Tipos de cobras no mundo

· novembro 16, 2018
Algumas são inofensivas, enquanto outras injetam ou cospem veneno. Além disso, existem também as constritoras, que são aquelas que matam suas vítimas por asfixia.

Ofídios ou cobras correspondem a um conjunto de animais que inclui 3.460 espécies, por isso é interessante analisar que tipos de cobras existem em nosso planeta.

Tipos de cobras no mundo

Jiboias e pítons

Entre os diferentes tipos de cobras, as jiboias e as pítons são consideradas as espécies mais primitivas e, de fato, ainda possuem patas traseiras vestigiais. 

Jiboias e pítons nunca são venenosas, mas matam suas presas por sufocamento, enquanto enrolam seus anéis musculares ao redor das costelas da vítima.

jiboia

Entre as jiboias e pítons existem várias cobras populares: a píton real é muito famosa como animal de estimação, enquanto a píton reticulada pode atingir 10 metros de comprimento.

As jiboias e as pítons têm dentes aglutinantes, que são dentes sólidos e curvados para trás.

Eles permitem que suas presas não escapem, mas não foram projetados para inocular veneno.

Cobras

As colubrídeas ou cobras estão entre os tipos mais comuns de cobras, e podem ser encontradas em muitos ecossistemas diferentes. 

Entre as colubrídeas não há apenas espécimes perigosos, ainda que sejam venenosos.

Serpente

Tradicionalmente, dentro do grupo das colubrídeas há muitas cobras diferentes. A maioria das cobras tem dentes áglifos, como os das jiboias e das pítons. No entanto, algumas cobras venenosas têm dentes opistóglifos, que têm um canal ligado a glândulas de veneno. Portanto, precisam morder suas presas para inoculá-lo. Esses dentes ficam bem na parte de trás da mandíbula.

Embora a maioria das cobras não seja perigosa, o veneno da boomslang africana é mortal.

Elapídeos

Este grupo inclui cobras extremamente venenosas, geralmente de veneno neurotóxico. Entre os elapídeos estão as mambas, najas e a cobra-coral.

Elapídeos

As mambas são cobras arborícolas africanas, conhecidas por serem muito venenosas e extremamente rápidas.

A mais conhecida é a mamba negra, por ser a cobra mais venenosa da África; curiosamente não é arborícola e deve seu nome à cor negra de sua boca.

As najas são conhecidas por aquele capuz que estendem quando se sentem ameaçadas.

Vivem tanto na Ásia quanto na África e exibem suas vértebras cervicais como um gesto de advertência. Elas têm uma grande força para cobras não constritoras, devido aos músculos que desdobram o capuz.

A cobra-coral e as serpentes do mar são elapídeos com cores brilhantes e venenos poderosos, que lembram as rãs venenosas. No caso da cobra-coral, predominam o preto, o amarelo e o vermelho.

Os elapídeos têm dentes proteróglifos, que ficam na frente da boca e são bastante curtos. Essas cobras injetam o veneno quando mordem, exceto algumas que cospem, já que têm um canal que lhes permite atirar no veneno.

Viperídeos

Este grupo inclui víboras europeias e as crótalos, dentre as quais se destacam as cascavéis. Os viperídeos têm um veneno hemotóxico, que não precisa chegar ao cérebro para agir.

Em tais situações, o uso de torniquetes pode fazer com que venhamos a ter um membro amputado.

Viperídeos

As víboras são muito fáceis de serem reconhecidas, pois têm uma cabeça triangular e uma pupila vertical, embora nem sempre seja esse o caso.

São consideradas as cobras mais venenosas da Europa, e até foram usadas ​​em guerras púnicas para serem arremessadas em navios inimigos.

Incluem vários espécimes, principalmente americanos. As mais conhecidas são as cascavéis, que podem fazer um ruído característico para alertar sobre seu perigo.

Quanto a sua mordida, seus dentes são solenóglifos: presas móveis que agem como agulhas hipodérmicas e que podem girar, muito eficazes na injeção do veneno.