Como escolher seu primeiro lagarto? O que você deve levar em conta?

Os lagartos precisam de cuidados especiais que podem consumir muito tempo e recursos dos tutores. Portanto, antes de pensar em adquirir esses bichinhos exóticos, você deve considerar outros mais convencionais.
Como escolher seu primeiro lagarto? O que você deve levar em conta?
Cesar Paul Gonzalez Gonzalez

Escrito e verificado por o biólogo Cesar Paul Gonzalez Gonzalez.

Última atualização: 22 janeiro, 2023

Os répteis são um dos animais mais interessantes e peculiares que existem na natureza. Embora sua aparência nem sempre seja atraente, muitos deles possuem ornamentações ou cores vivas que chamam muita atenção. Por isso, algumas pessoas optam por ter uma lagartixa, uma cobra ou mesmo um lagarto, embora seja preciso ter cuidado na hora de escolher, principalmente se for o primeiro exemplar do gênero na família.

Os lagartos são um tipo de réptil de tamanho médio ou grande que chegam a parecer imponentes. No entanto, devido ao seu tamanho e a algumas dificuldades em sua manutenção, não são animais de estimação adequados para todos os entusiastas. Continue a leitura e descubra o que você deve levar em conta para escolher bem o seu primeiro lagarto.

Como são os lagartos?

Os lagartos são caracterizados por terem um corpo alongado e uma cauda que se torna igual ou maior que seu corpo. Além disso, seus membros são inseridos nas laterais do corpo, o que faz com que seus movimentos sejam rastejantes (arrastam o corpo). Quanto à coloração, a maioria das espécies tende a ter tons verdes, mas alguns exemplares podem apresentar cores mais vistosas.

Ao contrário do que se possa pensar, o termo “lagarto” refere-se a um grande número de répteis diferentes. Embora alguns tenham alguma relação taxonômica, nem todas as espécies estão relacionadas. No entanto, a olho nu, são tão parecidas que a maioria das pessoas as chama pelo mesmo nome.

É bom ter um lagarto de estimação?

Os lagartos não são animais fáceis de manter em cativeiro, pois suas necessidades são um pouco mais complexas e exigentes do que as de outros animais de estimação comuns. Isso não significa que seja impossível, e sim que exige um alto comprometimento que nem todo tutor está disposto a oferecer.

Por isso, antes de escolher qualquer lagarto como animal de estimação, é melhor pesquisar sua biologia, seu habitat, sua dieta e sua saúde. Da mesma forma, é essencial verificar se a espécie em questão não precisa de nenhuma licença especial para ser mantida em casa, pois várias são protegidas por lei para impedir sua exploração.

Um lagarto dragão.

As necessidades de um lagarto como animal de estimação

Embora cada espécie de lagarto tenha suas necessidades específicas, existem vários pontos que se aplicam a todos. Alguns dos aspectos que devem ser garantidos a esses répteis em cativeiro são as seguintes:

  • Terrário grande: o terrário deve ser um recinto grande e adaptado para que o espécime se mova como se estivesse em seu habitat natural. Normalmente, é necessário construir ou projetar o seu próprio, já que os típicos tanques de peixes não funcionam quando os lagartos atingem o tamanho adulto.
  • Alimentação adequada: todos os répteis são animais não domesticados, por isso precisam receber uma alimentação próxima à que possuem na natureza. Isso significa que alimentos vivos ou vegetais frescos devem ser usados, dependendo da preferência do lagarto.
  • Medidores de umidade e temperatura: tanto a temperatura quanto a umidade são vitais para manter a saúde dos répteis. Qualquer variação pode ser letal, o que significa que as condições devem ser monitoradas de perto para estabilidade.
  • Atendimento veterinário especializado: nem todos os veterinários são treinados para cuidar de répteis. Portanto, para evitar emergências e ficar de olho na saúde deles, deve-se procurar com antecedência um especialista em animais exóticos com experiência nesses animais.
  • Pouco manejo: os lagartos não são animais que desenvolvem laços estreitos com seus tutores. Na verdade, a maioria é tímida e pode se estressar facilmente. Portanto, pegá-los, levá-los para passear ou brincar com eles não é recomendado. Isso não só põe em perigo o animal de estimação, como também expõe a saúde da família.

Como escolher um lagarto?

Os lagartos podem ser um animal de estimação fascinante, basta aprender a escolher bem o exemplar e oferecer-lhe as melhores condições de vida. O único problema é que existem muitas espécies disponíveis para adoção e nem todas são adequadas para iniciantes. Portanto, algumas dicas para selecionar o mais adequado são as seguintes:

  • Não adote até conhecer bem o animal: procure informações sobre o réptil que mais chama a sua atenção. Se você acha que consegue suprir todas as necessidades dele, é um bom sinal de que ele pode ser uma ótima escolha.
  • Procure os menores: quanto menor o espécime, mais fácil será atender às condições de seu habitat.
  • Procure o mais barato: embora não seja uma regra de ouro, geralmente as espécies mais baratas também são as mais comuns e as mais conhecidas por seus cuidados em cativeiro.
  • Pergunte a um profissional: veterinários e criadores certificados conhecem com antecedência as informações sobre lagartos adequados para iniciantes. Portanto, não hesite em solicitar recomendações na hora de escolher.
As doenças comuns em pogonas são múltiplas.

Quais são os melhores lagartos para iniciantes?

Todas as espécies de lagartos possuem uma certa complexidade em seus cuidados, portanto não existe um espécime que seja fácil de cuidar. Mesmo assim, alguns apresentam alguma resistência que pode ajudar os iniciantes nos primeiros dias. Entre os lagartos que um iniciante deve escolher como seu primeiro animal de estimação estão os seguintes:

  • Lagartixa-leopardo (Eublepharis macularius): tímida, dócil e com comprimento médio de até 25 centímetros. É bastante comum em herpetários e suas exigências não são muitas. Claro, é recomendável mantê-las sozinhas, pois costumam ser um pouco territoriais.
  • Lagartixa-africana-da-cauda-gorda (Hemitheconyx caudicinctus): é semelhante à lagartixa-leopardo, com a diferença de que suas características físicas são um pouco mais robustas. Quanto às suas necessidades em cativeiro, requerem ambientes mais úmidos e um pouco mais frios.
  • Dragão-barbudo (Pogona vitticeps): esta espécie é um pouco maior e mais vistosa, com tamanho que chega a 60 centímetros de comprimento. Por isso, requer um terrário maior e acondicionado para que possa se movimentar com facilidade.
  • Lagarto-de-língua-azul (Tiliqua scincoides): Embora sua coloração não seja tão vistosa, seu corpo é semelhante em tamanho ao do dragão-barbudo. Claro que costuma ser dócil e calmo, por isso não gera desconforto maior do que manter as condições de seu habitat.
  • Anolis spp.: são espécies comuns e fáceis de encontrar na América. Caracterizam-se por apresentar cores marcantes e cambiantes que variam entre o verde e o marrom, além de serem pequenos e não ultrapassarem 20 centímetros de comprimento. Graças a isso, seus requisitos em cativeiro são fáceis de atender.

As espécies de lagartos acima não são as únicas que os iniciantes podem escolher, pois existem algumas outras opções que podem ser encontradas em lojas de animais. Porém, a disponibilidade depende muito da região e de sua frequência na localidade. Portanto, é sempre melhor fazer sua própria pesquisa para conhecer os exemplares disponíveis e selecionar aquele que melhor se adapta a você.


Todas as fontes citadas foram minuciosamente revisadas por nossa equipe para garantir sua qualidade, confiabilidade, atualidade e validade. A bibliografia deste artigo foi considerada confiável e precisa academicamente ou cientificamente.


  • Azevedo, A., Guimarães, L., Ferraz, J., Whiting, M., & Magalhães-Sant’Ana, M. (2021). Pet Reptiles—Are We Meeting Their Needs?. Animals, 11(10), 2964.
  • De Vosjoli, P., Klingenberg, R., Tremper, R., & Viets, B. (2011). The Leopard Gecko Manual: Includes African Fat-Tailed Geckos. Fox Chapel Publishing.
  • Raiti, P. (2012). Husbandry, diseases, and veterinary care of the bearded dragon (Pogona vitticeps). Journal of Herpetological Medicine and Surgery, 22(3-4), 117-131.
  • Phillips, C. J. C., Jiang, Z., Hatton, A. J., Tribe, A., Le Bouar, M., Guerlin, M., & Murray, P. J. (2011). Environmental enrichment for captive Eastern blue-tongue lizards (Tiliqua scincoides). Animal welfare, 20(3), 377-384.
  • Corrente, M., Sangiorgio, G., Grandolfo, E., Bodnar, L., Catella, C., Trotta, A., … & Buonavoglia, D. (2017). Risk for zoonotic Salmonella transmission from pet reptiles: A survey on knowledge, attitudes and practices of reptile-owners related to reptile husbandry. Preventive veterinary medicine, 146, 73-78.

Este texto é fornecido apenas para fins informativos e não substitui a consulta com um profissional. Em caso de dúvida, consulte o seu especialista.