Tudo que você precisa saber sobre o peixe que devora madeira

janeiro 9, 2020
O peixe que devora madeira tem chamado atenção desde a sua descoberta nas águas da Amazônia peruana. Trata-se de uma espécie muito conhecida pelos habitantes da região, mas bastante nova para a ciência.

O peixe que devora madeira foi uma grande descoberta científica. Embora já sejam conhecidas outras espécies de peixes xilófagos, seu aparecimento no rio Santa Ana, na floresta amazônica peruana, possibilitou o estudo dessa espécie em maiores detalhes.

A população indígena do setor conhece e desfruta dos benefícios desse peixe desde sempre. É um dos peixes mais consumidos pelos habitantes locais. Eles o preparam em sopas ou assado e comem a carne presa à pele. Lá, o chamam de carachama gigante, um bagre que pode atingir até 80 centímetros de comprimento.

A espécie, descoberta há cerca de uma década, faz parte do gênero Panaque. Assim são classificados quase todos os bagres que se sustentam da madeira. O formato de seus dentes é oval, semelhante a uma colher, e são cobertos por uma espécie de armadura muito firme que os protege.

Eles realmente comem madeira?

Assim como as outras espécies de peixes xilófagos que já haviam sido descobertas anteriormente, o bagre peruano usa a madeira para extrair nutrientes que lhe fornecem energia.

Para isso, ele usa quatro mandíbulas que, quando fechadas, podem se mover em várias direções. É assim que trituram a madeira e absorvem o seu alimento.

Características do peixe que devora madeira

O carachama gigante apresenta um padrão de dentição único em sua espécie, de acordo com os cientistas que participaram do estudo. No entanto, ainda não foi definido se eles absorvem apenas os nutrientes da madeira quebrada presente no rio ou se a digerem.

As primeiras investigações parecem sugerir que esse peixe possui um grupo de bactérias no intestino responsáveis ​​por digerir a celulose da madeira.

A digestão do peixe que devora madeira é prolongada por pelo menos quatro horas, apesar de não ingerir lascas grandes, e sim lascas pequenas e algumas partículas de árvores degradadas pela umidade, presentes em seu habitat.

Outras características do peixe que devora madeira

Um fato muito curioso e surpreendente é que esses peixes não têm escamas. Seu corpo está protegido por uma couraça ou armadura composta por placas muito duras, portanto, também é conhecido como bagre blindado.

Seu habitat é limitado aos pequenos rios distribuídos no alto Amazonas. Por enquanto, os avistamentos desta espécie só ocorreram em águas peruanas. Mesmo assim, sua presença em outras águas da América Latina não foi descartada.

Os pesquisadores acreditam que a dieta do peixe que devora madeira evoluiu pela competição para obter comida. Observando o habitat onde esta espécie foi encontrada, pode ser evidenciada a falta de substratos e outros nutrientes.

Também não há rochas de onde eles possam absorver os alimentos; portanto, obtê-los das árvores em decomposição tem sido a melhor opção.

O peixe que come madeira

Além disso, vale dizer que eles não subsistem apenas do consumo de madeira. O peixe que devora madeira também se alimenta de algas, crustáceos, detritos vegetais e outros micro-organismos. Eles obtêm esses alimentos raspando as superfícies ao seu redor.

Alguns parentes já descobertos

As autoridades do Parque Nacional Alto Purús, localizado na floresta peruana e na fronteira com o Brasil, notificaram a presença de pelo menos uma dúzia de espécies semelhantes ao peixe que devora madeira.

Cientistas da região peruana relatam a existência de 12 peixes com características semelhantes. Essas espécies estão distribuídas em outras bacias hidrográficas do continente sul-americano.

A maioria dessas espécies é endêmica e os grupos são considerados muito pequenos. No entanto, a área continua sendo investigada, principalmente ao cessar o período chuvoso, quando o leito do rio se torna mais favorável.

Existem também cerca de 700 espécies desse tipo de peixe que se alimentam raspando matéria orgânica de outros tipos de superfícies. No entanto, o peixe que devora madeira tem a capacidade de cavar com a mandíbula aqueles lugares que, antes, eram inacessíveis.

Acredita-se também que as suas fileiras de dentes, denominadas odontodes, servem como demonstração de poder em brigas territoriais com outras espécies invasoras. Foi observada uma espécie de dança ameaçadora quando outros peixes aparecem no seu território.

No entanto, a eficácia dessa demonstração de força e a sua possível influência em outros aspectos não foi determinada.

https://nationalzoo.si.edu/animals/twig-catfish

https://www.rainforestcruises.com/jungle-blog/fishing-in-the-amazon-river-best-known-fish-species