Macacos-narigudos: tudo que você precisa saber sobre eles

agosto 16, 2019
De aparência simpática e curiosa, esta espécie de primata nativa da ilha de Bornéu está em risco de extinção devido à caça indiscriminada.

Os macacos-narigudos são fáceis de identificar no mundo todo graças ao seu nariz proeminente. Estudos recentes publicados na revista Science Advances sugerem uma relação entre o tamanho dele e certas potencialidades sexuais e reprodutivas.

De acordo com os especialistas, foram encontradas correlações significativas entre as dimensões do nariz, dos testículos e do corpo em geral. Esses aspectos garantem um atrativo especial em relação às fêmeas, o que lhes dá ótimas opções para encontrar uma parceira.

Além disso, os macacos-narigudos têm outras características, como vocalizações muito masculinas e traços de força e competitividade, que lhes permitem obter uma alta classificação social.

Isso pode criar um monopólio das fêmeas para alguns espécimes, e a criação de colônias de ‘solteirões’ compostas pelos menos afortunados.

Alimentação dos macacos-narigudos

A dieta desta espécie é basicamente folívora. Isto é, seu alimento favorito são as folhas.

No entanto, também foi possível observar a ingestão sazonal de algumas frutas verdes, que precedem as maduras, uma vez que estas podem fermentar de forma acelerada nos seus estômagos e causar cólica, distensão abdominal e mal-estar geral.

Além disso, eles também consomem flores e sementes, alguns grãos, nozes, larvas e pequenos insetos, o que representa uma dieta variada e equilibrada.

Embora em sua fisionomia não seja possível perceber a barriga proeminente que esses primatas ostentam, esta é outra de suas características únicas. Ela constitui um quarto do seu peso corporal.

Alimentação dos macacos-narigudos

Seu sistema digestivo é dividido em vários compartimentos que possuem um grupo de bactérias eficazes para neutralizar as toxinas e digerir facilmente alguns dos seus alimentos. Este é o caso das frutas verdes e de certos tipos de folhas.

A preferência por comer folhas como alimento principal lhes dá vantagens em relação a alguns primatas de outras espécies. Isso porque eles podem viver nas copas das árvores sem arriscar demais a sua segurança diante de possíveis predadores.

Reprodução e comportamento

As fêmeas dos macacos-narigudos dão à luz apenas um filhote de cada vez. O período de gestação dura cerca de cinco meses e meio.

Quando nascem, os pequenos narigudos têm o rosto azul, quase preto, mas isso muda à medida que eles se aproximam dos quatro meses de vida. O bebê fica com a mãe até que ela tenha outro bebê ou até completar um ano de vida.

A maturidade sexual é atingida entre os quatro e os cinco anos, embora as fêmeas a alcancem antes. O tamanho considerável de seu nariz é seu principal atrativo no momento do acasalamento. Em geral, ele está relacionado à força e à virilidade.

Os narizes maiores proporcionam gritos mais intensos, pois eles atuam como uma caixa de ressonância. Isso serve para comunicar ao grupo as ações a serem tomadas em caso de ameaça.

Esta é uma espécie de hábitos diurnos e, ao anoitecer, se abriga nas árvores para dormir.

Reprodução e comportamento dos macacos-narigudos

Esta espécie de primata também se destaca pelas suas habilidades de natação. Eles podem mergulhar a até 20 metros de profundidade e percorrer longas distâncias. No entanto, eles só se dispõem a nadar quando necessário.

Se eles se sentirem ameaçados, o grupo inteiro pode pular no rio para escapar. Em outros momentos, eles simplesmente nadam para atravessar os rios que os impedem de chegar ao seu destino.

Sua expectativa de vida chega aos 20 anos, embora a cada ano a população total esteja diminuindo. Isto ocorre devido à destruição do meio ambiente e por causa da caça excessiva.

Os macacos-narigudos são cobiçados pela sua carne e bezoar. Esta substância em forma de pedra que se forma no estômago de alguns animais, como no caso dos macacos-narigudos, é usada como um antídoto para várias doenças humanas.

Principais predadores

Esta espécie está em perigo de extinção; em grande parte, isso se deve à intervenção do homem.

Durante décadas, esses primatas foram mantidos a salvo da humanidade em suas florestas inacessíveis mas, com o tempo, os humanos destruíram o seu habitat como resultado da exploração madeireira.

O leopardo-nebuloso e o gavial-da-malásia, um crocodilo de água doce, são outros predadores que reduziram a população total desses animais. Este último geralmente ataca os macacos que entram nos rios ou aqueles que estão próximos às margens.

Foram feitas tentativas de manter a espécie em cativeiro sem resultados positivos, e estima-se que a população atual não exceda 7.000 exemplares. Sua caça e comercialização são proibidas, de modo que esta espécie só pode ser observada nos mangues que ainda existem em Bornéu.

https://www.nationalgeographic.es/animales/2018/02/los-monos-narigudos-con-narices-mas-grandes-tienen-una-vida-sexual-mejor

http://advances.sciencemag.org/content/4/2/eaaq0250