13 répteis ameaçados de extinção

Répteis ameaçados de extinção costumam atrair menos atenção das pessoas do que outras espécies. Aqui está uma pequena lista para dar um pouco mais de visibilidade a esses animais.
13 répteis ameaçados de extinção

Última atualização: 23 Julho, 2021

Existem muitas razões que levam à inclusão dos répteis na lista de animais ameaçados de extinção em todo o mundo. São animais que dependem diretamente das condições ambientais de seu habitat, de modo que as mudanças muitas vezes colocam sua alta especialização à prova.

A maioria das ameaças vêm diretamente de ações humanas: desmatamento, urbanismo, caça ilegal, incêndios e o avanço da agricultura e da aquicultura são os fatores mais importantes que causam o declínio dessas populações. Todas essas ações limitam as áreas geográficas das espécies ou influenciam as condições de seu habitat.

1. Gavial (Gavialis gangeticus)

Conhecido por seu focinho estreito e seus olhos salientes, esse crocodilo habita as áreas pantanosas da Índia e do Nepal. O formato de sua boca é adaptado a uma dieta estritamente piscívora, pois não possui força suficiente para prender animais maiores.

É a única espécie da família Gavialidae e está em perigo crítico de extinção, principalmente devido à devastação do seu habitat em decorrência de atividades antrópicas. Seus ovos são predados por ratos, mangustos, javalis, chacais e humanos.

Um espécime de gavial do Ganges.

2. O lagarto Techmarscincus jigurru

Esse lagarto endêmico do continente australiano é classificado como vulnerável pela União Internacional para Conservação da Natureza (UICN). Sua maior ameaça são as mudanças climáticas, já que os últimos desastres na Austrália tornaram o habitat desse réptil mais seco, com a consequente perda de território e alimentos.

3. A jiboia Boa constrictor orophias

Essa espécie da ordem Squamata é uma jiboia insular endêmica da Ilha de Santa Lúcia, no Mar do Caribe. Embora saiba nadar, vive em terras úmidas, mas não perto da água, pois prefere subir em árvores.

A principal causa da extinção dessa espécie é o comércio e a caça ilegal para o uso de sua pele. Outra grande ameaça é a destruição do seu habitat para criar áreas de cultivos.

Uma boa em uma árvore.

4. A tartaruga Eretmochelys imbricata

Esse quelônio se distribui pelos oceanos Atlântico e Indo-Pacífico. É uma espécie de tartaruga marinha caçada em grande número para o consumo de sua carne e o tráfico de espécies, principalmente na China e no Japão. A sua carapaça também é utilizada como material há muitos anos, embora o seu comércio seja atualmente penalizado pela legislação de vários países.

Um dos répteis em perigo de extinção.

5. O lagarto Anolis pygmaeus

Essa espécie é endêmica do México, especificamente da região de Chiapas. Habita florestas perenes, onde se camufla graças ao seu pequeno tamanho, apenas 4 centímetros, e sua coloração entre cinza e marrom.

Como muitos outros répteis ameaçados de extinção, esse animal sofre muito com a transformação dos ecossistemas pelo ser humano. É uma espécie protegida por lei em seu país de origem.

Um pequeno anole pigmeu.

6. Tartaruga-de-couro (Dermochelys coriacea)

É a maior espécie de tartaruga do mundo. Habita águas tropicais e temperadas e se aproxima das praias para desovar. A pesca e a poluição aquática, assim como a caça e coleta ilegal de seus ovos, são as maiores ameaças a esse réptil.

Filhotes de tartaruga-de-couro ficam desorientados pelas luzes artificiais das cidades: como são guiados pela lua para chegar ao mar, as fontes de luz das cidades os levam a seguir a direção oposta. Isso geralmente termina com a predação do filhote, atropelado e, se tiver sorte, posteriormente resgatado.

Os filhotes de dorso-de-couro ficam desorientados por vários motivos.

7. Tartaruga-grega (Testudo graeca)

Junto com a tartaruga-mediterrânea, é o ícone da conservação dos quelônios na Espanha. Atualmente, restam apenas 3 centros populacionais: em Doñana, na região de Murcia e Almeria e em Maiorca. Também é encontrada em alguns países mediterrâneos e no Mar Negro.

A principal ameaça que paira sobre as tartarugas-gregas na Península Ibérica é a degradação e fragmentação do habitat devido ao aumento da agricultura intensiva, aos incêndios e às construções massivas associadas ao turismo. Embora proibida, a captura ilegal de exemplares dessa espécie continua acontecendo.

Um dos répteis em perigo de extinção.

8. A cobra Achalinus jinggangensis

Essa cobra é um membro da família primitiva Xenodermidae, que foi separada de todas as outras cobras vivas cerca de 8 milhões de anos antes da extinção dos dinossauros. Em outras palavras, trata-se de um fóssil vivo.

Possivelmente existe apenas uma população dessa espécie, já que há poucos registros de avistamentos, tendo sido registrados apenas 9 indivíduos entre 1983 e 2011. A espécie está em perigo crítico de extinção e sua pequena área geográfica está ameaçada pela expansão urbana e pela mineração.

9. A lagartixa Oedodera marmorata

Essa lagartixa vive apenas em uma localidade no maciço Dôme de Tiébaghi, na Nova Caledônia. Como a cobra Achalinus jinggangensis, conviveu com os dinossauros, tendo se separado de todos os outros lagartos vivos há mais de 70 milhões de anos.

Esse réptil está criticamente ameaçado, principalmente devido à expansão da mineração de níquel. A espécie é protegida pela legislação regional, mas o mesmo não ocorre com sua distribuição.

Uma lagartixa de mármore, um dos répteis ameaçados de extinção.

10. A lagartixa Iberolacerta martinezricai

Outro réptil ameaçado de extinção é essa lagartixa endêmica da Península Ibérica, também relegada a uma pequena área geográfica. Até recentemente, pensava-se que habitava apenas o cume de Peña de Francia e o cume de Hastiala, mas existem outras pequenas populações em La Alberca e no Vale de Las Batuecas.

A maior ameaça a que essa espécie enfrenta é a pressão turística em sua área. Os incêndios florestais estão ficando para trás.

11. Iguana-do-caribe (Iguana delicatissima)

A iguana-do-caribe é endêmica das Pequenas Antilhas. É outro réptil em perigo crítico de extinção devido à perda de habitat e à caça. Além disso, a hibridização com a iguana-verde, espécie invasora da região, também ameaça o desaparecimento desse sáurio.

A iguana-do-caribe se distingue da iguana-verde pela ausência de uma grande escama arredondada em cada bochecha.

Um dos répteis em perigo de extinção.

12. A cobra Uropeltis phipsonii

Essa cobra, da família Urolpetidae, é endêmica da Índia e vive no subsolo. Como a maioria das espécies mencionadas, o declínio de sua população é causado pela agricultura e pelo amplo planejamento urbano para o turismo. Está classificada como vulnerável desde 2010.

Uma cobra terrestre.

13. O lagarto Abronia aurita

Endêmico da Guatemala, esse lagarto vive nas terras altas de Verapaz. É um dos répteis em perigo de extinção mais ameaçados pela destruição do seu habitat natural, especialmente pela extração de madeira. Além disso, a agricultura, os incêndios e o pastoreio também destroem suas vidas e suas casas.

Um lagarto dragão.

Dos 19% dos répteis ameaçados de extinção, 12% estão classificados na categoria de perigo crítico, 41% em perigo e 47% como vulneráveis. Embora já existam programas de conservação para muitos deles, ainda há um longo caminho a percorrer para que a sobrevivência desses seres maravilhosos seja garantida.

Pode interessar a você...
Animais ameaçados de extinção no Parque Nacional de Yellowstone
Meus AnimaisLeia em Meus Animais
Animais ameaçados de extinção no Parque Nacional de Yellowstone

Convidamos você a descobrir algumas das espécies de animais ameaçados de extinção no Parque Nacional de Yellowstone. Confira!