A lactação em animais de fazenda

A lactação em animais de fazenda está sujeita a condições que favoreçam a produção de leite em grandes quantidades, muito mais do que uma mãe produziria para seus filhotes na natureza.
A lactação em animais de fazenda

Última atualização: 26 Fevereiro, 2021

A lactação em animais de fazenda tem uma dupla importância sanitária e econômica para as explorações pecuárias.

A gestão de uma criação bem-sucedida envolve encontrar um difícil equilíbrio relacionado ao período de desmame. Ao adiantá-lo ou atrasá-lo, aumenta-se ou diminui-se a quantidade de leite à venda e o risco para a saúde dos animais.

A importância do colostro para os animais de fazenda

As espécies ruminantes, devido às características particulares de suas placentas, nascem praticamente sem anticorpos no sangue.

Ruminantes recém-nascidos são especialmente suscetíveis a várias doenças infecciosas. Por isso, dependem da ingestão de colostro materno para a transferência passiva de seus anticorpos. O colostro ou o primeiro leite materno é a sua primeira vacina de origem natural.

A maneira mais frequente de oferecer o colostro aos filhotes de ruminantes consiste em fornecer uma mamadeira de colostro da mãe ou de um conjunto de mães.

Também há a prática de deixar os filhotes com as mães nos primeiros dias após o parto. Como referência, estima-se que os ruminantes devam consumir uma quantidade de colostro equivalente a 10-12% do seu peso nas primeiras horas de vida.

Qual é a contribuição do colostro?

Além dos anticorpos, o colostro é uma fonte de nutrientes e fatores de crescimento que contribuem para a maturação do trato digestivo. É interessante saber que o intestino delgado de um bezerro recém-nascido é permeável, ou seja, está “aberto” à passagem de substâncias.

Por esse motivo, a prole absorve as imunoglobulinas maternas contidas no colostro. Infelizmente, esse recurso tem um traço contraproducente, pois os filhotes também podem absorver do meio ambiente patógenos causadores de doenças.

Assim, a lactação precoce e suficiente do colostro é o primeiro cuidado que deve ser prestado ao recém-nascido para sua saúde e sobrevivência posteriores.

O colostro também é rico em gordura para fornecer energia para aos filhotes.

Reprodução de vacas.

O processo de lactação em cabras

A duração aproximada da lactação em cabras de fazenda é de cerca de 250 dias, e a produção de uma cabra de 40 quilos é de 1 a 2,5 litros por dia. Em todo caso, a produção de leite é influenciada por diversos fatores como raça, idade e número de partos, entre outros.

Em geral, as cabras devem ter um descanso de 60-70 dias sem amamentar antes de parir novamente. Assim que o bebê nasce, é decidida a duração da lactação materna. Quanto mais tempo passar com a mãe, maior o nível de imunocompetência do bezerro.

O ciclo de lactação em vacas

A produção de leite inicial imediatamente após o parto é bastante moderada, em torno de 10 litros. Nas 2 ou 3 semanas seguintes aumenta até atingir um pico que pode chegar a 40 litros por dia. A partir de então, vai aumentando até que um novo parto se aproxime e a produção de leite seja interrompida.

Mantendo as coisas simples: ao parir, a ordenha da vaca começa. Aos 60 dias, ela engravida novamente. O leite é ordenhado por mais 240 dias, enquanto o bezerro é gestado. Os úberes permanecem 50-60 dias secos e outro parto ocorre.

Esse período de secagem ocorre porque a vaca deve recuperar energia antes da chegada de um novo bezerro, quando um novo ciclo é reiniciado. Algumas vacas produzem 20 000 litros em uma lactação, nos 9-10 meses que dura, embora o normal fique em torno de 12 000 litros.

Vacas leiteiras.

Desmame: a fase mais delicada da lactação

Se não for praticado de forma adequada, o desmame se torna uma etapa de alto risco para a sobrevivência da prole. Em cabras, existem várias maneiras de desmamar:

  1. Desmame precoce: a prole é separada da mãe após algumas semanas. Esse tipo de desmame é usado em fazendas técnicas para obter o máximo nível de produção de leite das fêmeas adultas. Característico da pecuária intensiva.
  2. Desmame normal: a prole é separada da mãe quando já passou da primeira infância. Esse é o método mais usado nas práticas pecuárias do tipo extensivo.
  3. Desmame tardio: a prole é separada da mãe como aconteceria na natureza. Esse método de desmame é utilizado principalmente em fazendas onde há centros de seleção genética dos melhores animais.

O desmame é uma das etapas mais delicadas da criação, pois os bezerros carecem de leite e, por isso, são obrigados a se adaptar a novos alimentos. Durante esse tempo, eles ficam fracos e mais sensíveis a doenças parasitárias e infecções.

Como vimos, a produção de leite em instalações humanas é bastante diferente do processo natural. Resumidamente, 48 horas após o nascimento e depois de consumir o colostro, os bezerros passam a ser alimentados com um soro específico.

O leite é um alimento amplamente consumido em todo o mundo, mas exige uma modificação do ciclo de vida natural dos animais envolvidos em sua obtenção.

Pode interessar a você...
Benefícios do colostro para cães e gatos
Meus AnimaisLeia em Meus Animais
Benefícios do colostro para cães e gatos

É fundamental que cães e gatos consumam o colostro logo após o nascimento para que ele possa cumprir a sua missão: a defesa imunológica do recém-na...