O que comem os grilos?

Os povos pré-hispânicos da América Central costumavam consumir invertebrados como os grilos de forma regular em sua dieta, por serem importantes fontes de nutrientes e compensados pela falta de proteína animal.
O que comem os grilos?

Última atualização: 24 outubro, 2021

Os grilos são insetos que se caracterizam por sua excelente capacidade de pular e por seu “canto” distinto. No momento, descobriu-se que esses invertebrados são ricos em proteínas, por isso são considerados um alimento apto para humanos. No entanto, muito de seu valor nutricional vem do que os grilos comem na natureza.

Especificamente, o termo “grilo” é usado para se referir a várias espécies dentro da ordem Orthoptera. Apesar disso, os parágrafos seguintes farão referência ao espécime mais utilizado para cultivo e alimentação, cujo nome científico é Acheta domestica. Continue lendo e aprenda mais sobre o que os grilos comem.

Como são os grilos?

Os grilos têm um corpo esguio e cilíndrico segmentado em três partes: cabeça, tórax e abdômen. Ao contrário de outros insetos, esses invertebrados não têm essas divisões perceptíveis, de modo que na verdade parecem ter apenas dois segmentos. Além disso, possuem dois pares de asas que não são úteis para voar, mas que funcionam como um instrumento musical para entoar seu típico som (estridulação).

A cabeça desses organismos é bastante robusta e abriga toda a sua estrutura bucal em direção ao solo (hipognata). Da mesma forma, o tórax apresenta a inserção dos 3 pares de patas, dos quais apenas os 2 primeiros são usados para caminhar, enquanto o último é especializado em saltos. Ao contrário de seus parentes, os gafanhotos, essa espécie não é tão orientada pelos saltos.

A distribuição desses invertebrados é mundial, pois graças à sua utilidade como alimento para anfíbios, aves e répteis, chegaram a outros continentes. Além disso, devido à sua dieta, eles foram capazes de se adaptar a diferentes ambientes, tornando-se a espécie de ortópteros invasores por excelência.

Uma colônia de grilos domésticos.

Importância do aparelho bucal

Os insetos são um grupo com grande diversidade e diferentes aparelhos bucais. Essas estruturas costumam ser modificadas para se adaptar ao tipo de dieta de cada espécie. No caso particular dos ortópteros, a estrutura da boca é do tipo mastigadora, o que permite triturar diversos alimentos sólidos.

A boca dos grilos possui 4 partes importantes: labro, mandíbula, maxila e lábio. O lábio e o labro têm função análoga aos lábios dos mamíferos, pois servem para introduzir alimentos e proteger a região oral. Por outro lado, as mandíbulas e os maxilares funcionam como os dentes desses organismos, pois são responsáveis pela trituração dos alimentos.

O que os grilos comem?

Os grilos têm uma dieta onívora graças à sua estrutura bucal trituradora. Dessa forma, são capazes de consumir vegetais como folhas, caules, frutos e sementes e se alimentar de diversos tipos de insetos, inclusive eles próprios (canibalismo). Eles escolhem seus alimentos com base na disponibilidade, portanto também podem ser considerados oportunistas.

Além disso, como muitos desses organismos se distribuíram por áreas urbanas, eles também se adaptaram para consumir restos de comida humana. Isso lhes dá uma grande capacidade de colonizar novos ambientes e os torna bem-sucedidos na invasão de novas regiões.

O que os grilos comem em cativeiro?

Devido à grande adaptabilidade dos grilos, geralmente é fácil mantê-los em cativeiro e criá-los. Para isso, eles precisam de uma dieta variada que às vezes inclui comida comercial para aves e roedores. Porém, é importante que esses compostos não contenham medicamentos ou hormônios, pois podem causar problemas no seu desenvolvimento.

A melhor recomendação para que os espécimes tenham uma dieta de qualidade é combinar ração comercial com frutas, vegetais e sementes. Dessa forma, as proteínas e a água necessárias são fornecidas sem um gasto excessivo para sua criação.

Recomendações adicionais

Ao alimentar os exemplares, separe o alimento seco do úmido para evitar a formação de mofo nas rações preparadas. Além disso, se você optar pelo uso de pellets para animais de estimação, lembre-se de que é melhor amassá-los um pouco para que os grilos possam comê-los com facilidade. Lave frutas e vegetais com cuidado para que não fiquem com vestígios de fertilizantes ou inseticidas.

Embora os grilos possam comer qualquer tipo de resíduo, é melhor planejar uma dieta específica com alimentos frescos para eles. Normalmente não é necessário dar água extra aos exemplares, pois eles a ingerem dos vegetais que consomem. Porém, em alguns casos pode-se colocar água em forma de gel (que garante a hidratação).

Lembre-se de retirar os alimentos que os grilos não comerem para evitar que sua decomposição os prejudique. Da mesma forma, mantenha a higiene ao máximo, pois isso irá melhorar a qualidade e a contribuição nutricional. Uma das principais razões para a criação de grilos é a sua utilização como alimento vivo ou comida, por isso é importante prestar atenção a esses detalhes.

Alimento vivo

Alguns animais (como répteis e anfíbios) têm sua dieta baseada no consumo de insetos, por isso é comum o cultivo desses organismos para alimentá-los. Os grilos servem como um prato nutritivo para organismos em cativeiro que não podem obter seu alimento vivo naturalmente.

A criação de grilos se aproveita de dois fatores importantes: alto valor nutricional e baixo custo de produção. Por isso, em países como o Peru eles são utilizados como mais uma alternativa para a alimentação do gado.

Humanos comendo grilos

Curiosamente, a entomofagia ou o consumo de insetos é uma prática que existe há muito tempo. No entanto, devido aos tabus que existem na sociedade atual, essa atividade é desaprovada pela maioria das pessoas. Isso é contraditório, pois o valor nutricional desses invertebrados pode ser superior ao do consumo de carne animal.

Os ortópteros possuem entre 62 e 75% de proteínas de fácil digestão e são bastante abundantes em várias regiões do mundo. Esses insetos são nutritivos porque aproveitam muito os alimentos que metabolizam, com uma eficiência 5 vezes maior que a do gado.

Em suma, os grilos podem ser considerados uma alternativa saudável, nutritiva e sustentável para a alimentação humana.

As curiosidades dos grilos são múltiplas.

Não importa se o seu objetivo é cultivá-los para alimentar seus animais de estimação ou cozinhar um prato suculento: esses insetos têm um enorme potencial nutricional. Apesar de sua aparência, os benefícios são impressionantes e não envolve um complexo mecanismo de criação. Contudo, lembre-se de que a dieta dos grilos afeta sua contribuição nutricional, por isso eles só são adequados se forem bem alimentados.

Pode interessar a você...
Tudo que você precisa saber sobre a vida dos grilos
Meus Animais
Leia em Meus Animais
Tudo que você precisa saber sobre a vida dos grilos

Saiba tudo sobre a vida dos grilos, um inseto que salta, canta, e é até considerado... um alimento muito nutritivo para algumas culturas!



  • Pijoan, M. (2001). El consumo de insectos, entre la necesidad y el placer gastronómico. Offarm: farmacia y sociedad, 20(9), 150-161.
  • Patton, R. L. (1967). Oligidic diets for Acheta domesticus (Orthoptera: Gryllidae). Annals of the entomological society of America, 60(6), 1238-1242.
  • Nosil, P. (2002). Food fights in house crickets, Acheta domesticus, and the effects of body size and hunger level. Canadian Journal of Zoology, 80(3), 409-417.
  • Oloo, J. A., Ayieko, M., & Nyongesah, J. M. (2020). Acheta domesticus (Cricket) feed resources among smallholder farmers in Lake Victoria region of Kenya. Food science & nutrition, 8(1), 69-78.
  • Apolo-Arévalo, L., & Lannacone, J. (2015). Crianza del grillo (Acheta domesticus) como fuente alternativa de proteínas para el consumo humano. Scientia, 17(17).
  • Joern, A. (1979). Feeding patterns in grasshoppers (Orthoptera: Acrididae): factors influencing diet specialization. Oecologia, 38(3), 325-347.