10 curiosidades sobre os grilos

Os grilos são insetos com um dimorfismo sexual muito evidente, pois os machos cantam constantemente para atrair as fêmeas do ambiente.
10 curiosidades sobre os grilos

Última atualização: 17 Agosto, 2021

Certamente você já ouviu um som estridente à noite ao caminhar ao ar livre. Sem dúvida, essa tonalidade que se faz presente em locais secos e escuros se deve ao estridular de um grilo macho, que procura ativamente uma parceira para se reproduzir. Além da habilidade de cantar, você conhece outras curiosidades sobre os grilos e seus parentes?

Os grilos são insetos e, como tal, apresentam várias características comuns à grande maioria dos outros hexápodes: 3 pares de patas, tagmas divididos em cabeça, tórax e abdômen e antenas sensoriais. No entanto, esse grupo tem certas características marcantes que o distinguem claramente de outros insetos. Aqui vamos revelar 10 delas.

1. Os grilos não são uma única espécie

O termo “grilo” não tem relevância taxonômica, uma vez que não se refere a uma espécie específica e estabelecida em todo o mundo. Quando usamos esse termo, estamos nos referindo a insetos hexápodes da ordem Orthoptera, um táxon que por sua vez inclui grilos, gafanhotos, esperanças, wetas e paquinhas.

Especificamente, os grilos pertencem à superfamília Grylloidea e à família Gryllidae. Conforme indicado pelo site Wildlife Journal, existem cerca de 900 espécies nesse último grupo, das quais cerca de 100 podem ser encontradas nos Estados Unidos. A maior diversidade desses insetos ocorre em regiões tropicais próximas ao Trópico de Câncer.

O termo “grilo” pode se referir a mais de 900 espécies diferentes de ortópteros.

 

Um grilo emergindo do solo.

2. Os grilos têm um plano corporal comum

Todas as espécies de grilos compartilham certas características. Eles têm corpos cilíndricos, cabeças circulares e antenas bem longas. Um pronoto robusto está localizado atrás da cabeça e o abdômen termina em um par de característicos apêndices sensoriais ou vestigiais. As patas traseiras têm um fêmur altamente desenvolvido, especializado na locomoção por saltos.

3. Sua distribuição é cosmopolita

Os grilos são encontrados em quase todas as partes do mundo, exceto em latitudes de 55° ou mais. São animais ectotérmicos e, como tal, sua temperatura corporal depende do ambiente. Como eles não podem produzir calor por conta própria, são incapazes de colonizar meios extremamente frios.

Esses insetos são encontrados em uma grande diversidade de habitats, de praias a cavernas, passando por florestas, pastagens, áreas arbustivas e muitos outros microecossistemas. A maioria das espécies são semissubterrâneas e criam seus abrigos subterrâneos em profundidades rasas.

4. São animais com poucas defesas

Além da picada, esses insetos são bem indefesos na presença de predadores. Por isso, outra curiosidade dos grilos é sua habilidade de passar despercebido no ambiente. Esse fenômeno é conhecido como crípse, ou seja, ser invisível aos olhos de uma ameaça.

Os grilos tendem a apresentar cores escuras e terrosas, excelentes para se camuflar no solo. Além disso, eles atingem seu pico de atividade fora de suas tocas à noite, horário em que ficam ainda mais difíceis de enxergar. Apesar de suas estratégias defensivas, eles são a fonte de proteína básica para muitas espécies de aves e mamíferos.

5. Os grilos podem voar?

A presença de asas é uma característica geral nos ortópteros, mas é importante ressaltar que alguns grilos da subfamília Nemobiinae carecem dessas estruturas. Outras espécies possuem asas dianteiras pequenas e não contam com asas traseiras ou vice-versa. Geralmente, grupos de grilos com asas traseiras mais desenvolvidas tendem a voar melhor.

Algumas espécies de grilo voam muito bem, enquanto outras mal conseguem decolar.

6. O canto dos grilos: uma de suas curiosidades mais famosas

Sem dúvida, uma das curiosidades mais marcantes dos grilos é a habilidade dos machos de “cantar”. Esse termo é usado entre aspas porque o som emitido não é um canto propriamente dito, mas um fenômeno conhecido como estridulação.

O mecanismo típico da estridulação consiste em uma estrutura com uma borda serrilhada (raspador) que se desloca sobre uma superfície com pequenas ondulações (corpo). No processo de fricção, são produzidas vibrações muito audíveis. No caso dos grilos, os élitros (asas) funcionam como raspadores e produzem sons ao serem esfregadas.

7. Os grilos são onívoros

Em cativeiro, a maioria dos grilos come de tudo: ração de cachorro, vegetais, carne, animais mortos, sementes, frutas e muito mais. No entanto, algumas espécies são estritamente herbívoras e se alimentam de brotos de vegetais no ambiente natural. Outros são predadores e procuram ovos, insetos e até pequenos répteis como vítimas.

8. Eles apresentam um dimorfismo sexual muito acentuado

Os grilos têm um dimorfismo sexual muito evidente: os machos são menores que as fêmeas, têm o abdômen menos volumoso e, acima de tudo, não têm ovipositor. Por outro lado, as fêmeas apresentam essa estrutura, muito longa e localizada entre os segmentos 8 e 9 do abdômen.

A função do ovipositor é permitir a passagem dos ovos para o exterior. Além disso, devido ao seu comprimento, é mais fácil para as fêmeas enterrarem seus ovos no subsolo, sem ter que cavar e desperdiçar energia no processo. Isso é muito importante, pois os machos e outras espécies de insetos se alimentam regularmente dos ovos.

9. A hierarquia é estabelecida com violência

Embora pareçam criaturas gentis, os grilos machos dão tudo de si quando se trata de reprodução. Eles começam a lutar com o roçar das antenas e a exibição das mandíbulas, mas se isso não for suficiente, eles se agarram e empurram até que um dos competidores fique subordinado. Quando um espécime conquista o domínio, ele canta acima dos demais.

Curiosamente, os estudos mostraram que os grilos dominantes têm um sistema imunológico mais forte do que os grilos subordinados. Assim, os cantos seriam para as fêmeas verdadeiros sinais da qualidade genética dos pretendentes na escolha de um parceiro reprodutor.

10. Os grilos são um excelente alimento

Embora a abordagem antropocêntrica da natureza muitas vezes nos impeça de reconhecer esse fato, é necessário destacar que os grilos são uma excelente fonte de nutrientes, tanto para o ser humano quanto para outros animais onívoros. Portanto, não é uma surpresa saber que nos países asiáticos o consumo desses ortópteros seja cada vez mais comum.

Sem muitos detalhes, existem cerca de 20 000 produtores de grilos ativos na Tailândia, produzindo 7500 toneladas de alimentos por ano. A “farinha” produzida pela secagem e trituração desses insetos é cada vez mais comum como aditivo em biscoitos, massas e outros alimentos.

 

Você conhece as curiosidades sobre os grilos?

Como você pode ver, os grilos têm características impressionantes que vão muito além de seu canto ou estridulação. Da próxima vez que ouvir esse som à noite, lembre-se da hierarquia e do comportamento fascinante desses ortópteros.

Pode interessar a você...
Tudo que você precisa saber sobre a vida dos grilos
Meus AnimaisLeia em Meus Animais
Tudo que você precisa saber sobre a vida dos grilos

Saiba tudo sobre a vida dos grilos, um inseto que salta, canta, e é até considerado... um alimento muito nutritivo para algumas culturas!



  • Vedenina, V. Y., & Shestakov, L. S. (2018). Loser in fight but winner in love: how does inter-male competition determine the pattern and outcome of courtship in cricket Gryllus bimaculatus?. Frontiers in Ecology and Evolution, 6, 197.
  • Hornsby, M., & Flood, M. (2017). The effect of temperature on cricket stridulation. Proceedings of the West Virginia Academy of Science, 89(1).
  • Jonsson, T., Montealegre-Z, F., Soulsbury, C. D., & Robert, D. (2021). Tenors not sopranos: Bio-mechanical constraints on calling song frequencies in the Mediterranean field-cricket. Frontiers in Ecology and Evolution, 9, 225.
  • Broder, E. D., Wikle, A. W., Gallagher, J. H., & Tinghitella, R. M. (2021). Substrate-borne vibration in Pacific field cricket courtship displays. Journal of Orthoptera Research, 30, 43.