aos peixes. Então você precisa adicionar algum produto “anticloro” antes de usá-la. Verifique as condições e os parâmetros do tanque diariamente para garantir que tudo esteja bem. Se você seguir as dicas acima, não terá dúvidas de que seu novo peixe betta halfmoon ficará em ótimas condições.

Pode interessar a você...
Por que o peixe betta é agressivo?
Meus Animais
Leia em Meus Animais
Por que o peixe betta é agressivo?

O peixe betta tem um comportamento agressivo importante para sua biologia, pois atua como mecanismo seletivo da espécie. Saiba mais.



  • Roth, A. (2021). The 1,000-Year Secret That Made Betta Fish Beautiful. The New York Times. Recuperado el 1 de febrero de 2022, disponible en: https://www.nytimes.com/2021/05/14/science/betta-fish-breeds.html
  • Vidthayanon, C. 2011. Betta splendens. The IUCN Red List of Threatened Species 2011: e.T180889A7653828. https://dx.doi.org/10.2305/IUCN.UK.2011-1.RLTS.T180889A7653828.en.
  • Bik, H. M., Alexiev, A., Aulakh, S. K., Bharadwaj, L., Flanagan, J., Haggerty, J. M., … & Coil, D. A. (2019). Microbial community succession and nutrient cycling responses following perturbations of experimental saltwater aquaria. MSphere, 4(1), e00043-19.
  • Ron Moreta, C. F. (2021). El acuario como recurso didáctico para el desarrollo del valor del respeto a la naturaleza, en el nivel inicial II (Bachelor’s thesis, Universidad Técnica de Ambato-Facultad de Ciencias Humanas y de la Educación-Carrera de Educación Inicial).
  • Watson, C. A., DiMaggio, M., Hill, J. E., Tuckett, Q. M., & Yanong, R. P. (2019). Evolution, culture, and Care for Betta splendens: FA212, 3/2019. Edis, 2019(2).