O polvo roxo: conheça seu habitat e seus costumes

outubro 28, 2019
O polvo roxo se destaca por seu tom marcante e foi avistado pela primeira vez no Canadá.

Nunca nos cansaremos de repetir… Os animais são incríveis! Mas há alguns que chamam ainda mais a atenção, como é o caso do polvo roxo. Saiba mais sobre ele a seguir.

O polvo roxo, uma espécie ‘nova’

Esta é uma espécie que foi descoberta muito recentemente, embora isso não signifique que seja nova no planeta. A primeira vez que o polvo roxo foi visto foi nas margens da Terra Nova, no Canadá, junto com outros animais “novos” que foram investigados separadamente.

Esta área explorada com um robô subaquático foi considerada ‘uma floresta subaquática’ com vários metros de corais, que estão mudando o curso das correntes. Entre eles, o coral preto, uma espécie consolidada que pode viver mais de mil anos.

Características

O polvo roxo é um molusco marinho que, como outros da família, tem oito braços. Além disso, esse octópode apresenta não um, mas três corações, que bombeiam o sangue para as brânquias e para o resto do corpo.

Características do polvo roxo

Sua dieta é carnívora e baseada em peixes, pequenos crustáceos e, às vezes, algumas algas. Na maioria dos casos, ele permanece no fundo do mar, embora em algumas ocasiões ele possa nadar alguns metros em direção à superfície para caçar usando seus poderosos tentáculos.

Quando ele ataca a sua presa, a maneira como ele age é a seguinte: ele desliza sobre ela e introduz sua boca na casco ou no corpo da vítima. Com o seu “bico”, chupa a carne muito rapidamente.

O polvo roxo pode viver em águas salgadas frias e temperadas ou tropicais. Esta é uma das razões pelas quais se afirma que, embora os humanos o tenham visto apenas recentemente, na verdade este é um animal antigo que foi capaz de se adaptar a diferentes habitats e situações.

Rossia pacifica, o ‘outro’ polvo roxo

Além das descobertas no Canadá, podemos falar sobre outra espécie de polvo roxo que foi encontrada a 900 metros de profundidade na costa da Califórnia.

Trata-se de um cefalópode (lula) conhecido como “lula atarracada”, que tem cerca de 10 centímetros de comprimento e atrai a atenção por sua tonalidade roxa e olhos enormes.

Polvo roxo da espécie Rossia pacifica

Para passar despercebida por suas presas – principalmente peixes grandes e camarões – a Rossia pacifica fica enterrada na areia por horas e só deixa os olhos expostos. Ela também pode se camuflar com algas e outras plantas marinhas.

O mais estranho é que este polvo tem uma cor diferente de outros exemplares da mesma espécie. Por isso, chamou a atenção dos pesquisadores, que o chamam de ‘atarracado’ devido à sua robustez.

Embora seja nativo do norte do Oceano Pacífico (Japão, Coreia, Canadá ou Estados Unidos), ele se move aproveitando as correntes marítimas e, no inverno, é visto em correntes rasas. Durante o verão, procura águas mais profundas onde possa se reproduzir.

As fêmeas – que são maiores que os machos – colocam cerca de 50 ovos brancos embaixo de uma pedra ou abrigo, pois nem ela nem seu ‘parceiro’ podem cuidar dos filhotes: eles morrem logo após o acasalamento.

Os filhotes que sobrevivem nascem cerca de nove meses depois e são “versões em miniatura” dos seus pais.

Mesmo sendo um animal pacífico, se for incomodado ou ameaçado, pode jogar a sua tinta preta para permitir que ele se afaste através de uma propulsão a jato.

Sem dúvida, o polvo roxo é muito curioso e, à primeira vista, parece um brinquedo de pelúcia que acabou escondido no fundo do mar após um naufrágio. No entanto, este é um animal real muito impressionante!

Anderson, T. J. (1999). Morphology and biology of Octopus maorum Hutton 1880 in northern New Zealand. Bulletin of Marine Science.