Você conhece o aie-aie?

março 25, 2019
O aie-aie tem um terceiro dedo mais longo e mais fino na mão para cavar e localizar os insetos que come

O aie-aie é uma espécie curiosa de mamífero endêmico da ilha de Madagascar. Atualmente, está em perigo de extinção, razão infeliz pela qual ganhou maior visibilidade em todo o mundo. A seguir, conheceremos melhor suas principais características, seu habitat, alimentação e reprodução.

Características moleculares e taxonomia do aie-aie

O aie-aie (Daubentonia madagascariensis) é uma espécie de primata relacionada aos lêmures. É um animal raro e, até hoje, é o único representante vivo de sua espécie (Daubentonia). A outra espécie próxima do aie-aie foi extinta há cerca de mil anos e era conhecida como aie-aie gigante.

Tal é a sua raridade que, quando foi descoberto pelos cientistas, foi catalogado como um “esquilo estranho”.

No entanto, as características morfológicas que eles compartilham com os Strepsirrhini sugerem que essa é uma espécie muito primitiva de primata.

Principais aspectos morfológicos

O aie-aie tem um tamanho médio e atinge um comprimento de corpo semelhante ao de um gato doméstico adulto. Seu corpo mede aproximadamente 40 centímetros, e a cauda pode atingir cerca de 15 centímetros.

Seu peso corporal é bastante leve em comparação com seu tamanho, que dificilmente excede três quilos. Isso permite que esses mamíferos se movam rapidamente e possam escapar facilmente de seus predadores.

As características morfológicas mais marcantes são as orelhas largas e arredondadas nas pontas, e os grandes olhos amarelos e um pouco esbugalhados.

Estes últimos são uma característica típica dos animais noturnos, que assim desfrutam de uma melhor visão na ausência de luz natural.

Aie-aie à noite

Suas patas são curtas e têm uma aparência estranha: elas são formadas com falanges ou dedos finos e longos. Nos dedos das mãos ou patas dianteiras também se revelam garras afiadas e pontiagudas.

Curiosamente, o aie-aie tem o terceiro dedo mais longo e mais fino, porque o usa para cavar em busca de insetos para comer.

Sabe-se também que essa terceira falange é muito sensível às vibrações e sua temperatura sobe enquanto o aie-aie procura por sua comida.

Hábitos e alimentação do aie-aie

Os aie-aie são animais arborícolas – eles vivem, majoritariamente, em árvores – que mantêm hábitos noturnos. Sua dieta é onívora e se baseia principalmente no consumo de insetos ou larvas.

No entanto, eles também tendem a comer alguns frutos e sementes para atender às suas necessidades nutricionais.

Como podemos ver, seu terceiro dedo mais longo e fino desempenha um papel essencial em sua dieta. O aie-aie usa esse dedo para bater na casca das árvores, algo semelhante ao que o pica-pau faz com o bico. Mas entre os mamíferos, os lêmures são os únicos que desenvolveram essa capacidade.

Obtendo um pequeno buraco em seu tronco, o aie-aie insere seu dedo dentro para procurar por insetos, larvas ou vermes.

A sensibilidade de seu terceiro dedo às vibrações permite que o aie-aie saiba precisamente a localização de suas presas dentro da árvore.

Nesta técnica, o animal também usa sua poderosa audição para saber onde há um pequeno buraco sob a casca. O som oco indica que a madeira foi comida por dentro por larvas ou insetos.

Aie-aie caçando à noite

Habitat e reprodução do aie-aie

Como mencionado na introdução, o aie-aie é uma espécie nativa e endêmica da ilha de Madagascar, no continente africano.

Atualmente, estão registrados cerca de 2,5 mil exemplares, distribuídos por toda a ilha africana, com uma leve tendência a se concentrar na área oriental.

Em seu habitat, o aie-aie pode se reproduzir durante todo o ano, o que significa que ele não tem uma estação de reprodução específica.

Um sinal de que as fêmeas estão receptivas é que elas concordam em estar na companhia dos machos 24 horas por dia.

Enquanto alguns exemplares do aie-aie podem ser bastante sociáveis, essa coexistência dia e noite entre fêmeas e machos ocorre apenas durante a reprodução.

Os machos, por outro lado, são agressivos uns com os outros, de modo que eles podem participar de lutas mortais.

A cada gestação, as fêmeas dão à luz a apenas um filhote, do qual cuidarão até que ele possa sobreviver sozinho.

Geralmente, as fêmeas só aceitam o acasalamento novamente depois de dois ou três anos de sua última gravidez.

A expectativa de vida do aie-aie é calculada entre 20 e 23 anos, em condições ótimas para o seu desenvolvimento. Para isso, devemos levar em conta seus principais predadores, entre os quais está o ser humano.