As características da estrela-do-mar

· setembro 10, 2018
A estrela-do-mar é um animal marinho que habita os mares e oceanos. Infelizmente, sua população vem diminuindo devido ao aumento dos níveis de poluição. 

A estrela-do-mar é um animal invertebrado que se caracteriza por ter cinco braços terminados em ponta. Obviamente, esta forma é o que lhe dá o nome de ‘estrela’. Mas que outros fatos interessantes são conhecidos sobre esta espécie? Hoje, falaremos sobre eles em detalhes.

Este animal pertence à família dos equinodermos; isto é, um grupo de animais marinhos que apresentam um conjunto de características físicas únicas. Entre eles, estão o sistema esquelético, o tegumento, a simetria e, também, um sistema vascular curioso.

Anatomia da estrela-do-Mar

Notavelmente, este animal não tem cérebro, mas sim um sistema nervoso muito complexo sob a pele, na forma de redes e anéis. Ele envia as informações para os braços, fazendo com que eles se movam.

Este animal marinho curioso é muito sensível à luz, a mudanças de temperatura e até mesmo a diferentes correntes marinhas. Portanto, não é capaz de sobreviver fora da água ou em águas que não são salgadas. Da mesma forma, é muito sensível ao toque.

Como os outros equinodermos, a estrela do mar tem um sistema de locomoção muito interessante: seus braços se movem como se fossem uma roda. E em caso de perda de um deles, são capazes de regenerar seus membros.

No final de cada um dos braços, a estrela do mar tem um olho simples para perceber a luz e a escuridão, bem como para detectar o movimento de outros animais ou objetos.

Por outro lado, sua parede corporal é coberta por grânulos, tubérculos e espinhos. Essas protuberâncias permitem que a estrela-do-mar obtenha oxigênio da água.

estrela-do-mar

Leia também: Cavalo-marinho: um pequeno “cavalo” no mar

Habitat

Atualmente, quase 2000 espécies diferentes de estrelas-do-mar são conhecidas e todas vivem em água salgadaDe fato, a maior densidade de espécimes é encontrada nas zonas Indo-Pacíficas e tropicais; embora também haja populações em águas frias e temperadas.

A estrela-do-mar pode viver no fundo do mar, a até 6000 metros de profundidade.

Reprodução

Elas podem acasalar tanto sexualmente quanto assexuadamente. No primeiro caso, um macho e uma fêmea, que não se distinguem exteriormente uns dos outros, já que seus órgãos sexuais são internalizados e, em alguns casos, subespécies hermafroditas produzem esperma e óvulos ao mesmo tempo.

estrela do mar

A fertilização é externa, uma vez que os braços expelem os gametas. Os embriões e as larvas “aderem” às rochas para se desenvolverem e são zelosamente guardadas pelos pais. E, como observamos anteriormente, o sucesso da reprodução sexual dependerá, em grande parte, da temperatura da água.

Por outro lado, a reprodução assexuada acontece quando uma estrela-do-mar se divide e, a partir dessa divisão, novos espécimes emergem. As larvas geralmente “escolhem” esse tipo de continuação da espécie quando há muita comida disponível.

Recomendamos: Animais que vivem no fundo do mar

Alimentação

A dieta da estrela-do-mar é composta por amêijoas, ostras, pequenos peixes, artrópodes e moluscos gastrópodes. Elas também podem se alimentar de algas e outras plantas marinhas.

A estrela do mar é um predador generalista que aproveita a lentidão da presa que nada ou descansa no fundo do mar. Algumas subespécies escolhem animais ou plantas em estado de decomposição e outras se alimentam de partículas orgânicas em suspensão.

Quanto ao sistema digestivo, elas se alimentam através de um buraco no centro do corpo. Em seguida, o alimento passa por um esôfago muito curto e dois estômagosPode digerir alimentos fora do corpo no caso de pegar presas maiores que o tamanho de sua boca.

Efeito da poluição

Infelizmente, no momento, a estrela-do-mar precisa superar muitas ameaças e perigos. Por um lado, a contaminação da água as destrói, já que não conseguem processar as toxinas e respirar. Lembre-se de que as estrelas não possuem um filtro no sistema respiratório.

Além disso, sua captura crescente para ser vendida como lembrança ou souvenir nas praias e lojas de decoração faz sua população encolher. E, ainda que não se encontre na lista de animais em perigo de extinção, é considerada uma espécie ameaçada.