Por que não existem hienas na Europa?

· abril 3, 2019
As mudanças climáticas há milhares de anos, assim como a ação humana sobre o ecossistema desse mamífero, são os maiores responsáveis por seu desaparecimento no Velho Continente

Em épocas pré-históricas, existiam animais impressionantes como mamutes, rinocerontes ou hienas na Europa. Ainda que algumas dessas espécies já tenham sido extintas há muito tempo no Velho Continente, a hiena malhada, que ainda existe na África, viveu há quase 10.000 anos na Europa. Por que não existem hienas na Europa?

Como sabemos que existiram hienas na Europa?

Assim como outros animais que atualmente não podem ser encontrados nesse continente, rastrear hienas na Europa só é possível pelo registro fóssil ou através de registros antigos de seres humanos que viram estes animais.

A presença das hienas na Europa data de dezenas de milhares de anos atrás, e por isso temos que buscar as cavernas de arte rupestre. Em pinturas feitas por nossos antepassados, podemos encontrar hienas, leões ou rinocerontes na fauna ibérica.

Mas também existem fósseis de hienas, que permitiram que cientistas do CSIC estudassem porque não existem hienas na Europa. Aqui, estamos falando da hiena malhada, que viveu no continente europeu e que ainda hoje tem uma enorme presença na África.

hienas na europa

A hiena malhada

A hiena malhada é o carnívoro que sobreviveu na Europa durante dezenas de milhares de anos. Hoje em dia, conhecemos esse carnívoro muito bem. Ainda que tradicionalmente se alimente de carniça, esse animal é um bom caçador e muito inteligente.

A hiena malhada é um animal com uma mandíbula poderosa. As fêmeas são quem marcam o ritmo da manada, assim como outras espécies, em que as fêmeas mandam no reino animal.

Por que não existem hienas na Europa?

Segundo esses pesquisadores, as mudanças climáticas produzidas no continente não foram a causa direta do desaparecimento da hiena na Europa. No entanto, provavelmente influenciaram muito.

hiena come carniça

Ao que parece, as hienas africanas e euroasiáticas estiveram separadas durante milhares e milhares de anos. As condições climáticas chegarem a ser extremas para esses animais, no sul da Europa, há cerca de 21.000 anos.

Ainda assim, houve outras mudanças que podem ter afetado as hienas. As mudanças climáticas também afetaram suas presas. Outro fator foi a expansão do ser humano, que levou grandes carnívoros europeus à extinção.

A extinção da hiena na Europa aconteceu há cerca de dez anos, no Pleistoceno tardio, que coincidiu com esses fatores. Mesmo assim, esse animal chegou a viver em lugares como a Galícia.

Aprender com o passado

Sem dúvidas, assim como outras espécies de grandes predadores, as hienas foram perdendo seus ecossistemas mais importantes. Hoje em dia, espécies como o lobo, o urso ou o lince europeu desapareceram de muitos países da Europa por conta da pressão humana. Sobreviveram apenas naqueles lugares onde se adaptaram para sobreviver, como o lobo ibérico na Serra da Culebra ou os ursos pardos na Cordilheira Cantábrica.

 

É por isso que a história da hiena malhada na Europa não diz apenas sobre a fauna que habitou o continente no passado. Essa história também pode nos ajudar a conservar algumas das espécies atuais.

 

Alguns se perguntam se a hiena malhada pode voltar à Europa, podendo ser considerada uma espécie em perigo de extinção de que desapareceu da península ibérica, como é o caso do castor da Espanha. No entanto, a mudança do clima torna impossível essa tarefa, que seria impossível para muitos. Não podemos nos esquecer de que grande parte da fauna que convivia com essas hienas também já desapareceram. Esse é um ciclo natural, que o ser humano está acelerando.