Ver animais junto com pessoas nos faz pensar que eles não estão ameaçados

fevereiro 16, 2020
Vários estudos demonstram que ver animais junto com pessoas, principalmente aqueles de espécies não domesticadas que deveriam estar na natureza, pode nos fazer pensar que eles não são espécimes ameaçados.

Os animais são amplamente usados em propagandas e filmes, e embora se saiba que eles normalmente não são bem tratados, os efeitos de ver esses animais junto com pessoas na televisão são desconhecidos.

Uma espécie interessante para estudar esse fato é o chimpanzé (Pan troglodytes), pois esta é uma espécie amplamente utilizada no cinema e na televisão ao longo dos últimos anos, apesar do seu enorme grau de ameaça em liberdade.

Os chimpanzés estão ameaçados?

Apesar do seu grau de ameaça na natureza, os chimpanzés ainda são animais usados ​​como animais de estimação nos Estados Unidos e em outros países. Muitos cientistas apontam que ver animais junto com pessoas ou imitando-as pode nos levar a pensar que eles estão menos ameaçados ou que podem ser bons animais de estimação.

Em 2005, foi feita uma pesquisa no zoológico de Lincoln, na qual uma das questões perguntava quais espécies de grandes símios estavam mais ameaçadas. A grande maioria dos entrevistados concordou que gorilas (95%) e orangotangos (91%) estavam ameaçados, mas apenas 66% dos entrevistados pensaram que os chimpanzés também estivessem ameaçados.

Chimpanzé olhando para foto

Quando essas mesmas pessoas foram informadas de que as três espécies estavam ameaçadas, foram questionadas a respeito das razões para a diferença nas respostas sobre os chimpanzés. Um terço dos entrevistados se referiu à presença deles no cinema ou na televisão; portanto, ver animais junto com pessoas na mídia pode afetar a sua percepção.

Uma pesquisa semelhante realizada pelo Great Ape Trust em Iowa produziu resultados similares.

Como o fato de ver animais junto com pessoas afeta a nossa percepção?

Em 2011, um estudo liderado por Stephen R. Ross tentou demonstrar com ainda mais evidências que o fato de ver animais junto com pessoas nos faz acreditar que eles podem ser animais de estimação e estão menos ameaçados.

Para fazer isso, foram mostradas aos entrevistados 48 imagens diferentes que combinavam diferentes fundos (tais como um chimpanzé em um sofá ou um chimpanzé na selva), sendo que o chimpanzé poderia estar vestido com roupas ou não, e acompanhado ou não por pessoas.   

Depois de mostrar algumas dessas imagens aos entrevistados, duas perguntas foram feitas: uma referente ao estado de conservação do chimpanzé e a outra à sua posse como animal de estimação.

O trabalho mostrou que ver os animais junto com pessoas fazia os entrevistados pensarem que eles estavam menos ameaçados e que seriam bons animais de estimação.

Embora o efeito do fundo não tenha sido tão significativo, é fato que a presença de um chimpanzé em uma casa fez com que os entrevistados pensassem que eles eram mais adequados como animais de estimação.

Chimpanzé

O efeito das propagandas na mídia

No mesmo ano, uma equipe da Duke University tentou demonstrar como o uso de chimpanzés em propagandas também influencia a sua conservação. Neste estudo, 165 pessoas viram três spots publicitários: um falava sobre a conservação de chimpanzés, o outro usava chimpanzés para entretenimento e o outro era uma gravação de chimpanzés em seu habitat.

Neste trabalho, os pesquisadores viram como aqueles que assistiram o anúncio de conservação eram os mais abertos a entender que os chimpanzés estavam ameaçados e não são animais de estimação, seguidos por aqueles que viram o vídeo dos chimpanzés em seu habitat.

Finalmente, aqueles que viram os chimpanzés se comportando como pessoas, em anúncios nos quais estavam vestidos e podiam ser vistos junto interagindo com pessoas, eram os menos abertos a entender esses conceitos.

Os participantes foram remunerados e tiveram a opção de doar o valor recebido para a conservação dessa espécie, algo que foi feito principalmente por aqueles que viram os anúncios sobre conservação.

Por meio desses mecanismos, vemos que não são apenas as campanhas de televisão que podem afetar a nossa percepção do quanto esses animais estão ameaçados: as selfies com animais e as interações desnecessárias com eles também podem transmitir essa mesma mensagem e, assim, prejudicar a conservação das espécies selvagens.

Ross, S. R., Vreeman, V. M., & Lonsdorf, E. V. (2011). Specific image characteristics influence attitudes about chimpanzee conservation and use as pets. PLoS One6(7), e22050.