Os vampiros submarinos existem?

Os ciclóstomos são animais que despertam a curiosidade de quem os conhece. Neste artigo, falaremos sobre eles e explicaremos por que em alguns locais eles são chamados de "vampiros submarinos".
Os vampiros submarinos existem?

Última atualização: 01 Março, 2021

No reino animal, existem todos os tipos de criaturas que inspiraram lendas e histórias de terror na cultura humana. Esse é o caso dos vampiros ou lobisomens. Esse fato fez com que muitos animais fossem desprezados pelas pessoas, que os consideraram não apenas perigosos, mas também demoníacos e assustadores.

No caso dos vampiros, eles sempre foram associados aos morcegos, sugadores no céu noturno. Mas os vampiros submarinos existem? Se você deseja obter uma resposta a essa pergunta, incentivamos essa leitura.

O curioso caso dos vampiros submarinos: os ciclóstomos

Os ciclóstomos são um grupo de animais vertebrados sem mandíbula que incluem os mixinídeos e as lampreias . Tradicionalmente estudados e considerados dentro do grupo filogenético dos peixes, hoje eles constituem um táxon independente de animais. No momento, eles são admitidos como uma das grandes classes de vertebrados. Porém, sua origem é, de certa forma, um mistério.

De onde vem o nome “ciclóstomos”?

“Ciclóstomo” significa literalmente “boca circular”. Essa boca, em forma de funil ou ventosa, serve para que esses animais consigam se aderir às pedras do fundo. A função mais importante desse aparelho oral característico é fixar-se no flanco dos peixes que servem de alimento. Eles se alimentam de sangue, sendo, portanto, considerados animais parasitas hematófagos.

Uma pequena lampreia em um rio.

Tipos de vampiros submarinos

Os ciclóstomos compreendem duas ordens de animais, que incluem:

  • Os mixinídeos, todos marinhos.
  • As lampreias, que podem ser marinhas ou de água doce.

Os mixinídeos são muito vorazes e seu método de caça consiste em uma espécie de parasitismo. Quando veem um peixe que pode servir de presa, eles entram nessa presa pela boca ou pela fenda branquial e a comem por dentro. É tão macabro que no final só deixam a pele e o esqueleto.

As lampreias também se alimentam de uma forma grotesca e não menos cruel. Elas atacam os peixes fixando-se neles com sua boca em forma de ventosa, cercada por uma centena de dentes córneos. Embora não sejam úteis para mastigar, essa ferramenta é perfeita para raspar a carne de suas vítimas e, assim, ser capaz de sugar o sangue.

Além da alimentação “vampiresca”, o que mais diferencia os ciclóstomos de outros vertebrados?

Em primeiro lugar, ao contrário dos peixes, eles não têm membros ou barbatanas dispostas da mesma forma. Eles têm apenas uma barbatana dorsal ímpar ao longo de todo o corpo.

Também não possuem os seguintes elementos típicos de outros peixes:

  • Escamas.
  • Bexiga natatória.
  • Cloaca.
  • Oviduto.
  • Vértebras.
  • Costelas.

Seu esqueleto consiste de uma haste cartilaginosa (a corda dorsal ou notocorda) e algumas cartilagens que formam um cesto para sustentar as brânquias. Isso lhes dá grande flexibilidade e plasticidade, uma vez que não são limitados por um esqueleto rígido.

A reprodução dos vampiros submarinos

Quando os indivíduos estão sexualmente maduros, eles se aproximam da foz dos rios para subir. Eles podem fazer isso sozinhos ou ligados a peixes que fazem esse esforço por eles, como o salmão. Durante essa subida, as lampreias não comem nem esgotam todas as suas reservas.

Chegando ao local indicado, a fêmea se fixa em uma pedra do fundo e constrói um ninho na areia, onde deposita seus ovos. O macho gruda em sua cabeça para fecundá-los. No final da postura, ambos os progenitores se entregam a um último esforço e morrem.

E o que acontece com os jovens depois?

Ao nascer, as larvas, cegas e desprovidas de dentes, permanecem em água doce durante vários anos (até terminarem o seu ciclo biológico). A viagem de volta ao mar começa quando os jovens atingem 20 centímetros.

Vampiros subaquáticos existem e lampreias são um exemplo disso.

Os vampiros submarinos

Fica provado, então, que os vampiros submarinos existem, constituindo um grupo próprio dentro dos vertebrados, chamado Cyclostomata. Eles ganharam o nome de “vampiros” devido à maneira peculiar de se alimentar de suas presas. Esses animais os devoram, de dentro ou de fora, agarrando-se à superfície e sugando sangue e tecidos.

Embora pareça curioso, as pessoas são seus maiores predadores, pois esses animais são uma delícia gastronômica para os humanos. É uma fonte de proteínas de excelente qualidade e é considerado um “peixe azul”, com os benefícios incluídos.

Apesar de seus aspectos de beleza duvidosos e costumes aterrorizantes, os mixinídeos e as lampreias são animais de importância essencial para o ecossistema. É por isso que eles merecem respeito e preservação como qualquer outro animal.

Pode interessar a você...
O que são os peixes elétricos?
Meus AnimaisLeia em Meus Animais
O que são os peixes elétricos?

Os peixes elétricos são uma clara evidência da evolução das espécies e de como cada um usa o mesmo recurso em benefício próprio.