A garça-vaqueira, a ave que conquistou o mundo

abril 8, 2019
Esta ave, de natureza migratória, beneficiou-se da expansão da pecuária extensiva, pois se alimenta de insetos que pairam sobre bois e vacas.

A garça-vaqueira é uma espécie que não é conhecida por muitos. Entretanto, é incrível saber que é a ave que liderou a maior e a mais rápida expansão natural. Tornou-se uma autêntica conquistadora sem a necessidade de colaboração humana.

Conheça a Garça-vaqueira

Esta ave vive praticamente em todas as regiões subtropicais, tropicais e temperadas do planeta. Está presente em todos os continentes, apesar de ser nativa do Velho Mundo, exceto na Antártida.

O corpo delgado esbranquiçado decorado com penas laranja ou douradas na cabeça e no pescoço é uma das características particulares dessa ave.

Além disso, montam seus ninhos em galhos altos perto da água e de ninhos de outras aves pernaltas, como o abetouro.

Seu nome deve-se ao fato de ser um animal que normalmente sobe ou se aproxima de bovinos ou outros grandes mamíferos, com o objetivo de consumir os insetos assustados por estes.

garça real

A incrível expansão da garça-vaqueira

Esta ave é nativa das regiões úmidas da África, da Ásia tropical e ao sul da península ibérica. Entretanto, desde meados do século 19, há registros de que começaram a se expandir para o sul da África. Isso a levou a se reproduzir na província do Cabo, no início do século 20.

A garça-vaqueira foi avistada pela primeira vez nos Estados Unidos em 1877, especificamente entre a Guiana e o Suriname. Para isso, parece que teve que atravessar todo o Oceano Atlântico a partir do continente africano.

Foi durante a Segunda Guerra Mundial que a Garça-vaqueira começou a colonizar nos Estados Unidos.  Surpreendentemente, durante 1962, ela começou a se reproduzir no Canadá, um país muito mais frio.

Ao mesmo tempo, expandiu-se para o sul em países como Cuba, Costa Rica e México. Além disso, chegou ao sul da América, especificamente no Peru e em outros países da América Latina.

Recomenda-se também a leitura: Como os cães processam as palavras dos humanos?

Na Europa, sua expansão começou no século 20 e colonizou praticamente toda a Península Ibérica, França e Itália.

Apenas uma década atrás, em 2008, sua criação foi registrada no Reino Unido e na Irlanda. Na Austrália, nos anos 40, ela começou a se estabelecer em todo o continente e começou a visitar a Nova Zelândia.

Por que a garça-vaqueira se adaptou a tantos lugares?

A expansão da garça-vaqueira é uma das mais incríveis do reino animal e acredita-se que, como em todas as mudanças abruptas na natureza, o homem está seriamente envolvido nela, embora muitos não entendam bem a relação.

De fato, é bastante simples: como já mencionado, a garça geralmente aproveita a presença de grandes animais para capturar insetos.

E o homem é responsável pela enorme expansão de vacas, cavalos e outras espécies das quais as garças podem tirar proveito.

Recomendamos também a leitura:  Tubarão-elefante: habitat e características

Assim, a expansão da pecuária extensiva tem sido responsável pela colonização desta espécie de garça. Além disso, ela não precisa ter abundantes áreas aquáticas para viver, como o resto das garças.

A garça-vaqueira também tem um certo caráter migratório e viajante, que facilita a expansão da espécie.

Enquanto a maioria das aves migratórias tendem a colonizar novas áreas devido a mudanças no clima, parece que a garça depende mais do gado, e é por isso que a expansão do homem tem sido tão benéfica para ela.

Em raras ocasiões, essa colonização foi causada diretamente pelo homem, portanto, há lugares onde a garça é considerada uma espécie exótica invasora, embora seu impacto seja praticamente nulo.