5 dicas para cuidar de um escorpião

Os escorpiões são seres igualmente fascinantes e mortais. Porém, nem todos os tutores ​​estão preparados para manter um desses invertebrados em casa.
5 dicas para cuidar de um escorpião

Última atualização: 14 Novembro, 2021

A ordem dos escorpiões (Scorpiones) contém mais de 2500 espécies descritas, que estão distribuídas em 22 famílias biológicas diferentes. A adaptabilidade desses artrópodes e seu sucesso na caça permitiram que eles se adaptassem a vários ecossistemas quentes e temperados, razão pela qual estão em contato próximo com os humanos em algumas regiões.

Cuidar de um escorpião é simples, mas você deve levar em consideração uma série de condições tanto relativas à espécie quanto ao ecossistema quando se trata de lidar com um deles. Leia essas dicas que vamos apresentar e aprenda a cuidar de um desses artrópodes aracnídeos da forma mais adequada possível.

1. Não pegue o escorpião no campo

O primeiro erro que muitos tutores inexperientes cometem em terrariofilia é pegar um animal selvagem para mantê-lo em cativeiro. Isso é antiético e pode causar sérios danos aos ecossistemas, pois já foi demonstrado que o roubo de seres vivos para fins comerciais ou recreativos favorece o declínio de suas populações (e, portanto, sua extinção).

Um escorpião capturado dificilmente se adaptará bem ao ecossistema doméstico em quase todos os casos. Além disso, é provável que esteja velho, seja portador de ácaros parasitas ou tenha algum outro problema de saúde prévio. Por isso, quase sempre morre em poucos dias.

Tirar animais de seu ambiente natural é prejudicial em todos os sentidos.

2. Escolha a espécie certa

Dezenas de espécies de escorpiões são mantidas e criadas em cativeiro hoje em dia e podem ser compradas em lojas profissionais. Algumas são mais caras do que outras, mas em geral não costuma ser caro um espécime juvenil de uma espécie típica (especialmente o gênero Heterometrus).

Todos os escorpiões são venenosos, pois têm um télson ou ferrão na ponta da cauda que se conecta diretamente a uma glândula produtora de toxinas. No entanto, alguns espécimes são muito mais letais e agressivos do que outros.

Por exemplo, a maioria dos escorpiões do gênero Heterometrus (longimanus, laoticus, petersii e outros) tem um veneno muito fraco. Algo semelhante ocorre com o Scorpio maurus e outros grandes escorpionídeos com grandes pinças evidentes. Por outro lado, representantes dos gêneros Tytius, Androctonus e Hottentotta podem até matar um ser humano com sua mordida.

A posse de escorpiões letais requer a aquisição de uma licença e instalações especiais.

Um escorpião claro.

3. Mantenha o terrário simples e prático

O terrário deve sempre ser projetado tendo em mente as necessidades dos invertebrados. Um escorpião tropical do gênero Heterometrus requer uma umidade ambiente de 70-80% e um substrato terroso, bem como musgo, casca de tronco e talvez alguma planta sob a qual possa se esconder. Essa configuração geral se aplica a espécies de climas úmidos.

Por outro lado, um escorpião do deserto requer um suprimento mínimo de umidade, temperaturas muito altas (quase sempre acima de 25° C durante o dia), substrato arenoso e grandes pedras sob as quais possa se refugiar. O mais adequado será sempre simular o ambiente natural da espécie, seja árido ou de selva.

Os escorpiões se beneficiam de terrários simples, pois muitos galhos ou pedras aumentam as chances de quedas ou esmagamentos desnecessários. A regra geral é que a instalação tenha de 2 a 3 vezes o comprimento do animal em comprimento, 2 vezes a largura e com cerca de 20 centímetros de altura e que tenha dois abrigos (um na área mais fria e outro na mais quente).

Esses invertebrados não escalam, mas você precisará preencher cerca de metade do terrário com substrato para que eles se enterrem.

4. Você vai precisar de comida viva

Os escorpiões são caçadores do tipo sit and wait, ou seja, eles esperam dentro de seu covil até que uma presa desavisada apareça e acabam com sua vida com a ajuda do ferrão. Sendo predadores, eles só consomem presas (nada de vegetais) vivas. Em qualquer caso, são animais pouco ativos e com um metabolismo lento.

Manter insetos como alimento vivo pode ser complicado para muitos tutores. Portanto, esse ponto deve ser levado em consideração. A maioria dos espécimes ficará satisfeita com um grilo, barata ou verme médio por semana. Em qualquer caso, é muito comum que os espécimes adultos parem de comer por longos intervalos antes da muda.

Cuidar de um escorpião sempre requer a criação de insetos presas em cativeiro.

5. Não baixe a guarda e sempre use pinças

Pinças cirúrgicas ou de cozinha (melhor se tiverem 10 ou 20 centímetros de comprimento) serão suas melhores aliadas na manipulação do ambiente do escorpião. Sempre que você quiser remover alimentos mortos, fezes ou adicionar novas presas ao terrário, faça-o com a pinça habilitada para isso. Não importa o quanto você acha que conhece seu animal de estimação ou o quão calmo ele seja.

Os escorpiões escalam muito mal, mas se destacam por sua velocidade quando se trata de perseguir as presas em curtos períodos de tempo e podem injetar suas toxinas na pele do tutor em questão de segundos. Nunca se deve baixar a guarda e mantenha uma distância de 15 centímetros ou mais sempre que interagir com o ambiente do animal.

Os escorpiões são imprevisíveis. Nunca coloque a mão desprotegida em seu terrário, muito menos se você não tiver localizado o animal.

Você sabe o que os escorpiões comem?

Recomendações finais

Os escorpiões trocam seu exoesqueleto para crescer em um processo conhecido como ecdise várias vezes ao longo de suas vidas. Nesse momento, eles ficam muito vulneráveis e é quando ocorrem mais mortes, especialmente se indivíduos jovens são mantidos em más condições. É necessário aumentar a umidade e remover todas as presas vivas do terrário para evitar contratempos nessa fase.

Por fim, deve-se notar também que os escorpiões têm vida relativamente longa, pois vivem de 3 a 5 anos (ou muito mais). Certifique-se de que você pode cuidar do seu invertebrado até sua morte natural, já que soltá-lo na natureza nunca é uma opção e também é considerado ilegal. Cuidar de um escorpião é simples, mas é uma responsabilidade de longo prazo.

Pode interessar a você...
O escorpião Centruroides sculpturatus: tudo que você precisa saber
Meus Animais
Leia em Meus Animais
O escorpião Centruroides sculpturatus: tudo que você precisa saber

O escorpião Centruroides sculpturatus é o escorpião mais venenoso da América do Norte. Ele vive em áreas desérticas. Saiba mais aqui!



  • Marshall, B. M., Strine, C., & Hughes, A. C. (2020). Thousands of reptile species threatened by under-regulated global trade. Nature communications, 11(1), 1-12.
  • Nirthanan, S., Joseph, J. S., Gopalakrishnakone, P., Khoo, H. E., Cheah, L. S., & Gwee, M. C. (2002). Biochemical and pharmacological characterization of the venom of the black scorpion Heterometrus spinifer. Biochemical pharmacology, 63(1), 49-55.