A fossa, o mais estranho predador de Madagascar

agosto 17, 2019
Quando as pessoas falam da Fossa de Madagascar, os habitantes locais não citam nem seu nome. Dizem que é um demônio que sequestra crianças. No entanto, é tudo uma fantasia; trata-se apenas de um predador carnívoro, o mais importante da ilha.

Você acredita que esse animal que parece tão simpático é um dos principais predadores de Madagascar? Nesse artigo, vamos contar tudo sobre a fossa, um carnívoro dominante.

Um predador único

Seu nome científico é Cryptoprocta ferox e é um mamífero carnívoro endêmico da ilha de Madagascar. Embora tenha muitas semelhanças com os felinos, ele pertence à família Eupleridae.

É o predador dominante da ilha porque não há outros mamíferos carnívoros nela. Além disso, é o principal caçador – depois do homem – dos lêmures.

O grande tamanho das fossas atuais – até duas vezes maiores que um gato doméstico – é devido ao que é conhecido como gigantismo insular. Esse fenômeno é uma resposta evolutiva das espécies isoladas que não têm predadores ou concorrentes naturais à sua volta.

Características físicas da fossa

Os machos são um pouco maiores que as fêmeas, pois atingem cerca de 80 centímetros de comprimento (elas chegam a 70 centímetros).

O rabo pode medir quase um metro, enquanto o peso dos exemplares do sexo masculino é de cerca de 10 quilos, e para as fêmeas é de 7 quilos.

Fossa de Madagascar

Em ambos os sexos, o pelo é curto, avermelhado, fulvo ou castanho. A cabeça é pequena em comparação com o resto do corpo alongado e musculoso, característica que compartilha com os mangustos.

Além disso, enfatizamos suas grandes orelhas redondas, sua trufa escura e seus olhos salientes de cor marrom, que lhe permitem ver melhor à noite. A fossa também tem longos bigodes em todo o rosto.

Uma das características físicas mais peculiares da fossa é sua genitália externa: os machos têm um pênis que se estende entre as patas dianteiras.

No caso das mulheres, elas mostram uma “masculinização transitória” até os dois anos de idade, pois têm um clitóris aumentado, o que pode ser confundido com um pseudopênis.

As pernas são providas de garras retráteis – assim como nos felinos – e suas pernas “nuas” permitem que elas se segurem em pedras ou galhos. Ela anda de um jeito plantígrado e pode pular de árvore em árvore para pegar suas presas.

Comportamento e reprodução da fossa

A fossa tem, principalmente, hábitos noturnos. Ela prefere se esconder em florestas secas com árvores espaçadas umas das outras e bastante vegetação arbustiva ao redor.

Ela pode caçar os lêmures saltando sobre eles, enquanto capturam os pássaros pela asa. Às vezes se alimentam de anfíbios, insetos, répteis e pequenos mamíferos.

É um animal solitário e muito territorial que marca o território com secreções produzidas por suas glândulas odoríferas. Isso é comum a ambos os sexos, e são as fêmeas que decidem qual “pretendente” pode se aproximar para reproduzir.

Além disso, mesmo durante o acasalamento, a fêmea pode recusar seu amante.

Fossa: um predador de Madagascar

O número de filhotes por ninhada varia. Eles nascem desdentados e nus, e dependem inteiramente da mãe até que tenham um ano de vida. Os jovens são cinza ou brancos. Aos três anos atingem a maturidade sexual e, com isso, podem começar a se reproduzir.

Estado de conservação da fossa

Devido ao seu comportamento e físico, a fossa é considerada um animal ‘diabólico’ na ilha de Madagascar. Muitas lendas circulam em torno deste mamífero, principalmente a que afirma que ele sai à noite para sequestrar bebês.

Por esta razão, várias pessoas locais não hesitam por um segundo quando a caçam ou matam, mesmo sendo uma espécie protegida pelo governo local.

A caça e destruição do habitat são as duas razões principais para redução da população das fossas. Dessa forma, estima-se que haja menos de 2.500 espécimes em liberdade.

A fama que as fossas alcançaram não coincide com o seu verdadeiro comportamento. Elas são bastante dóceis e alguns optam por tê-las como animais de estimação.Além disso, elas se tornam bastante afetuosas com seus donos depois de um tempo. Em cativeiro, podem viver até 20 anos.

A fossa é um animal muito curioso, assim como a maioria dos que encontramos na ilha de Madagascar.

  • Hawkins, C. E., & Racey, P. A. (2009). A novel mating system in a solitary carnivore: The fossa. Journal of Zoology. https://doi.org/10.1111/j.1469-7998.2008.00517.x