Conheça o pirarucu gigante da Amazônia

novembro 20, 2019
O pirarucu é considerado um dos maiores peixes de água doce do planeta; suas escamas brilhantes e duras o protegem de predadores e de alterações bruscas no seu habitat.

O pirarucu gigante da Amazônia é um animal único que navega as águas amazônicas desde a antiguidade. Também conhecido como bacalhau da Amazônia, esse peixe gerou controvérsias por causa da sua maneira peculiar de respirar fora da água.

A população tribal da Amazônia tira proveito desse animal desde tempos ancestrais. A sua carne branca e firme contém um enorme valor nutricional. As escamas do pirarucu são tão resistentes que elas são usadas para fazer ferramentas afiadas e lixas para as unhas.

Este peixe possui um sistema ósseo em vez de espinhas, que os habitantes da região aproveitam para diversas finalidades. Entre outras coisas, os ossos são consumidos moídos com guaraná para acalmar os desconfortos intestinais e também para fazer utensílios.

O pirarucu gigante da Amazônia

Essa denominação não veio por acaso. O pirarucu pode medir três metros de comprimento ou um pouco mais e pesar cerca de 180 quilos. No entanto, a população atual dessa espécie se encontra reduzida em algumas bacias da floresta amazônica.

Isso ocorre por causa da pesca desproporcional praticada pelos habitantes da região, que viram o potencial econômico de vender a deliciosa carne do peixe.

Nos mercados brasileiros que cercam a região amazônica, é possível encontrar o pirarucu embrulhado em folhas e desidratado com sal, de forma semelhante à técnica usada com o bacalhau.

Também pode ser obtido fresco e em quantidades abundantes, mesmo quando os períodos de defesa são estabelecidos para tentar preservar a espécie. Além disso, movimentos sociais foram organizados para promover a criação do pirarucu em cativeiro.

O gigante da Amazônia

A alta culinária do Brasil e do Peru também tem uma parcela de responsabilidade pela baixa população do pirarucu.

Ao se esforçar para localizar receitas tradicionais com padrões internacionais, foi provocado um incrível desejo dos clientes por pratos que contenham esse peixe como o ingrediente principal de suas receitas.

Isso leva os pescadores do setor a ignorar as medidas de proteção, uma vez que a carne de pirarucu tem preços melhores a cada dia e, portanto, proporciona um bom retorno.

Morfologia e habitat

O seu corpo tem um formato muito semelhante a um torpedo e que, além disso, também parece aerodinâmico. Possui duas barbatanas dorsais e um outro par bem próximo da cauda.

Suas escamas podem medir entre cinco e seis centímetros de comprimento, possuem uma camada dura de minerais e uma série de camadas inferiores de colágeno. Isso permite que o pirarucu tenha uma espécie de armadura.

A cor do pirarucu varia do cinza a certos tons de verde, com manchas avermelhadas e com tons de laranja na cauda. Sua língua é óssea e coberta de dentes que esmagam as suas presas.

Além das brânquias, o pirarucu possui uma bexiga natatória, o órgão interno responsável pelo controle da flutuação dos peixes ósseos. Esta bexiga é composta por tecidos semelhantes aos pulmões, o que permite que eles obtenham o oxigênio do ar.

Morfologia e habitat do pirarucu

Este gigante dos rios vive em águas com pouco oxigênio e, geralmente, em lugares pantanosos. Exemplares de pirarucu podem ser vistos envolvidos na lama que permanece nas margens dos rios quando as águas diminuem durante as estações secas.

Nesses locais, ele não precisa das brânquias, pois pode respirar de maneira semelhante aos animais terrestres, fazendo isso por até 40 minutos.

Reprodução do pirarucu gigante da Amazônia

Durante metade do ano há uma grande quantidade de água nos rios da Amazônia, enquanto na outra metade as condições de seca são impressionantes. No entanto, o pirarucu se adapta de forma surpreendente às mudanças sazonais do seu habitat.

De fevereiro a abril, quando os níveis de água estão baixos, esses peixes desovam na lama arenosa.

Eles constroem previamente um poço de cerca de 50 centímetros de largura e cerca de 15 centímetros de profundidade. Quando a água começa a subir, os ovos eclodem e os seus filhotes aproveitam a inundação para se desenvolver.

Os machos são perfeitos cuidadores da ninhada e são os responsáveis ​​por arejar a água na área com deficiência de oxigênio. Além disso, a sua cabeça muda de cor e passa a ter um tom preto acinzentado, semelhante à cor dos filhotes, para camuflá-los.

Os machos também exalam um feromônio especial que serve para atrair os pequenos pirarucus e mantê-los por perto. Dessa forma, eles podem ser vigiados e protegidos dos predadores. Esses cuidados são mantidos durante três meses.

Quando os jovens já conseguem se defender, o macho se afasta e a sua cabeça retorna à sua cor esverdeada anterior. O pirarucu atinge a maturidade sexual aos cinco anos, aproximadamente.

https://www.britannica.com/animal/pirarucu

https://es.wikipedia.org/wiki/Arapaima_gigas

https://www.livescience.com/47326-amazon-fish-faces-extinction.html