6 curiosidades do pinguim-de-penacho-amarelo

Os pinguins podem ser encontrados no Oceano Atlântico, no Oceano Pacífico e no Oceano Índico. Eudyptes chrysocome é uma das espécies mais marcantes dentro desse táxon.
6 curiosidades do pinguim-de-penacho-amarelo

Última atualização: 27 Março, 2021

No planeta Terra existem inúmeras espécies animais que se destacam por sua beleza ou personalidade marcante, como é o caso da ave que aqui nos interessa, o pinguim-de-penacho-amarelo. Esse pinguim é conhecido pela tonalidade que lhe dá seu nome, mas tem muitas outras curiosidades que podem passar despercebidas.

Por isso, hoje vamos nos concentrar em conhecer as diferentes contribuições desse animal além de sua coloração. Continue lendo e não perca nenhum detalhe sobre isso!

Curiosidades do pinguim-de-penacho-amarelo

A seguir, apresentamos 6 curiosidades marcantes sobre esse fantástico animal. Não perca, porque o pinguim-de-penacho-amarelo é tão bonito quanto interessante no aspecto comportamental.

1. A razão por trás do seu nome

Esse pinguim recebe o nome científico de Eudyptes chrysocome ou Eudyptes crestatus, embora normalmente tenha outras alcunhas. Em particular, destaca-se a que dá título a esta artigo, “pinguim-de-penacho-amarelo”.

No entanto, os responsáveis por esse curioso nome são o conjunto de penas amarelas que parecem as sobrancelhas do animal. Quando a ave levanta essas “sobrancelhas” amarelas, elas adotam um formato que lembra um penacho, de uma forma muito simpática.

Contudo, ele também pode ser conhecido como “pinguim-saltador-da-rocha”. Em inglês, essa espécie é conhecida exatamente como rockhopper, que significa “pular pedras”, devido ao seu hábito de se locomover na terra saltando com as duas pernas juntas.

Um filhote de pinguim-de-penacho-amarelo.

2. Existem 2 espécies de pinguins-de-penacho-amarelo

No passado, considerava-se que existiam 2 subespécies dentro da espécie de pinguim-de-penacho-amarelo. Dessa forma, cada uma delas recebeu o nome da região em que foi encontrada.

No entanto, hoje em dia são consideradas 2 espécies diferentes a nível morfológico e genético. Também foram detectadas diferenças na comunicação por meio de vocalizações. No entanto, o nome comum entre os dois foi mantido:

  • Pinguim-de-penacho-amarelo do Sul ou Eudyptes crestatus.
  • Pinguim-de-penacho-amarelo do Norte ou Eudyptes moseleyi.

Por outro lado, essas espécies podem ser confundidas com o pinguim-de-testa-amarela, Eudyptes chrisolopus. Eles se diferem pela posição das penas ou “sobrancelhas” e pelo fato dos Eudyptes chrisolopus terem a borda preta da garganta em forma de V, que é reta nos Eudyptes crestatus.

3. É o menor pinguim

Outra característica marcante do pinguim-de-penacho-amarelo é o seu pequeno tamanho, com 55 centímetros máximos de comprimento. Isso o torna o menor pinguim de todos, tanto das variedades com crista quanto as antárticas.

4. São animais com comportamento hostil

Normalmente, os indivíduos dessa espécie são bastante agressivos entre si, bem como com outras aves – com as quais disputam locais de nidificação. No entanto, observou-se que, ao contrário, seu comportamento dentro do casal é extremamente gentil.

5. A comida influencia a sobrevivência dos jovens

Embora já tenha sido observado que a privação ou escassez de alimento influencia a prole, esse comportamento é marcante nesses pinguins. Foi observado que as fêmeas normalmente põem 2 ovos no mês de novembro.

No entanto, em situações em que o alimento é escasso, apenas o segundo dos ovos eclodirá. Ambos os pais cuidam do ovo e da prole que pode nascer.

Depois que os ovos eclodem, o filhote ou os filhotes são cuidados pelos pais. No primeiro mês de vida eles recebem cuidado parental total, no segundo mês são formadas creches e a partir do terceiro mês eles descem para o mar.

6. Estado de conservação e predadores naturais

Embora os mamíferos marinhos – como as orcas e as focas-monge – carreguem o título de predadores naturais dessas aves, elas não são as únicas. Outros predadores introduzidos pelo homem foram identificados nas ilhas onde vivem os pinguins. Especificamente, gatos, ratos, porcos ou mamíferos selvagens.

Essas – e outras ameaças antrópicas – que influenciam seu estilo de vida, levaram a um rápido declínio na população das espécies mencionadas. Por sua vez, isso fez com que fossem classificados como táxons vulneráveis pela União Internacional para Conservação da Natureza (UICN).

O encontro dos pinguins-de-penacho-amarelo.

Em suma, às vezes os nomes comuns de alguns animais são tão marcantes que apagam outros aspectos muito interessantes da espécie. O pinguim-de-penacho-amarelo é a prova viva disso, pois suas características fascinantes vão além do penacho de penas acima dos olhos.

Para continuar aprendendo mais sobre essa e todas as espécies encontradas na Terra, devemos protegê-las. Dessa maneira, construiremos um mundo em que todas as espécies que o compõem coexistam sem problemas.

Pode interessar a você...
Quantas espécies de pinguins existem?
Meus Animais
Leia em Meus Animais
Quantas espécies de pinguins existem?

Existem mais de 10 espécies de pinguins, e nas fotografias nós sempre os vemos cercados de neve. Mas será que podem viver em outros habitats?