Esquilo-raposa: habitat e características

O esquilo-raposa é um roedor grande, vistoso e muito ágil nas árvores, no solo e na água. Aprenda mais sobre sua biologia e seu comportamento.
Esquilo-raposa: habitat e características

Última atualização: 24 Novembro, 2021

O esquilo-raposa é considerado o maior esquilo da América do Norte e possui uma cauda longa e espessa, além de uma variabilidade nas tonalidades das cores da pelagem (laranja, amarelo, dourado e avermelhado), que o tornam um animal muito vistoso. Ele passa o dia entre as árvores, embora a sua habilidade e astúcia não diminuam no solo, razão pela qual não é uma presa fácil para os seus predadores.

Esse roedor é conhecido na comunidade científica como Sciurus niger. Além disso, divide-se em 10 subespécies que apresentam discrepâncias de cores, entre outros aspectos. Continue lendo para conhecer a fundo todas as características e o estilo de vida desse espetacular animal.

Habitat e distribuição do esquilo-raposa

A área de distribuição original do esquilo-raposa corresponde a todo o leste e centro dos Estados Unidos. Atualmente, ele se espalhou para o norte e as pradarias do sul do Canadá, bem como algumas localidades do México. Também foi introduzido em espaços urbanos no oeste dos Estados Unidos.

Seus habitats incluem vários tipos de florestas, como decíduas e mistas. Além disso, esses roedores preferem colonizar árvores com frutos que possam armazenar. As mais selecionadas são carvalhos, nogueiras e pinheiros. Eles usam os buracos nos troncos como abrigo.

Um esquilo-raposa em uma árvore.

Características físicas do esquilo-raposa

O Sciurus niger tem certa semelhança com o esquilo-cinzento, mas pode ser facilmente diferenciado pelo seu tamanho maior (esse aspecto é o mais importante da espécie), pois já ganhou o prêmio de maior esquilo da América do Norte. Seu tamanho mínimo é de 45 centímetros, enquanto o animal mais alto registrado tinha 70 (com média de 60). A cauda adiciona 20 ou 30 centímetros ao seu comprimento.

O grande tamanho desse esquilo também lhe confere um peso considerável, com um máximo de 1,3 kg e um mínimo de 0,5. Sua massa média é de 0,8 quilos. Fêmeas e machos não apresentam diferenças observáveis, portanto não há dimorfismo sexual na espécie.

As colorações desses esquilos são as características mais variáveis, e cada subespécie tem seus tons. Os tons da pelagem variam entre cinza, amarelo, dourado, cobre e avermelhado. Eles também apresentam uma cor preta na área dorsal, enquanto a ventral é avermelhada.

Nessa espécie ocorre o fenômeno do melanismo, de modo que podem ser encontrados esquilos-raposa pretos em sua totalidade. Esse aspecto é mais comum em espécimes que se distribuem mais para sudeste, enquanto o albinismo é incomum ou muito raro.

Comportamento

Esse esquilo é arbóreo e passa sua vida entre as árvores, onde busca alimento ou se refugia. Geralmente é um animal que gosta de forragear sozinho, exceto durante os períodos de acasalamento, durante os quais vários machos perseguem uma fêmea.

Os esquilos-raposa podem se mover não apenas nas árvores, mas também no solo sem problemas. Além disso, há registros de avistamentos de espécimes nadando sem dificuldade. A longevidade na natureza é muito variada (varia de alguns meses a mais de 10 anos), mas em cativeiro se estende até 18 anos.

Período de atividade

Esses roedores realizam a maior parte de suas atividades ao longo do dia. Durante esse período, eles se ocupam com a busca de alimentos, por isso se deslocam de um lugar para outro e têm grande capacidade de dispersão.

Acumuladores de sucesso

Um costume particular desse tipo de animal é armazenar alimentos para o inverno. Portanto, ele abre buracos e enterra as oleaginosas até uma profundidade de aproximadamente 2 centímetros (ou as cobre com areia).

Essa ação dos esquilos contribui para a germinação de novas árvores, pois pode acontecer de se esquecerem do local de armazenamento dos frutos.

Comunicação

Esses esquilos se comunicam habilmente por meio de gemidos, gritos, estalidos e também olfativos por meio de marcas de urina. Eles geralmente fazem sons distintos durante o acasalamento.

A alimentação do esquilo-raposa

A dieta desse roedor é composta por uma grande porcentagem de alimentos de origem vegetal, podendo consumir flores e brotos das árvores em que vive (faia, pinheiro, carvalho, azinheira e nogueira, entre outros).

Esse esquilo adora comer as sementes dos frutos dessas árvores, incluindo as nozes.

Para complementar sua dieta, esses mamíferos podem caçar alguns insetos e também pássaros (e seus ovos), embora a proporção do consumo animal seja bem menor. A dieta varia de acordo com a disponibilidade de recursos em cada estação. Esse roedor pode ser considerado onívoro devido à sua versatilidade na hora de comer.

Reprodução

A reprodução do esquilo é vivípara. O processo não tem estação ou época específica, podendo ocorrer em qualquer época do ano. Os meses com alta taxa reprodutiva são entre novembro e fevereiro e entre abril e julho, com picos máximos em dezembro e junho. Vamos ver alguns detalhes do cortejo, da cópula, da gestação e do comportamento reprodutivo da espécie.

Cortejo e cópula do esquilo-raposa

Quando o cio começa, vários machos se aproximam da fêmea e a perseguem. Eles competem e lutam entre si para obter hierarquia e o acesso à cópula. Quando se enfrentam, os machos adotam uma postura ereta com movimentos rápidos da cauda. Outro aspecto a se destacar é que essa espécie é polígama, ou seja, as fêmeas acasalam com parceiros diferentes.

Período de gestação e descendência

O período de gestação desse espécime não excede 45 dias. Nascem em média 3 indivíduos por ninhada, com registros máximos de até 7 esquilos em um único parto. As criaturas nascem indefesas, precisando da mãe para a amamentação. Essa nutrição dura até 8 semanas. Além disso, o macho não contribui para o cuidado da prole.

A maturidade sexual desses roedores chega aos 8 meses de idade nas fêmeas, enquanto nos machos é tardia e ocorre entre os 8 e 11 meses. Em geral, as fêmeas têm sua primeira ninhada após completarem 1 ano de vida e, com base na disponibilidade de alimentos, podem ocorrer 2 partos por ano.

Estado de conservação

O esquilo-raposa tem um bom número nos Estados Unidos, então sua classificação de acordo com a União Internacional para Conservação da Natureza (IUCN) é de “população estável”. No entanto, algumas subespécies sofreram perda de habitat e caça extensiva, resultando em um declínio de indivíduos.

Um esquilo-raposa em uma árvore.

Em suma, o esquilo-raposa é o representante de maior tamanho do seu maior grupo, habita a América do Norte e possui padrões de cores diferentes dependendo da subespécie analisada. É um roedor ágil nas árvores e um excelente nadador com uma vida muito interessante.

Pode interessar a você...
7 dicas para cuidar de um esquilo
Meus Animais
Leia em Meus Animais
7 dicas para cuidar de um esquilo

Cuidar corretamente de um esquilo órfão ou ferido pode ser decisivo para sua vida até encontrar ajuda profissional. Confira!



  • Koproswki, J. (1994). Sciurus niger. Mammalian species, 479, 1-9.
  • Linzey, A.V., Timm, R., Emmons, L. & Reid, F. 2016. Sciurus niger (errata version published in 2017). The IUCN Red List of Threatened Species 2016: e.T20016A115155257.
  • Perkins, M. W., & Conner, L. M. (2004). Habitat Use of Fox Squirrels in Southwestern Georgia. The Journal of Wildlife Management, 68(3), 509–513. http://www.jstor.org/stable/3803383
  • Sciurus niger, Animal Diversity Web (ADW). Recogido a 29 de octubre en: https://animaldiversity.org/accounts/Sciurus_niger/
  • Trauth, S., & Jamieson, D. (1997). Swimming Behavior in the Fox Squirrel, Sciurus niger (Rodentia: Sciuridae), from
    Northeastern Arkansas. Journal of the Arkansas Academy of Science, 51(38), 213-214.
  • Valdés, M. (2003). Las ardillas de México. Biodiversitas, 8(51), 1-7.