Marabu africano: um importante carniceiro do ecossistema

novembro 5, 2019
O marabu africano é um pássaro enorme com hábitos de limpeza. Descubra a importância dos carniceiros para o equilíbrio dos ecossistemas de todo o mundo.

O marabu africano é um pássaro carniceiro que pertence à família Ciconiidae. Ele é o maior membro da sua família e um dos maiores pássaros voadores.

A cegonha marabu habita a África tropical, do Senegal à Eritreia, Etiópia, Somália, incluindo Namíbia e África do Sul.Seu nome científico é Leptoptilos crumenifer, um animal que frequenta áreas aquáticas e semi-áridas abertas.

A espécie não está ameaçada a nível mundial e suspeita-se de que a sua população esteja aumentando devido à alta disponibilidade de restos e carniça como recursos alimentares.

Características e hábitos alimentares do marabu africano

Com quase três metros de envergadura, o marabu é uma das maiores aves voadoras do planeta. Esse gigante voador tem um peso que varia de 6 a 9 quilos e um comprimento superior a 150 centímetros. Quando ele está ereto sobre as sua pernas longas, ele é tão alto quanto um ser humano.

Assim como a maioria das cegonhas, o marabu é gregário. De temperamento bastante irritadiço, também se assemelha a outras cegonhas por não ser muito vocal.

Somente em exibições de cortejo o marabu emite ruídos diferentes. O saco da garganta é usado para fazer vários ruídos nesse momento.

Essas cegonhas são oportunistas. Dada a inadequação de seus bicos para desmembrar cadáveres, eles precisam esperar para pegar os restos que os abutres e outros predadores jogam fora. Sua dieta é variada, e eles se alimentam de pássaros, invertebrados, ratos e lagartos.

Eles também são pescadores experientes, que avistam o peixe e afundam seu bico parcialmente aberto na água.

Hábitos alimentares do marabu africano

A má reputação do marabu africano

É inegável que os carniceiros desfrutam de uma má reputação. Eles supostamente comem coisas fedorentas e são muito preguiçosos ou incompetentes para rastrear suas presas por conta própria.

A realidade é que a captura é simplesmente uma das maneiras pelas quais os animais ganham a vida. Muitas espécies diferentes, incluindo os leões, se aproveitarão se tiverem a oportunidade.

Além disso, os carniceiros fornecem vários serviços exclusivos e vitais para a manutenção do ecossistema.

Vantagens do animal carniceiro para o ecossistema

Na natureza, a disposição dos animais que morrem não é uma questão trivial. De fato, animais mortos representam um perigo para a saúde dos animais vivos. Isso acontece porque os cadáveres podem ser o foco de várias doenças.

Daí a importância dos carniceiros, que distribuem, de forma rápida e eficiente, a biomassa morta para o benefício do ecossistema. Os carniceiros incluem uma grande variedade de espécies, como corvos, abutres e cegonhas, como o marabu africano.

Habitat do marabu

Uma mudança de paradigma: a cadeia alimentar

Anteriormente, os ecologistas consideravam as relações alimentares dentro de uma comunidade ecológica como um processo linear. 

Sob esse esquema, as plantas extraíam nutrientes do solo e da luz solar, que passavam para os herbívoros e depois para os carnívoros. Essas cadeias implicam uma perda considerável de energia em cada transferência.

Agora, os especialistas usam uma perspectiva da cadeia alimentar. Nesse esquema, o trabalho de carniceiros e necrófagos nessas relações alimentares é considerado essencial.

A rede abrange todas as cadeias alimentares do mesmo ecossistema: a cadeia alimentar aceita o fato de que cada organismo que vive em um ecossistema participa de várias cadeias alimentares, o que aumenta a eficiência energética.

A premissa é de que cada cadeia alimentar é um caminho possível para que a energia e os nutrientes fluam pelo ecossistema. Na rede alimentar de um ecossistema, todas as cadeias alimentares estão interconectadas e se sobrepõem.

Os organismos nas redes alimentares são agrupados em categorias chamadas de níveis tróficosEm termos gerais, esses níveis são divididos em produtores (primeiro nível trófico), consumidores (primário, secundário e terciário) e decompositores (último nível trófico).

Os carniceiros completam o ciclo da vida. Eles reciclam e devolvem os nutrientes ao solo ou oceanos para o uso por organismos autotróficos. Com esse trabalho, uma nova série de cadeias alimentares começa.

Marabu africano voando

Vantagens da necrofagia para a espécie

O marabu africano, como a maioria dos carniceiros, é flexível quanto ao que come. Isso representa uma vantagem, pois eles têm mais facilidade em encontrar comida em comparação com criaturas cujas dietas são mais restritas.

A prática da necrofagia melhora a adaptação das espécies a novos ambientes. Isso é verdade no caso do marabu africano, uma espécie que expandiu seu alcance em todo o território subsaariano.

Embora seja principalmente sedentária, esta cegonha tem algumas populações nômades. Populações foram vistas se movendo em direção à linha do Equador após a reprodução, e outras também foram avistadas no Marrocos, Espanha e Israel.

Muitas vezes, o marabu africano pode se associar com os seres humanos e pode ser visto perto de vilas de pescadores e em torno de lixões.

A sua capacidade de comer uma grande variedade de alimentos é um fator importante para o seu sucesso e, finalmente, para o sucesso de outras espécies que vivem nas áreas em que ele habita.

  • Elliott, A., Garcia, E. F. J., & Boesman, P. (2014). Marabou (Leptoptilos crumenifer). Handbook of the Birds of the World Alive. In: del Hoyo, J., Elliott, A. Lynx Edicions, Barcelona.
  • Bildstein, K. L., & Therrien, J. F. (2018). Urban birds of prey: a lengthy history of human-raptor cohabitation. In Urban Raptors (pp. 3-17). Island Press, Washington, DC.
  • Zhang, Z., Huang, Y., James, H. F., & Hou, L. (2012). A marabou (Ciconiidae: Leptoptilos) from the Middle Pleistocene of northeastern China